Histerectomia Videolaparoscopica - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Histerectomia Videolaparoscopica

Os especialistas falam sobre a Histerectomia Videolaparoscopica

A retirada do útero, cujas indicações principais são a miomatose uterina e a adenomiose, pode ser feita por diferentes vias (aberta ,que é a tradicional; via vaginal ou via laparoscópica).Assim como na via vaginal, a via laparoscópica traz vantagens como melhor recuperação e menor dor pós operatória, menor índice de infecções , alta mais precoce e melhores resultados estéticos. Pode ser total (com retirada do colo uterino, sendo que o útero é extraido por via vaginal) ou subtotal, onde é deixado o colo do útero e para sua retirada é necessário o morcelamento (trituração) do útero através de um aparelho específico .O detalhamento que as câmeras atuais dão,traz segurança maior ao procedimento.
Dr. Fabio Biaggioni Lopes
Dr. Fabio Biaggioni Lopes Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ginecologista

|

São José dos Campos

A cirurgia "por vídeo" para retirada do útero. Tem a vantagem de proporcionar ótima recuperação, pois não há grande corte abdominal, e mantém a segurança , pois toda a cirurgia é feita sob visualização direta. Por isso é um boa opção para mulheres que precisam retirar o útero e tenham endometriose, ou aderências pélvicas por cirurgias anteriores, ou cistos nos ovários. São feitos 2 pequenos cortes no abdome acima da linha do biquini, e um no umbigo (por onde entram a câmera e as pinças cirúrgicas). O retorno às atividades é rápido e a sexualidade após a recuperação é normal.
Prof. Maurilio Batista Palhares Junior
Prof. Maurilio Batista Palhares Junior Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ginecologista

|

Maringá

Histerectomia videolaparoscopica é uma cirurgia que consiste na remoção do útero sem a realização de incisão abdominal ampla. Realiza-se 3 a 4 pequenas incisões de 0,4cm para a passagem das pinças. A cirurgia é realizada intra abdominal com a retirada do útero pela vagina, não necessitando a realização do corte abdominal. A Cirurgia é minimamente invasiva, com menor sangramento, menos dor no pós operatório, menores taxas de complicações e retorno ao trabalho mais rápido.
Cassiano de Souza Moreira
Cassiano de Souza Moreira Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ginecologista

|

Belo Horizonte

A histerectomia videolaparoscópica consiste na cirurgia de retirada do útero utilizando técnicas minimamente invasivas. Utilizam-se 3 ou 4 incisões na pele de 5-10 mm, por onde são introduzidas a câmera e as pinças de trabalho. Após a ligadura de todos os vasos e estruturas necessárias, abre-se uma janela no fundo vaginal (por onde o útero é removido) com posterior sutura da mesma. Essa técnica, por ser menos invasiva e permitir uma grande acesso à pelve, permite uma recuperação mais rápida, com menos dor, e esteticamente melhor do que a cirurgia convencional, com resultados semelhantes.
Dra. Marina De Paula Andres
Dra. Marina De Paula Andres Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ginecologista

|

São Paulo

A Histerectomia Video-laparoscópica é uma cirurgia minimamente invasiva para a retirada do útero. Nesta cirurgia são realizadas cerca de 3 a 4 pequenos cortes de 0,5cm a 1,2cm, por onde o cirurgião ginecologista consegue realizar a cirurgia. Esse tipo de cirurgia permite uma recuperação mais rápida, menos dor após a cirurgia, menor sangramento, menor risco de infecção e um retorno mais rápido às atividades habituais, além de ser mais favorável do ponto de vista estético. Atualmente pode ser feita assistida por um robô, que é controlado pelo cirurgião. Essa técnica pode ser utilizada na grande maioria dos casos, mesmo naqueles em que o útero é bastante volumoso.
Dr. Sidney Tomyo Nishida Arazawa

Ginecologista

|

São Paulo

Ver mais

Tem perguntas sobre Histerectomia Videolaparoscopica?

Nossos especialistas responderam 19 perguntas sobre Histerectomia Videolaparoscopica.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Pode ser feita por laparoscopia sim. A depender da experiência da equipe cirurgica. Procure indicação de seu ginecologista e o médico especialista vai avaliar seu caso e orientar o procedimento adequado. Abs e a disposição.

  • 22
  • 22
  • 111
Dr. José Bernardo Marçal de Souza Costa Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ginecologista

Manaus

Marcar consulta

Olá! Em torno de 15 a 30 dias vc já retornou ao seu dia-a-dia normal. Boa sorte!

  • 188
  • 52
  • 607
Dr. Ruy de Oliveira Machado Jr Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ginecologista

São Paulo

Marcar consulta

As principais complicações são os sangramentos. Em geral cessam expontaneamente. Contudo, atividade sexual precoce pode gerar problemas mais graves como a abertura dos pontos da vagina nos casos de histerectomias totais , podendo gerar infecções e até exteriorização do conteúdo abdominal via vaginal, o que requer cirurgia de urgência. Mantenha-se sem relações com penetração por 40-45 dias . Não haveria restrição à masturbacao por exemplo. Espero ter ajudado

  • 29
  • 3
  • 15
Gustavo Bonilha Lisboa Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Cirurgião oncológico, Mastologista

São Paulo

Marcar consulta

pode marcar uma consulta com sua medica e conversar com ela. não necessariamente ira cair os pontos, pode necessitar retirar, depende do fio utilizado. tomar medicamentos para dor, e atividade física leve. importante é não ter febre, alteração de urina e de evacuação e a dor, avaliar novamente. a disposição.

  • 1892
  • 362
  • 2877
Dr. Welly Chiang Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ginecologista

São Paulo

Marcar consulta

Ver as 19 perguntas sobre Histerectomia Videolaparoscopica