Ultrassonografia morfológica de primeiro trimestre - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Ultrassonografia Morfológica do 1° Trimestre: Indicação de 11 a 14 semanas Osso Nasal (OS) Translucência Nucal (TN) Docto Venoso.

Especialistas - ultrassonografia morfológica de primeiro trimestre

Encontre um especialista na sua cidade:

Perguntas sobre Ultrassonografia morfológica de primeiro trimestre

Nossos especialistas responderam a 4 perguntas sobre Ultrassonografia morfológica de primeiro trimestre

Existem dois tipos de ecografias morfológicas, realizadas em períodos diferentes da gestação. A ecografia morfológica de primeiro trimestre deve ser realizada entre 11 semanas e 13 semanas e…
3 respostas


Olá, o médico radiologista é habilitado para realizar este exame, o que pode ter ocorrido é que em alguns casos a solicitação do exame está como ultrassonografia obstétrica com traslucência nucal,…
3 respostas


Sim, pois pode ter um erro de datação da última menstruação ou ter sido uma ovulação tardia.
O ideal é fazer a ECO entre 6-7 semanas, quando geralmente já é possível ouvir o coraçãozinho!!
1 respostas

Especialistas falam sobre Ultrassonografia morfológica de primeiro trimestre

A ultrassonografia morfológica do primeiro trimestre é realizada entre 11 e 14 semanas de gestação, pode-se usar a via abdominal ou transvaginal, sendo esta última a preferencial, devido a maior qualidade da imagem quando o feto é ainda muito pequeno. Na avaliação do feto observa-se a presença dos membros superiores e inferiores, o crânio e cérebro, abdome com a imagem do estômago e bexiga, o coração, verificando-se os batimentos cardíacos. Neste exame é realizado o doppler inicial do ducto venoso e a medida da translucência nucal, ambos importantes marcadores de doenças genéticas ou cardíacas. Ainda é realizada a medida da cabeça à nádega do feto, a qual nos informa a idade gestacional.

Mônica Negrão De Miranda

Generalista

Guanambi


Realizada entre 11 e 13 semanas+6 dias, tem a finalidade de analisar a formação dos órgãos do feto (S.N.C., face, membros, coluna, T.G.I., T.G.U.), já identificando até 35% das malformações fetais, bem como avalia o cordão umbilical, o líquido amniótico e a placenta. É ainda neste exame que avaliamos o risco do feto ser portador de síndromes cromossômicas (Ex.: Síndrome de Down), através da análise de "marcadores ultrassonográficos" dos quais o carro-chefe é a Translucência Nucal (fora o osso nasal, ducto venoso, refluxo tricúspide e detalhes como crescimento e frequência cardíaca do bebê). Por fim, ainda avalia-se o risco que a mulher tem de desenvolver pré-eclâmpsia na gestação.

A dade gestacional ideal para realização é entre 11 e 14 semanas. Tem por objetivos confirmar a idade gestacional, além avaliar alguns marcadores e a anatomia fetal passível de visualização nesta fase, os quais juntos permitem calcular riscos de anomalias cromossômicas (risco para Síndrome de Down e outras doenças), e em associação com o Doppler de artérias uterinas, o risco de pré-eclâmpsia e de restrição de crescimento intrauterino. O exame não faz o diagnóstico de doenças genéticas, apenas serve de alerta para que o médico avalie a necessidade de outros exames complementares, como uma biópsia de vilo corial ou a amniocentese.

É um dos principais exames de ultrassom obstétrico que podem ser realizados durante a gestação tanto de baixo quanto de alto risco. Deve ser realizado entre 11 semans e 13 semana e 6 dias de idade gestacional, por médico habilitado área. Tem como objetivo rastreio de malformações fetais, cardíacas, do sistema nervoso central e pré-eclâmpsia. Utiliza como medidas a translucência nucal, Ducto venoso, Doppler da artérias uterinas, regurgitação tricuspide, etc. O uso do 3D fornece excelentes imagens devido o tamanho do feto nessa idade gestacional. O exame pode e deve ser realizado tanto por cia abdominal e Endovaginal para melhor detalhamento das partes fetais e do coração.

Carlos Alan Da Cruz Ferreira

Generalista

Conselheiro Lafaiete


Durante a formação e o desenvolvimento do seu filho dentro do útero, fatores externos como medicações, radiação, infecções, hipertermia, descontrole da glicose e fatores internos como mutações genéticas poderão interferir na formação dos tecidos e órgãos do corpo. Quando o proporção e a localização dessas alterações é muito grave, seu bebê poderá necessitar de cuidados especiais. O exame realizado entre 11 a 13semanas e 6 dias tem maior sensibilidade para rastrear alterações que são mais frequentes entre bebês portadores de Síndromes Cromossômicas e entre mulheres que desenvolverão a pré-eclampsia. O exame é uma rotina pré-natal, em busca daqueles que precisam de cuidados especiais.

Fabio Batistuta De Mesquita

Ginecologista

Nova Lima


Toda gestante deve realizar o ultrassom morfológico de primeiro trimestre entre 11 e 14 semanas de gestação para que possamos avaliar precocemente o risco de seu bebê possuir alguma má formação. Este exame é imprescindível para tranquilizar a grávida quanto ao bom desenvolvimento de seu feto e/ou indicar possíveis procedimentos caso haja alguma alteração. Sou fetólogo e portanto, a profissional adequada para realizar este exame em você, gestante.

Isabel Botelho

Ginecologista

São Paulo

Quais profissionais realizam Ultrassonografia morfológica de primeiro trimestre?

Pesquisas relacionadas


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.