Juliana Pinto Moreira dos Santos, Psiquiatra São Paulo

Dra. Juliana Pinto Moreira dos Santos

Psiquiatra

Número de registro: CRM-SP 151554 | RQE Nº: 64555
1 opinião

Salvar

51 visitas ao perfil nos últimos 30 dias

Experiência

Sobre mim

Sou médica psiquiatra com formação adicional em Psiquiatria da infância e da adolescência. Realizo atendimento psiquiátrico e psicoterápico, com uma v...

Mostrar a descrição completa

Experiência em:

  • Psicoterapia
  • Psiquiatria da Infância e Adolescência
  • Psiquiatria Adulto

Tratar condições médicas

  • Esquizofrenia
  • Ansiedade da Separação
  • Transtorno De Pânico
Mostrar mais doenças

Formação

  • Problemas do desenvolvimento da infância e da adolescência, Lydia Coriat, 2015
  • Aperfeiçoamento em: relação país bebês: da observação à intervencao, Sedes sapientiae, 2017
  • Psiquiatra da infância e da Adolescência, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2016
Veja mais

Fotos


Vídeos


Idiomas

Português

Serviços e preços

Os preços são para pacientes sem convênio médico

Serviços populares

Consulta Psiquiatria


Rua João Moura 661, conjunto 41, São Paulo

Saiba mais

Consultório particular


Primeira consulta Psiquiatria


Rua João Moura 661, conjunto 41, São Paulo

Saiba mais

Consultório particular

Outros serviços

Atendimento psiquiátrico de crianças e adolescentes


Rua João Moura 661, conjunto 41, São Paulo

Saiba mais

Consultório particular


Interconsulta Psiquiátrica


Rua João Moura 661, conjunto 41, São Paulo

Saiba mais

Consultório particular


Primeira consulta em psiquiatria infantil


Rua João Moura 661, conjunto 41, São Paulo

Saiba mais

Consultório particular


Psicoterapia


Rua João Moura 661, conjunto 41, São Paulo

Saiba mais

Consultório particular

Opiniões dos pacientes

5

Classificação geral
1 opinião

V
Paciente verificado
Local: Consultório particular Consulta Psiquiatria

A Juliana foi a primeira psiquiatra realmente interessada no que eu tinha para falar. Como eu já vinha de vários outros tratamentos, estava receosa em iniciar mais um e seus efeitos colaterais. Ela foi super profissional e juntas chegamos em uma ótima opção medicamentosa. Ela acertou em cheio, tanto é que mantenho o mesmo remédio há anos. Ela é incrível e muito capacitada.


Ocorreu um erro, tente outra vez

Dúvidas respondidas

9 dúvidas de pacientes respondidas na Doctoralia


  • Pergunta sobre Depressão

    É verdade que antidepressivos são ineficazes em crianças e adolescentes??

    Olá. Existem antidepressivos aprovados para o uso na infância e na adolescência, principalmente os inibidores da receptação da serotonina (fluoxetina, sertralina,escitalopran). O que se sabe é que os antidepressivos tricoclicos não têm bom efeito antidepressivo nesta faixa etária, devido a uma questão na imaturidade do sistema nervoso central,(embora possam ser prescritos para outras condições, como enurese, por exemplo). Outra questão envolve o relato de aumento de ideação suicida e tentativas de suicídio com alguns antidepressivos. Isto pode ocorrer principalmente no início do tratamento, quando o paciente deprimido começa a ter mais energia mas ainda sente-sem esperança no futuro, e tende a melhorar com o decorrer do tratamento. Em casos de depressão moderada a grave e quadros ansiosos, fóbicos ou obsessivo-compulsivos, em que há marcado comprometimento, os antidepressivos, associados à psicoterapia, podem ajudar na melhora sintomatologica e global do paciente.

    Dra. Juliana Pinto Moreira dos Santos

  • Pergunta sobre Neuleptil

    Neuleptil1% gotas serve para autismo leve e TDAH?

    Olá. O Neuleptil é o nome comercial para Periciazina, um antipsicótico da classe das fenotizaidas. Na população pediátrica, esta medicação pode ser utilizada para manejo de sintomas relacionados a agressividade, hiperatividade e insônia em pacientes com distúrbios do neurodesenvolvimento, como o autismo. É importantante ressaltar que a medicação não cura o transtorno (cujo tratamento envolve, primordialmente, psicoterapias), mas auxilia na amenização de sintomas que, quando intensos, causam sofrimento e prejuízos no cotidiano da criança. No caso do TDAH, o neuleptil não terá uma ação específica sobre dificuldades atencionais, embora possa contribuir no controle da hiperatividade (quando intensa e dependendo da idade da criança). É sempre importante discutir as alternativas com o médico que assiste a criança e pesar os riscos e benefícios da introdução da medicação. Boa sorte!

    Dra. Juliana Pinto Moreira dos Santos

Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.

Experiência

Sobre mim

Sou médica psiquiatra com formação adicional em Psiquiatria da infância e da adolescência. Realizo atendimento psiquiátrico e psicoterápico, com uma v...

Mostrar a descrição completa

Experiência em:

  • Psicoterapia
  • Psiquiatria da Infância e Adolescência
  • Psiquiatria Adulto

Tratar condições médicas

  • Esquizofrenia
  • Ansiedade da Separação
  • Transtorno De Pânico
Mostrar mais doenças

Formação

  • Problemas do desenvolvimento da infância e da adolescência, Lydia Coriat, 2015
  • Aperfeiçoamento em: relação país bebês: da observação à intervencao, Sedes sapientiae, 2017
  • Psiquiatra da infância e da Adolescência, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2016
Veja mais

Fotos


Vídeos


Idiomas

Português

Redes sociais


Pesquisas relacionadas