Laqueadura tubaria - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Especialistas em laqueadura tubaria

Encontre um especialista em Laqueadura Tubaria na sua cidade:
Adriano Wollmann

Adriano Wollmann

Ginecologista

Curitiba

Agendar uma visita
Jean Carlo Nascimento

Jean Carlo Nascimento

Ginecologista

São Bernardo do Campo

Agendar uma visita
Antonio Paulo Stockler

Antonio Paulo Stockler

Ginecologista

Rio de Janeiro

Agendar uma visita
Carlos Roberto Gomes e Silva

Carlos Roberto Gomes e Silva

Ginecologista

São José dos Campos

Agendar uma visita

Perguntas sobre Laqueadura tubaria

Nossos especialistas responderam a 153 perguntas sobre Laqueadura tubaria

Olá... Normalmente o retorno as atividades rotineiras e esforço físico são bem aceitos entre 30-45 dias de pós opertório. Sugiro que passe em avaliação com sua ginecologista para ser examinada…
1 respostas

Olá! Depende qual a técnica foi utilizada na cirurgia. Seu ginecologista é a melhor pessoa para lhe esclarecer essa dúvida! Marque uma consulta!
1 respostas

Olá. Sempre siga as orientações do seu médico. Agende a sua consulta de reavaliação e esclareça suas dúvidas.
A sua avaliação clínica através da sua história clínica, suas queixas e exame…
1 respostas

Especialistas falam sobre Laqueadura Tubaria

A laqueadura é considerada uma forma definitiva de esterilização da mulher. Pode ser feita por via vaginal, abdominal aberta ou por laparoscopia. Os critérios para realização do procedimento são: - ter acima de 25 anos, independente do número de filhos; - ter 2 filhos vivos, independente da idade; - aguardar 60 dias após a indicação para realização do procedimento; - ter boas condições de saúde para ser submetida a um procedimento cirúrgico No caso de casamento ou união estável, a assinatura do parceiro em um termo de consentimento é obrigatória.

Paula Guastaferro Magalhães

Ginecologista

Belo Horizonte


Ligadura de Trompas ou Laqueadura é uma cirurgia para a esterilização voluntária definitiva, na qual as trompas da mulher são amarradas ou cortadas, evitando que o óvulo e os espermatozoides se encontrem. É um método contraceptivo definitivo, é uma esterilização e não um método anticoncepcional. Para essa esterilização, é requisitado um intervalo de 60 dias entre a vontade de realizar e o ato cirúrgico. A laqueadura não altera o ciclo menstrual e nem causa alteração nos níveis hormonais femininos. pesar de ser raro, há casos em que o dispositivo contraceptivo falhe e a mulher engravide, mas essa taxa é pequena, 0,1 a 0,3 por 100 mulheres por ano.

Marcelo Ponte

Ginecologista

Fortaleza

Agendar uma visita

A laqueadura tubária fora do período da gravidez é um procedimento autorizado pelos planos de saúde, desde que seja respeitado os critérios da lei: mulheres maiores de 25 anos ou, pelo menos, com dois filhos vivos, desde que observado o prazo mínimo de 60 dias entre a manifestação da vontade e o ato cirúrgico. A videolaparoscopia veio para simplificar ainda mais o procedimento, com possibilidade de rápida recuperação e retorno para atividades.

Michelly Azevedo Da Motta

Ginecologista

Rio de Janeiro


A laqueadura tubária é um procedimento de anticoncepção definitiva que consiste na obstrução cirúrgica das trompas uterinas. Pode ser realizada por via laparoscópica, por celiotomia ou por via histeroscopia, sendo que o princípio básico é a interrupção da passagem dos espermatozoides pelas trompas.O casal deve manifestar livre e espontânea vontade, após serem explicados todos os métodos anticoncepcionais existentes. O fundamento básico antes de se optar pela realização de qualquer método cirúrgico para anticoncepção é que o casal sempre deve estar ciente sobre todas os demais métodos anticoncepcionais.

É a cirurgia realizada com o intuito de planejamento familiar. Nesta cirurgia a tuba uterina é “ligada”. Em meu trabalho, opto pela realização da salpingectomia, ou seja, retiro a tuba uterina. Estudos comprovaram que umas das possíveis origens do câncer de ovário está na tuba uterina. Assim, retirando a tuba uterina, prevenimos o câncer de ovário. Pode ser realizada por via abdominal (aberta, com corte), laparoscópica (por videolaparoscopia) ou vaginal.

Sibele Klitzke

Ginecologista

Porto Alegre


De acordo com a legislação brasileira o procedimento pode ser realizado no momento do parto para quem já está realizando a terceira cesariana ou possui algum problema grave de saúde. Fora do ciclo gestacional qualquer mulher com mais de 25 anos ou 2 filhos vivos pode realizar o procedimento, sendo sempre a preferência pela via laparoscópica.

A Ligadura de Trompas ou Laqueadura é uma cirurgia para esterilização voluntária definitiva, na qual as trompas da mulher são cortadas ou amarradas, evitando que o óvulo e os espermatozóides se encontrem. Antes de realizar a cirurgia, a mulher deve analisar outras formas de evitar a gravidez, pois a Ligadura de Trompas é uma esterilização e não um método anticoncepcional. O tempo de recuperação varia de acordo com a paciente e o tipo de anestesia utilizado. A Laqueadura não altera o ciclo menstrual e nem causa alterações nos níveis hormonais femininos.Apesar de ser raro, há casos em que o método contraceptivo falhe e a mulher engravide (0,1 a 0,3 por 100 mulheres/ano).

É a ligadura/secção do segmento entre os ovários e o útero, chamado trompas ou tubas, levando a interrupção do trajeto do óvulo ou do espermatozóide durante a relação, impossibilitando procriação, chamada esterilidade. O procedimento precisa ser claramente discutido entre paciente e marido, necessitando termo de consentimento esclarecido, assim como boa indicação, já que os índices de pessoas que querem desfazer, é alto. Pode ser realizado de maneira aberta, no entanto nossa equipe tem realizado por laparoscopia com apenas uma incisão umbilical em portal único, recebendo a paciente alta no mesmo dia do procedimento.

Quais profissionais realizam Laqueadura tubaria?

Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.