Tratamento Em Psiquiatria Em Hospital Geral - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Tratamento Em Psiquiatria Em Hospital Geral

Informação sobre Tratamento Em Psiquiatria Em Hospital Geral

O que é?

A palavra psiquiatria tem origem na língua grega e significa tratamento da alma. Cabe aos médicos especialistas neste campo diagnosticar e tratar os transtornos da mente, da personalidade e comportamentais. Por muitos anos os doentes psiquiátricos foram tratados apenas em hospitais próprios. Atualmente, o tratamento para psiquiatria é feito em hospitais gerais e, muitas vezes, no consultório dos médicos sem que haja necessidade de internação do paciente. A internação do paciente pode ser voluntária ou compulsória. No caso da internação obrigatória, é preciso da concordância dos tutores do doente e, em muitas ocasiões, autorizações judiciais.

Qual é a causa?

A origem da grande maioria das doenças mentais, se não de todas, é desconhecida. Há uma série de fatores que podem influenciar o seu desenvolvimento, mas nenhum deles, sozinho, parece ser capaz de explicar o motivo. Um dos principais fatores é biológico. A falta de substâncias como serotonina, acetilcolina, dopamina, adrenalina e noradrenalina levariam ao desenvolvimento de doenças. O fator hereditário é sempre indicado como possível causa de problemas mentais. Pessoas com histórico de doenças psíquicas na família têm mais propensão a sofrer desses males. Um terceiro importante fator colocado como importante e por vezes fundamental no desenvolvimento de doenças da alma é o ambiental. A forma de criação da pessoa, sua interação social, alimentação, uso de drogas, situações de estresse são considerados possíveis deflagradores de doenças mentais.

Quais os sintomas?

Tão amplo como o número de transtornos mentais é o número de sintomas desenvolvidos. Males como a esquizofrenia, por exemplo, causam delírios, alucinações e comportamento agressivo, entre outros. A depressão mostra outros sintomas. O maior deles é a tristeza por longos períodos sem que haja motivação para ela. Os doentes tendem a perder o prazer e deixam de lado as mais simples tarefas do dia a dia.

Como fazer o diagnóstico?

As doenças mentais têm um grande ponto em comum. Não há exames laboratoriais ou de imagens que confirmar seu diagnóstico. Isso só pode ser feito com entrevistas com o paciente e seus familiares ou mesmo acompanhamento médico durante as crises. Os exames só podem ser utilizados para descartar outras causas. Por exemplo, a síndrome do pânico ou transtorno do pânico causa uma série de sintomas muito parecidos com um ataque cardíaco. Exames de ultrassom ou eletrocardiograma podem ser usados para descartar qualquer problema cardíaco, mas não são suficientes para confirmar o diagnóstico.

Qual o tratamento?

Psicoterapia e medicamentos sãos os tratamentos mais utilizados. A internação, seja em hospitais especializados ou de atendimento geral, é cada vez menos necessária.

Possui uma dúvida concreta sobre Tratamento Em Psiquiatria Em Hospital Geral? Pergunte aos nossos especialistas.

Tem perguntas sobre Tratamento Em Psiquiatria Em Hospital Geral?

Nossos especialistas responderam 17 perguntas sobre Tratamento Em Psiquiatria Em Hospital Geral.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Olá! Como vai? A psicopatia ou sociopatia e titulado como: Transtorno da Personalidade Anti-Social ( TPAS), de acordo com (DSM-5), Manual Diagnótico e Estatístico de Transtorno Mentais. As pessoas que possui esse transtorno, apresentam comportamentos de desrespeito pelas leis e costumes sócias, desrespeito pelos direitos dos outros, tendências a apresentar comportamentos violentos, ausência de remorsos e empatia. Por apresentarem tais características e serem pessoas dissimuladas, isso pode dificultar o diagnósticos. Outra cacteristica significativa, e que eles dificilmente buscam ajuda psicológica. Espero ter ajudado! Atenciosamente, Dra. Cirene Valadão Psicóloga/Neuropsicóloga é Terapeuta de Casal e Família.

  • 90
  • 43
  • 76
Dra. Cirene Ayres Valadao Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicanalista, Psicóloga

Goiânia

Olá! Não,o cigarro não piora o tratamento psiquiátrico.Quando um paciente é internado para tratar alguma doença psiquiátrica,optamos por não tratar o tabagismo neste momento,pois a falta da nicotina deixaria o paciente mais ansioso e com menor chance de aderência ao tratamento proposto,havendo,inclusive ,pacientes que se recusam a ser internados em instituições que proíbem o tabagismo em suas dependências.O ideal é reservarmos a abordagem do tabagismo em outro momento,quando o paciente estiver estável.

  • 21
  • 21
  • 12
Dra. Aline Machado Oliveira Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

Lajeado

Marcar consulta

Olá!!Pode ocorrer ao longo do tempo de tratamento uma crise,geralmente resolvida com ajuste na dosagem do medicamento ou até a sua substituição. Se acontecer de novo volte ao psiquiatra para relatar o ocorrido. O tratamento da depressão ou qualquer outro transtorno psicológico precisa ser a associação do medicamento com a psicoterapia ( psicólogo). A medicação tratará somente os sintomas e a psicoterapia trabalhará sobre as causas que originam os sintomas, melhorando sua qualidade de vida! Qualquer coisa estou á sua disposição!!Espero ter ajudado!

  • Obrigado 0
  • 1 especialista está de acordo
  • 40
  • 27
  • 6
Cristina Mostardinha Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

Rio de Janeiro

Marcar consulta

Na Estratégia de Saúde de Família (ESF) existe uma equipe do Núcleo de Apoio à Família (NASF), que auxilia o médico de família, a qual conta com especialistas como o Psiquiatra. Por vezes o médico de família atende o paciente em sofrimento psíquico, discute o caso com o Psiquiatra ou atende junto com ele, e segue a sua orientação. Caso o paciente permaneça estável com o uso da medicação indicada, não há qualquer problema em o acompanhamento ser mantido pelo médico de família. Caso o paciente desestabilize, o Psiquiatra pode ser solicitado novamente para uma reavaliação ou dependendo da gravidade esse paciente pode ser encaminhado para o ambulatório ou para um serviço de maior complexidade.

  • Obrigado 1
  • 1 especialista está de acordo
  • 11
  • 7
  • 30
Dra. Paula Fabrício Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

Rio de Janeiro

Marcar consulta

Ver as 17 perguntas sobre Tratamento Em Psiquiatria Em Hospital Geral