Ranitil - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Uso de Ranitil

Indicações de Ranitil
Úlcera duodenal, úlcera gástrica, úlcera pós-operatória, esofagite de refluxo, síndrome de Zollinger-Ellison e quando for desejável a redução da acidez e da secreção gástrica, bem como na prevenção das hemorragias gástricas e antes da anestesia geral em pacientes propensos à aspiração ácida (síndrome de Mendelson), especialmente pacientes obstétricas em trabalho de parto.


Contra-Indicações de Ranitil
Pacientes que possuam hipersensibilidade aos componentes da fórmula e nos três primeiros meses de gravidez.


Precauções especiais

Como Usar (Posologia)
Adulto: a dose usual é de 150 mg, 2 vezes ao dia pela manhã e à noite ou apenas 1 comprimido de 300 mg administrado à noite ao deitar. O tempo de ação é prolongado de modo que 1 única dose de 300 mg à noite é capaz de reduzir adequadamente a secreção ácido gástrico durante mais de 12 horas. Não é necessário relacionar a dose às refeições. Na maioria dos casos de úlcera duodenal, úlcera gástrica benigna e úlcera pós-operatória, a cicatrização ocorre em 4 semanas. Os pacientes cujas úlceras não cicatrizam completamente nesse período, geralmente respondem satisfatoriamente após tratamento suplementar de mais 4 semanas. Crianças: apesar de a ranitidina ter sido administrada sem problemas a pacientes de 8 a 18 anos, em doses de 150 mg, 2 vezes ao dia, a experiência clínica ainda é limitada e não autoriza o uso irrestrito em pacientes pediátricos. Injetável adulto: pode ser administrada através de injeções intravenosas lentas (mais de 1 minuto) de 50 mg, repetidas, se necessário, a cada 6-8 horas: por infusões intravenosas, à razão de 25 mg por 1 a 2 horas, podendo conforme a necessidade, ser repetidas a intervalos de 6-8 horas. Para prevenção de hemorragias no caso de úlcera de estresse em pacientes graves ou para a profilaxia de sangramento em pacientes com úlceras pépticas, deve-se persistir com a administração parenteral até que seja possível alimentação oral, quando então o tratamento poderá continuar, se necessário com comprimidos (150 mg, 2 vezes ao dia ou 300 mg à noite ao deitar); nos pacientes propensos a desenvolver síndrome de aspiração ácida, aconselha-se a administração de 1 ampola de Ranitil injetável (50 mg) por via intramuscular, ou intravenosa lenta (mais de 1 minuto) 45 a 60 minutos antes da indução anestésica. - Superdosagem: devido à elevada especificidade de ação da ranitidina, não é de se prever a ocorrência de problemas significativos diante de eventual superdosagem com Ranitil. Se necessário, pode ser instituída terapia sintomática e de suporte, assim como a remoção da droga por hemodiálise.


Laboratório
EMS Ind. Farm. Ltda.
Remédios da mesma Classe Terapêutica Antagon, Axid, Famoset, Famox, Logat
Remédios que contém o mesmo Princípio Ativo Antagon, Logat, Pylorid, Radan, Zadine


Precauções
Ranitil é excretado no leite materno, deve se tomar cuidado se administrar a lactantes. A segurança e eficácia em crianças ainda não foi estabelecida. Em pacientes com creatinina abaixo de 50 ml/minuto, o intervalo entre as administrações deve ser dobrado. Hemodiálise reduz os níveis séricos de ranitidina. Diante da suspeita de úlcera gástrica, deve ser excluída a possibilidade de afecções malignas, uma vez que Ranitil pode mascarar sintomas associados a carcinoma gástrico.


Efeitos adversos e efeitos colaterais

Efeitos Colaterais de Ranitil
Cefaléia, erupções cutâneas, tontura, constipação, diarréia e náuseas tem sido reportadas em pequeno número de casos. Contudo, igualmente assinalados em pacientes sob uso de placebo. Em pacientes com ginecomastia ou impotência induzida pela cimetidina, observou-se a normalização do quadro quando foi feita a substituição por Ranitil.


Quais profissionais prescrevem Ranitil?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.