Turbinectomia - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Turbinectomia

Informação sobre Turbinectomia

O que é?

Turbinectomia ou turbinoplastia é uma cirurgia realizada no nariz. Seu objetivo é melhorar a respiração do paciente. A técnica consiste na remoção de parte da estrutura dos cornetos nasais (ossos e cartilagens) da cavidade. Essas conchas podem ampliar-se e causar uma obstrução capaz de prejudicar a respiração. Os cornetos nasais são responsáveis pela filtração, umidificação e o aquecimento do ar que vai para os pulmões. Seu mau funcionamento causa, principalmente, a rinite alérgica. Com sua remoção parcial ou total, os sintomas da doença são sensivelmente reduzidos. A turbinectomia remove parte ou a totalidade dessas conchas abrindo espaço para a circulação do ar e facilitando a respiração. Como é considerada uma cirurgia exploratória, o médico terá que tomar algumas decisões, sem o conhecimento do paciente, durante a realização do procedimento. A cirurgia pode ser feita com anestesia local ou geral e dura aproximadamente meia hora. O paciente deve ficar internado por um ou dois dias após a realização do procedimento. Às vezes há necessidade de colocar um tampão dentro do nariz para evitar sangramento. Esse tampão é removido em até três dias após a realização da operação. O nariz tem três conchas. Uma vez removidas, as conchas nasais não voltam a crescer. Se forem removidas em excesso, há possibilidades de que os pacientes sofram dores de cabeça, secura, hemorragia e desenvolvam até um quadro de depressão.

Qual é a causa?

Dois são os fatores principais que podem modificar a estrutura dos cornetos nasais causando obstruções: infecções e traumas.

Quais os sintomas?

O principal sintoma da obstrução é a dificuldade para respirar. Essa situação conduz a outros problemas: sinusite, dor de cabeça, cansaço, dificuldade para dormir, roncos e nariz entupido.

Como fazer o diagnóstico?

Um exame físico é suficiente para detectar o problema.

Qual o tratamento?

Inicialmente é recomendada a utilização de medicamentos para controlar os sintomas controlando a situação. Só mesmo quando esses remédios não oferecem resultados significativos e os sintomas tornam-se crônicos é que a cirurgia se torna uma opção.

Possui uma dúvida concreta sobre Turbinectomia? Pergunte aos nossos especialistas.

Os especialistas falam sobre a Turbinectomia

Os cornetos são tecidos esponjosos que estão dentro do nariz e que controlam o fluxo de ar. Cornetos inchados (hipertróficos) dificultam a passagem de ar. A turbinectomia é a cirurgia para redução do tamanho dos cornetos nasais. Atualmente usamos endoscópios nasais na cirurgia para melhor visualização das estruturas e melhor controle de sangramento. Evitamos assim o uso de tampões nasais.
Dr. Vivian Wiikmann
Dr. Vivian Wiikmann Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Otorrino

|

São José do Rio Preto

A Turbinectomia é a cirurgia que promove a redução volumétrica das conchas (=cornetos) nasais inferiores (estruturas situadas na parede lateral das fossas nasais bilateralmente). Está indicada para o alívio da obstrução nasal (=nariz entupido) e consequente dificuldade para sentir os cheiros/sabores, quando motivados por uma hipertrofia de cornetos nasais inferiores que não foi satisfatoriamente tratada apenas com o tratamento medicamentoso.
Dra. Juliana Gama Mascarenhas
Dra. Juliana Gama Mascarenhas Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Otorrino

|

Goiânia

Tem perguntas sobre Turbinectomia?

Nossos especialistas responderam 80 perguntas sobre Turbinectomia.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

É comum no pós-operatório imediato o paciente confundir restos de sangue ou crostas com estruturas do nariz. Discuta com seu médico o motivo da diferença de respiração. Lembre-se que sempre uma narina será melhor que a outra. O importante é que as duas, em conjunto, mantenham uma respiração agradável. Atenciosamente,

  • 9
  • 9
  • 57
Prof. Paulo Fernando Tormin Borges Crosara Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Otorrino

Belo Horizonte

O ideal é contactar o otorrinolaringologista responsável pelo procedimento para uma reavaliação. Sempre oriento lavagem nasal copiosa com solução fisiológica (3 a 4 vezes ao dia) no período mínimo de um mês após a cirurgia. Geralmente esta lavagem, se realizada corretamente, é eficaz em evitar a obstrução nasal e a formação excessiva de crostas.

  • 168
  • 159
  • 448
Dr. Édio Cavallaro Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Otorrino

Rio de Janeiro

Olá! De fato novas técnicas e novos Splints permitem no pós operatório uma respiração bem melhor do que era há alguns anos atrás. Porém, na minha experiência e na experiência de muitos colegas, algum grau de obstrução nasal é sempre esperado no período pós operatório justamente devido ao edema (inchaço) e crostas de sangue que se formam naturalmente neste período.

  • 146
  • 63
  • 220
Dr. Sandro Sérgio Muniz da Silva Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Otorrino

Mogi das Cruzes

Marcar consulta

Prezado/a paciente internauta, A síndrome do nariz vazio ou rinite ozenoda é uma complicação muito rara nos dias de hoje. Ela pode ocorrer em função da retirada total ou subtotal dos cornetos, levando a uma diminuição da área de contato do ar inspirado com a mucosa nasal e assim, parte dos sintomas ora descritos aqui. Isto deve ser antes confirmado pelo seu otorrino que lhe operou. O prognóstico não é fantástico de fato, mas há sim, como melhorar o quadro.

  • 1293
  • 445
  • 1090
Dr. Gustavo Guagliardi Pacheco

Medico do Sono, Otorrino

Rio de Janeiro

Ver as 80 perguntas sobre Turbinectomia