Sintofenac - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Uso de Sintofenac

Indicações de Sintofenac
Processos reumáticos, inflamatórios e degenerativos: artrite reumatóide, inclusive nas formas juvenis, espondilite ansilosante, osteoartrite e espondilartrites. Síndromes dolorosas agudas da coluna vertebral. Reumatismo extra-articular. Crises agudas de gota. Inflamação e dor nos estados pós-traumáticos, pós-operatórios e após cirurgias dentárias. Condições dolorosas e inflamatórias em ginecologia. Tratamento sintomático da dismenorréia primária.


Contra-Indicações de Sintofenac
Úlcera péptica. Hipersensibilidade à substância ativa. Da mesma maneira que outros medicamentos antiinflamatórios não esteróides, Sintofenac é contra-indicado a pacientes asmáticos, nos quais crises de asma, urticária ou rinite aguda são desencadeadas pelo uso do ácido acetilsalicílico ou por outros medicamentos inibidores da atividade da prostaglandina-sintetase. Devido à importância das prostaglandinas na manutenção do fluxo sangüíneo renal, atenção deve ser dada ao se usar o medicamento em caso de comprometimento das funções cardíacas ou renais, em pacientes tratados com diuréticos e naqueles em recuperação de grandes cirurgias.


Precauções especiais

Como Usar (Posologia)
Adultos: como regra, a dose inicial diária é de 100 a 150 mg. Em casos mais leves, bem como para terapia prolongada, 75 a 100 mg/dia são em geral suficientes. A dose diária prescrita deve ser fracionada em 2 a 3 tomadas. No tratamento da dismenorréia primária, a dose diária, que deve ser individualmente adaptada, é geralmente de 50 a 150 mg. Inicialmente, a dose de 50 a 100 mg deve ser administrada e, se necessário, elevada no decorrer de vários ciclos menstruais até o máximo de 200 mg/dia. O tratamento deve ser iniciado aos primeiros sintomas e, dependendo da sintomatologia, pode continuar por alguns dias. Os comprimidos devem ser tomados inteiros e com líquidos, de preferência antes das refeições. Superdosagem: o tratamento de intoxicação aguda com agentes antiinflamatórios não esteróides consiste essencialmente em medidas sintomáticas e de suporte. Não há quadro clínico típico resultante da superdosagem do diclofenaco. As medidas terapêuticas a serem tomadas em caso de superdosagem são: lavagem gástrica e tratamento com carvão ativado, tão cedo quanto possível após a superdosagem, pois ajudam a evitar a absorção. Tratamento sintomático e de suporte deve ser administrado em caso de complicações, tais como, hipotensão, insuficiência renal, convulsões, irritação gastrintestinal e depressão respiratória. Diurese forçada, diálise ou hemoperfusão não são úteis na eliminação de agentes antiinflamatórios não esteróides em decorrência de seu alto índice de ligação a proteínas e metabolismo extenso.


Laboratório
Laboratórios Sintofarma S.A.


Precauções
Pacientes com distúrbios gastrintestinais, lesões hepáticas ou renais graves devem ser mantidos sob estrita vigilância médica. Na eventualidade de ocorrência de úlcera gastroduodenal ou hemorragia gastrintestinal, o tratamento com Sintofenac deverá ser suspenso. Em casos de tratamento prolongado, é necessário o controle periódico do quadro hematológico, como é regra quando da administração de substâncias altamente ativas. - Gravidez e lactação: razões de ordem médica desaconselham a prescrição de Sintofenac durante a gravidez. Em casos de indicação restrita, o médico deve avaliar o benefício em relação ao potencial risco para o feto. Após doses orais diárias de 150 mg, a substância ativa foi encontrada no leite materno, todavia em baixas concentrações. - Interações medicamentosas: quando administradas simultaneamente ao lítio ou à digoxina, as substâncias anti-reumáticas não esteróides podem elevar as concentrações plasmáticas dos mesmos. O uso simultâneo do ácido acetilsalicílico reduz a concentração plasmática do diclofenaco sódico. Quando administrado simultaneamente com antidiabéticos orais, Sintofenac não interfere na atividade dos mesmos. A administração concomitante com corticosteróides e outros antiinflamatórios não esteróides pode propiciar o agravamento de efeitos gastrintestinais. Como com outros agentes antiinflamatórios não esteróides, diclofenaco sódico em doses altas (200 mg) pode inibir temporariamente a agregação plaquetária. Fazer testes laboratoriais quando do uso concomitante com anticoagulantes.


Efeitos adversos e efeitos colaterais

Efeitos Colaterais de Sintofenac
Sintofenac é geralmente bem tolerado, porém no início do tratamento podem ocorrer eructação, epigastralgia, náusea ou diarréia, assim como cefaléia e vertigem. Estas manifestações regridem após alguns dias, mesmo com a continuação da medicação. Também raras, embora de possível ocorrência, são reações anafilactóides, manifestações de elevação dos valores das transaminases. Foram observadas perturbações gastrintestinais, edema, reações cutâneas e anormalidades nos testes de função hepática e renal. Foram relatados casos de agranulocitose e trombocitopenia.



Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.