Histerectomia Vaginal - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Histerectomia Vaginal

Os especialistas falam sobre a Histerectomia Vaginal

Uma histerectomia pode ser realizada pela via abdominal, por via vaginal e por videolaparoscopia. A indicação da melhor via dependerá de uma avaliação do médico especialista para cada caso. A via menos agressiva para a paciente é a via vaginal, em segundo lugar vem a via laparoscópica. Ambas requerem um profissional com treinamento adequado para proporcionar menos risco às pacientes.
Dr. Corival Castro
Dr. Corival Castro Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ginecologista

|

Goiânia

A histerectomia é a cirurgia ginecológica mais realizada no mundo. Várias doenças podem acometer o útero e levar a necessidade de retirada deste órgão. A alteração mais frequente é, sem dúvida, a leiomiomatose (também conhecida como miomatose) uterina, que é uma patologia benigna. A via vaginal é a via preferencial para a extração deste orgão por apresentar menor risco cirúrgico para a paciente, uma menor hospitalização e uma mais rápida recuperação e retorno a vida normal. Esta cirurgia deve ser realizada pelo especialista uroginecologista.
Dr. Heitor Leandro Paiva Rodrigues
Dr. Heitor Leandro Paiva Rodrigues Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ginecologista

|

Ribeirão Preto

Tem perguntas sobre Histerectomia Vaginal?

Nossos especialistas responderam 14 perguntas sobre Histerectomia Vaginal.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Não se retira o útero por histeroscopia. Pode-se realizar procedimentos como: retirar pólipos e miomas.

  • Obrigado 0
  • 1 especialista está de acordo
  • 112
  • 26
  • 208
Dra. Lana de Lourdes Aguiar Lima Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ginecologista

Manaus

Marcar consulta

O desconforto uretral pode ser sentido nos primeiros dias do pós operatório por manipulação uretral com a sonda vesical, utilizada durante e após a cirurgia, mas não costuma ser causa de desconforto 60 dias depois. Se você já realizou a urocultura e esta se mostrou negativa, precisa excluir inicialmente infecções vaginais e tratar ressecamento vaginal se houver.

  • 503
  • 397
  • 391
Mariana de Sousa Ribeiro de Carvalho Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ginecologista

Belém

Marcar consulta

Olá. Entre as vias de acesso para histerectomia (abdominal, vaginal, laparoscópica, robótica) aquela que está associada menos dor pós-operatória, menos complicações, menor período de internação, menor duração da cirurgia, menos uso de medicações para dor no pós-operatório e mais rápido retorno as atividades de vida habituais é a via vaginal. O mioma de 8 cm não é uma contra-indicação absoluta para a realização da histerectomia vaginal. O critério mais importante para avaliar se a via vaginal é factível é avaliação clínica do seu médico quanto a mobilidade uterina. Se você tem um útero móvel e fundo de saco livre a histerectomia vaginal pode ser tentada. Logicamente que um mioma de 8 cm não sai íntegro pela via vaginal. Mas existem técnicas de morcelamento que podem ajudar na extração desse mioma via vaginal. Qual a melhor histerectomia para o seu caso? Vai depender da avaliação do seu médico Converse com o seu médico.

  • 1396
  • 776
  • 776
Dr. Heitor Leandro Paiva Rodrigues Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ginecologista

Ribeirão Preto

Olá. O granuloma de cúpula vaginal é uma reação de corpo estranho ao material utilizado na cirurgia, geralmente fio de sutura. É um achado comum depois de cirurgia em vagina, desde perineoplastia a histerectomia. A maior parte das pacientes é assintomática. Quando apresentam sintomas, a principal queixa é o sangramento na relação sexual e corrimento mucossanguinolento. Nas pacientes assintomaticas não há a necessidade de tratamento. Nas pacientes com sintomas, o tratamento vai desde a retirada do granuloma e cauterização realizada no consultório com anestesia local até excisão no centro cirúrgico sob bloqueio locorregional como a raquianestesia. Qual o melhor tratamento? Depende do tamanho do granuloma, da dificuldade do procedimento, da sua tolerância ao procedimento realizado no consultório, da experiência do seu médico. O procedimento no consultório pode resolver o seu problema.

  • 1396
  • 776
  • 776
Dr. Heitor Leandro Paiva Rodrigues Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ginecologista

Ribeirão Preto

Ver as 14 perguntas sobre Histerectomia Vaginal