Fernanda Cacciatore Bes Scartezini, Oncologista São Paulo

Dra. Fernanda Cacciatore Bes Scartezini

Oncologista

Número de registro: CRM: 131325 SP / RQE Nº: 63370

Não descuide da sua saúde

Escolha a consulta online para iniciar ou continuar o seu tratamento sem sair de casa. Se precisar, você também pode marcar uma consulta no consultório.

Mostrar especialistas Como funciona?

Consultórios (2)

Rua Comendador Miguel Calfat, 217, Vila Nova Conceição, São Paulo
Clínica São Germano

Este especialista não oferece agendamento online neste endereço

Convênios médicos aceitos neste endereço

Pacientes particulares (sem convênio)

Allianz

Amil

Bradesco Saúde

Cassi

FUNCESP + 10 mais


Não adicionou informações sobre seus serviços

Este especialista não fornece todas as informações que você precisa?

Mostrar outros oncologistas perto de mim

Este especialista não oferece agendamento online neste endereço

Não adicionou informações sobre seus serviços

Este especialista não fornece todas as informações que você precisa?

Mostrar outros oncologistas perto de mim

Experiência

Sobre mim

Graduada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo em 2007. Residência Médica em Clínica Médica pela Santa Casa de São...

Mostrar a descrição completa

Experiência em:

  • Cancerologista Clinico
  • Imuno-Oncologia
  • Oncologia Clinica

Tratar condições médicas

  • Câncer de pulmão
  • Neoplasias Do Endométrio
  • Câncer e quimioterapia
Mostrar mais doenças

Serviços

Sem informação sobre serviços e preços

Este especialista ainda não adicionou nenhuma informação sobre serviços

Opiniões

Você realizou uma visita com Dra. Fernanda Cacciatore Bes Scartezini?

Escreva uma opinião sobre a sua experiência. Centenas de pacientes poderão se basear nos seus comentários para agendar suas consultas.

Deixar uma opinião

Dúvidas respondidas

1 dúvidas de pacientes respondidas na Doctoralia


  • Pergunta sobre Metástases ósseas

    Processo osteoarticular degenerativo inflamatório é câncer?

    Processo degenerativo significa desgaste das articulações, normalmente relacionado a artrose. Não tem nenhuma relação com câncer.

    Dra. Fernanda Cacciatore Bes Scartezini

Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.

Experiência

Sobre mim

Graduada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo em 2007. Residência Médica em Clínica Médica pela Santa Casa de São...

Mostrar a descrição completa

Experiência em:

  • Cancerologista Clinico
  • Imuno-Oncologia
  • Oncologia Clinica

Tratar condições médicas

  • Câncer de pulmão
  • Neoplasias Do Endométrio
  • Câncer e quimioterapia
Mostrar mais doenças

Artigos

Quimioterapia

Quimioterapia consiste em um ou mais medicamentos (ingeridos ou infundidos na veia) capazes de eliminar as células cancerígenas do organismo. Há vários tipos de quimioterápicos, específicos para cada tipo de tumor. Eles agem mais intensamente nas células com maior velocidade de multiplicação, como as dos tumores, eliminando-as. Contudo, podem afetar também células saudáveis que se multiplicam rapidamente, como é o caso daquelas responsáveis pelos processos de digestão e de crescimento do cabelo. No entanto, é importante destacar que há várias maneiras de se evitarem os efeitos colaterais e que muitos pacientes não apresentarão quaisquer sintomas relacionados ao tratamento.


Câncer de pulmão

O câncer de pulmão é o segundo tipo de tumor mais frequente em homens e o quarto mais frequente em mulheres. Entretanto, é a principal cauda de morte por câncer no mundo. Cerca de 85 a 90% dos casos é causado pelo cigarro. Porém, cada vez mais observamos o surgimento deste tumor em pessoas que nunca fumaram. Esses casos não relacionados ao hábito de fumar costumam ser causados por mutações genéticas específicas, e com frequência são tratados com medicamentos especiais chamados de drogas alvo-moleculares, que atuam diretamente na célula portadora da mutação genética, e não em todas as células do organismo, como ocorre com a quimioterapia.


Imunoterapia no tratamento do câncer

Um dos grandes avanços da última década no combate ao câncer foi o desenvolvimento de novas formas menos agressivas de imunoterapia. A ideia por trás desse tipo de tratamento é de que o próprio sistema imunológico do paciente consiga reconhecer e eliminar o tumor. Na Imunoterapia utilizam-se substâncias conhecidas como modificadores biológicos, produzidas em pouca quantidade pelo organismo, mas amplificadas em laboratório para tratar o câncer e outras doenças. São medicações aplicadas na veia que superestimulam a imunidade, melhorando a capacidade do organismo de perceber e combater as células cancerígenas.

Veja todos os artigos

Pesquisas relacionadas