Tratamento em Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Tratamento em Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC)

Os especialistas falam sobre a Tratamento em Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC)

É uma situação, onde o paciente padece de pensamentos extremamente invasivos, que por vezes é impossível serem eliminados, mesmo com grande esforço por parte do paciente. Muito comum ocorrer destes pensamentos, acompanharem de sintomas ou rituais. Estes rituais de alguma forma aliviam estes pensamentos e se tornam quase obrigatório para o paciente para se sentir aliviados. Mesmo tendo certeza que muitas vezes esses rituais são excessivos e causam sofrimento, o paciente não consegue os abandonar, por sentir que algo ruim pode ocorrer. É uma situação de grande desconforto, porém atualmente contamos com muitas opções eficazes de tratamento.
Dr. Edir Corrêa de Araújo Filho
Dr. Edir Corrêa de Araújo Filho Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

|

São Paulo

O Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) é caracterizado por pensamentos intrusivos (que vem à mente contra a vontade do paciente, como "se eu não bater na madeira 3 vezes a minha mãe vai morrer") e comumente são discordantes com a personalidade do paciente (egodistônicos) que geram muita ansiedade e que normalmente são acompanhados de rituais comportamentais motores (como fazer o sinal da cruz) e/ou cognitivos (como rezar 3 vezes ou contar até 10) que tendem a diminuir a ansiedade provocada pelo pensamento intrusivo. É uma doença que costuma responder bem ao tratamento farmacológico e psicoterápico, melhorando muito a qualidade de vida da pessoa que sofre com o TOC.
Geraldo Moreira
Geraldo Moreira Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Recife

Tem perguntas sobre Tratamento em Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC)?

Nossos especialistas responderam 14 perguntas sobre Tratamento em Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC).

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Sobre as medicações, quaisquer tratamentos que forem introduzidas sempre o serão com o seu consentimento, e é sempre importante que você tenha certeza que está suficientemente esclarecida a respeito do tratamento que lhe está sendo instituído. Minha sugestão seria que você começasse procurando um psiquiatra, até mesmo para ter uma indicação mais precisa de psicólogos que trabalhem em abordagens efetivas para o tratamento do TOC e para saber se será ou não necessário o uso de medicação concomitante à psicoterapia que iniciar.

  • 99
  • 135
  • 117
Dr. Alexandre Donizeti dos Reis Cintra Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

São Paulo

A tendência em Medicina é que os tratamentos sigam o que se denomina de "Medicina baseada em evidências" ou seja, o médico atualizado deve basear sua conduta em pesquisas conduzidas com metodologia de alto nível. É inaceitável que se faça propaganda e divulgação de tratamentos alternativos por parecerem mais "naturais" ou terem menos efeitos colaterais, mas que não sejam devidamente comprovados. Isto pode ser feito por ingenuidade, mas pode levantar a suspeita de que quem o faz seja por auto-promoção. Os tratamentos considerados de primeira linha para o TOC são os inibidores seletivos de recaptura de serotonina e a terapia cognitivo-comportamental (TCC) ou a associação dos dois. Há estudos sendo conduzidos com drogas como os antipsicóticos atípicos, a quetamina e a n-acetil-cisteína e a estimulação cerebral profunda, para casos resistentes. A TCC também tem sido feita através de programas computadorizados online, o que é muito promissor no sentido de difundir e baratear o tratamento.

  • 293
  • 214
  • 213
Ivan Mario Braun Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

São Paulo

Marcar consulta

Ainda que sua filha possua um risco maior do que uma pessoa que não possui nenhum parente com a doença, há maior probabilidade de ela não desenvolver TOC.

  • Obrigado 1
  • 1 especialista está de acordo
  • 809
  • 837
  • 1880
Tomás Rotelli de Olivieira Ferreira Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

Uberaba

Com certeza a dosagem da medicação esta insuficiente, não foi relatado nenhum sintoma de TOC na pergunta porem o tema da pergunta e o tratamento do TOC. A pesar dos medicamentos inibidores seletivos de recaptação de serotonina serem a primeira escolha de tratamento, a Fluvoxamina e uma ótima escolha para essa patologia, junto com a Clomipramina que e um tricíclico, poderia se avaliar a troca de medicação e alem disso associar Terapia Cognitiva Comportamental, pois essa associação comprovadamente melhora o prognostico e evolução da doença.

  • 29
  • 9
  • 19
Dr. Ernesto Gil Buchillon Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

Brasília

Marcar consulta

Ver as 14 perguntas sobre Tratamento em Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC)