Nefrectomia parcial - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Nefrectomia parcial

Informação sobre Nefrectomia parcial

A nefrectomia é a retirada de um dos rins (raramente ambos) acometidos por tumores de rim. Na nefrectomia é retirado o rim, os gânglios próximos deste, a glândula supra-renal (adrenal) e a porção proximal do ureter. A nefrectomia parcial (NP) é uma operação para o tratamento de diferentes patologias renais, ou para doação. A nefrectomia recomenda-se para pacientes com urolitíase, carcinoma de células renais (CCR), síndrome de Von Hippel-Lindau, trauma, duplicidade de via excretora e hipertensão arterial secundária a segmento isquêmico. A nefrectomia parcial é um procedimento urológico usado em pacientes com doença localizada e indicação de preservação da função renal. Tumores menores que 4cm, com localização anatômica favorável -por exemplo, longe do hilo renal- tratados com nefrectomia parcial têm ótimos resultados oncológicos. A sobrevida em 5 anos é de quase 90%, semelhante àquela obtida nos tumores renais de tamanho similar tratados com nefrectomia radical. A nefrectomia parcial pode ser feita pela via aberta ou pela via laparoscópica (NPL) a través de pequenas incisões e com ajuda de videocâmara. A nefrectomia parcial laparoscópica (NPL) é uma alternativa mínimamente invasiva para o tratamento de tumores renais e está sendo crescentemente usada. Oferece convalescença mais rápida do que a nefrectomia parcial aberta. Por um lado, é associada a maiores taxas de margens positivas, complicações intra-operatórias importantes e complicações urológicas. Por outro lado, a nefrectomia laparoscópica permite às pessoas doarem um rim, com muito menos dor, uma estadia hospitalar mais curta (entre 2-3 dias, versus 5-7 na nefrectomia tradicional), uma recuperação muito mais rápida e menos cicatrizes. Além disso, os rins extraídos desta forma muito menos traumática funcionam tão bem quanto aqueles que são extraídos pela grande incisão da nefrectomia tradicional. Inicialmente, somente pequenos tumores periféricos foram tratados com a técnica laparoscópica, porém, com a padronização da técnica operatória e maior experiência, tumores maiores, de localização central e hilar começaram a ser operados com sucesso. A nefretomia parcial laparoscópica é um procedimento que exige cautela, devendo ser realizado por cirurgiões com razoável experiência em cirurgia laparoscópica. Pode haver complicações hemorrágicas e urinárias.

Possui uma dúvida concreta sobre Nefrectomia parcial? Pergunte aos nossos especialistas.

Os especialistas falam sobre a Nefrectomia parcial

A nefrectomia parcial é uma cirurgia de elevada complexidade, geralmente indicada para a remoção de nódulos ou cistos suspeitos para câncer. O procedimento deve ser feito em contros especializados e com suporte pós operatório adequado. Existem basicamente 3 técnicas: Nefrectomia aberta com incisão ampla e única Nefrectomia laparoscópica (por vídeo) Nefrectomia laparoscópica com robótica (com auxilio de braços robóticos) A cirurgia costuma durara de 1 a 3 horas, arecuperação nos hospital leva de 2 a 3 dias e o retorno ao trabalho leva de 30 a 60 dias. A vantagem na cirurgia parcial é a possibilidade de preservar a parto do rim que não está comprometida pela doença.
Bruno Benigno
Bruno Benigno Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Oncologista, Urologista

|

São Paulo

A Nefrectomia parcial para câncer está indicada em tumores de até 4cm. Pode ser realizada em tumores renais maiores em localizações favoráveis e quando o rim do outro lado tem alguma doença associda. O objetivo desta operação é preservar o máximo de tecido renal para reduzir o risco de insuficiência renal crônica, sem comprometer o controle do tumor. Atualmente é realizada por laparoscopia (pequenos furos na barriga) ou por laparoscopia com auxílio do robô. É uma operação complexa e por isso deve ser realizada em centros de referência e por profissionais capacitados. As vantagens da cirurgia laparoscópica são menor sangramento, menos dor e recuperação rápida.
Leonardo Gomes Lopes
Leonardo Gomes Lopes Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Urologista

|

Belo Horizonte

Tem perguntas sobre Nefrectomia parcial?

Nossos especialistas responderam 179 perguntas sobre Nefrectomia parcial.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Estenose de Jup é uma condição em que ha uma obstrução do fluxo urinário logo na saída do rim, na parte inicial do ureter,canal que conduz a urina do rim até a bexiga. Algumas estenoses ou estreitamentos podem ocasionar o represamento da urina dentro do rim ocasionando uma dilatação levando por vezes a destruição completa do órgão alem de episodios de infecção urinaria de repetição. Em outras situações a obstrução é parcial e o rim pode drenar a urina sem maiores problemas. A indicação de retirar o rim se dá quando o rim foi completamente destruido pela dilatação ou pelos episodios recorrentes de infecção. Nestes casos a nefrectomia total ( e nao parcial) está corretamente indicada.

  • Obrigado 1
  • 1 especialista está de acordo
  • 10
  • 2
  • 6
Dr. Luiz Sergio Santos Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Urologista

Curitiba

Marcar consulta

Tempo cirúrgico depende de alguns fatores, como localização do tumor, aderências abdominais. Em média dura duas a tres horas

  • 27
  • 3
  • 34
Carlos Augusto Aglio Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Urologista

Belo Horizonte

Marcar consulta

Olá. A princípio, nós podemos viver normalmente somente com um rim. Porém, nestas condições, deve-se ficar mais atento a situações que propiciam a desenvolver insuficiência renal crônica com mais facilidade, como Hipertensão Arterial, Diabetes Melito, Obesidade, Tabagismo e outras. Sugiro uma avaliação com seu Nefrologista. Abraço

  • 2
  • 0
  • 2
Dr. Diogo Romariz Peixoto Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Médico hiperbarista, Nefrologista

Curitiba

Marcar consulta

Teoricamente a falta de uma parte do rim em si não necessariamente causa insuficiência renal mas devemos considerar como era a função renal antes da cirurgia, a causa da nefrectomia e doenças gerais que agridem os rins como, por exemplo, Hipertensão arterial sistêmica ("Pressão alta"), diabetes e uso de algumas medicações. É essencial uma vigilância rigoroso com médico Urologista para acompanharmos sua função renal após a cirurgia. À disposição.

  • 45
  • 7
  • 14
Dr. Alexandre Oliveira Rodrigues Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Urologista

Santo André

Marcar consulta

Ver as 179 perguntas sobre Nefrectomia parcial