Tratamento Adicção - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Tratamento Adicção

Os especialistas falam sobre a Tratamento Adicção

Abordagem ampla com individualização de cada caso, uso de técnicas de entrevista motivacional, e prevenção de recaídas. Tratamento de dependência de álcool, dependência múltiplas drogas, tabagismo e comórbidos associados como depressão, ansiedade, transtornos psicóticos e transtorno de controle de impulsos.
Dr. Marcelo Alves Carriello
Dr. Marcelo Alves Carriello Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

|

Curitiba

O tratamento para a Dependência Química é realizado de acordo com os objetivos do cliente, seja ele redução de danos ou abstinência. Para tanto, utilizamos técnicas de avaliação do uso e ofereço devolutiva informativa a respeito para definir os objetivos do tratamento; em seguida, ofereço terapia cognitiva comportamental à fim de identificar ganhos e perdas do uso; traçar metas e estratégias; desenvolver estratégias de enfrentamento para situações gatilho; motivação para mudança; prevenção de recaída; manejo da fissura; e as dificuldades de mudar (pensamentos, crenças e estratégias). Esse tratamento é contínuo. O objetivo é que o cliente sinta-se acolhido e compreendido sobre seu problema.
Ana Paula Gonçalves Donate
Ana Paula Gonçalves Donate Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

|

São Paulo

Os tratamentos mais bem sucedidos das adicções costumam envolver diversos profissionais (psicólogos, médicos, terapeutas ocupacionais, entre outros). A respeito da dimensão psicológica desse tratamento, sua intenção é a de compreender o espaço que a adicção ocupa na vida do sujeito, investigando os significados subjacentes a esse comportamento para aquele indivíduo especificamente. A ideia é que essa compreensão possa modificar a relação que o sujeito mantém com o objeto de sua adicção.
Rafael Barreto Campos
Rafael Barreto Campos Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicólogo

|

São Paulo

O tratamento do Transtorno do uso de substâncias deve sempre considerar a a avaliação de existência de comorbidades, tais como: ansiedade, depressão, transtorno bipolar, TDAH e transtorno borderline. O tratamento da comorbidade é fundamental para o objetivo terapêutico, que é remissão, isto é, atingir a abstinência e manutenção da mesma. O tratamento específico varia conforme a substância. A nicotina e opióides possuem psicotrópicos específicos, bem como no caso do alcoolismo, o que aumenta a chance de sucesso terapêutico. A cocaína (ou crack) e maconha possuem abordagens atuais que aumentam a chance de evitar recaída no uso. O trabalho multidisciplinar e apoio familiar são fundamentais.
Dr. Demétrius de Luna Lopes Benevides
Dr. Demétrius de Luna Lopes Benevides Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

|

São João del Rei

Ver mais

Tem perguntas sobre Tratamento Adicção?

Nossos especialistas responderam 4 perguntas sobre Tratamento Adicção.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Existem vários fatores que predispõem o indivíduo ao uso das drogas. Um desses fatores é o biológico, pessoas que têm histórico de dependência química na família, podem ter uma predisposição biológica maior do que indivíduos que não tem. Há estudos que comprovam que pessoas que tem a proteína delta-fosB no sague também apresentam maior vulnerabilidade para desenvolver a dependência química. Porém, não necessariamente só a predisposição biológica vai levar o indivíduo a desenvolver o problema. Muitas vezes há fatores do meio ambiente que concorrem para o desenvolvimento do transtorno como, estresse, estrutura familiar e social, dentre outros. Há também o fator relacionado às crenças que o indivíduo tem sobre o uso das drogas. Ex: ‘usar drogas me faz mais feliz’, ‘se usar drogas serei aceito pelo grupo’, dentre outros. Em resumo, a combinação desses fatores podem levar ao uso das drogas.

  • 29
  • 15
  • 35
Fabrícia Vieira Santos Naves Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

Uberlândia

Marcar consulta

Ola, o ideal é ser honesto com seu amigo e falar da sua preocupação. Considerando que alguns profissionais da área "atestaram" que ele é viciado, penso que valha a pena percorrer o caminho com seu amigo avaliando as orientações e percepções que os profissionais sinalizaram na época da avaliação. O vício, independente do qual seja, mostra um caminho em que o prazer se repete através do que é executado. E o prazer fica atrelado àquilo em que se vicia... Tais comportamentos, alem de ferar prazer momentaneo, podem gerar angustia elevada... Honestamente, nao há como "faze-lo aceitar". Ele precisa identificar estes comportamentos como foco de angustia e necessidade de ajuda. Você pode falar de sua preocupação, mas o desejo de compreensao do vicio e de seu modo de agir no mundo dependera do seu amigo. Boa caminhada!

  • 21
  • 31
  • 26
Dra. Camila Mennella Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

Santo André

Marcar consulta

O uso abusivo de drogas é uma fenômeno social, que se expressa na ação e na intensidade com que o individuo consome. O conceito de dependência deve ser problematizado, uma vez que, para algumas pessoas, o fato de usar drogas de maneira regular (seja ela qual for, inclusive medicação), pode ser considerado dependência, enquanto que para outras pode ser considerado uso recreativo. Um dos sinais mais importantes que deve ser observado quando se faz o uso de drogas, é o quanto esse consumo tem gerado prejuízos significativos para sua vida, seja laboral ou afetiva. As estratégias de tratamento são diversas, e não há como apontar que uma seja melhor que a outra, pois cada pessoa reage melhor a determinada abordagem. Se a opção for usar medicamento, essa estratégia deve, necessariamente, estar associada a uma psicoterapia, pois, as vezes, o problema não é o uso de drogas na vida de alguém, mas a droga de vida que se leva (e para uma droga de vida, não existe medicação).

  • 9
  • 6
  • 28
Lucio Costa Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicólogo

Brasília

Marcar consulta

Existem várias maneiras e neste caso específico a individualização do tratamento é essencial. Trata-se utilizando medicamentos e psicoterapia nos casos leves e internação para casos mais difíceis. Os paciente sempre se beneficiam em mudanças no estilo de vida e busca novos ambientes e amizades. Grupos anônimos podem ajudar também. Estes recomendam: serenidade, coragem e sabedoria nesse processo.

  • 78
  • 66
  • 166
Dr. Daniel Minahim

Psiquiatra

São Paulo

Ver as 4 perguntas sobre Tratamento Adicção