Boa noite. Gostaria de saber como se manifesta a sociopatia? Eu sinto que tenho um lado bom e um lado ruim dentro de mim, sou agressivo e nunca me arrependo de nada, minto constantemente, etc, diante mão não sou bom em comunicação social, não tenho habilidades sociais.
 Edicleia Lima
Edicleia Lima
Psicanalista, Psicólogo
Rio de Janeiro
Prezado, seria interessante buscar um profissional para falar sobre isso que pensa. Um sociopata estaria preocupado com essas questões? Rótulos sempre irão existir, basta saber se deseja ou não se enquadrar neles.

 Bruna Dionisio Manoel
Bruna Dionisio Manoel
Psicólogo
Rio de Janeiro
Olá, acho que seria interessante que você busque ajuda de um psicólogo para avaliar a relação entre os sintomas e os possíveis transtornos associados. Se você quer trabalhar habilidades sociais, a abordagem cognitiva-comportamental seria mais eficaz no treinamento de habilidades sociais como comunicação em público e assertividade. Sugiro também que procure um psiquiatra, pois pode ser necessário medicação. Importante ressaltar que mesmo que você apresente sociopatia isso não quer dizer que você não possa modificar alguns aspectos que sejam prejudiciais a sua qualidade de vida. Os rótulos antecipados acabam por restringir o sujeito, impedindo seu crescimento. Busque ajuda profissional para você ser melhor orientado. Abraços.

 Mariana Farinas
Mariana Farinas
Psicólogo, Sexólogo
São Paulo
A sociopatia é um transtorno caracterizado por indiferença à regras sociais, aos sentimentos alheios e por comportamentos impulsivos. Devido à impulsividade e falta de empatia, o sociopata tem dificuldade em manter relacionamentos duradouros. Por outro lado, quando houver interesse, o sociopata consegue se adequar às normas e apresentar comportamento exemplar.

Pessoas com dificuldades em formar vínculos e de se sentirem compreendidas e aceitas por outros podem também demonstrar características semelhantes sem necessariamente possuir o transtorno.

 Nathalia Brandão
Nathalia Brandão
Psicólogo, Psicopedagogo
Rio de Janeiro
Melhor do que diagnosticar ou rotulá-lo com uma sociopatia, é você conseguir se perceber.
Sou a favor sempre de trabalhar aquilo que nos incomoda ou nos causa infelicidade.
Está incomodando? Entao procure ajuda de um Psicologo que vai te ajudar a desenvolver habilidades sociais e te levar a entender o porque da agressividade.

Prezado!
Sugiro que faça uma psicoterapia para você lidar melhor consigo mesmo, desenvolvendo suas habilidades sociais e os sentimentos, melhorando assim sua qualidade de vida!
O acompanhamento médico seria fundamental.
At.
Monica Araujo
Neuropsicologa

Especialistas em Transtorno Da Personalidade Anti-Social

Walker Leonardo Martins Caixeta

Walker Leonardo Martins Caixeta

Psiquiatra

Montes Claros

Andrea Kraft

Andrea Kraft

Psiquiatra

Maringá

Euripedes Ferreira Paiva

Euripedes Ferreira Paiva

Psiquiatra

Uberlândia

Laisa Arruda Pinheiro

Laisa Arruda Pinheiro

Psiquiatra

Manaus

Juliana Diniz

Juliana Diniz

Psicólogo, Psiquiatra

Curitiba

Dr Daniel Munhoz Moreira

Dr Daniel Munhoz Moreira

Médico clínico geral, Psiquiatra

Bauru

Perguntas relacionadas

Você quer enviar sua pergunta?

Nossos especialistas responderam a 49 perguntas sobre Transtorno Da Personalidade Anti-Social

Este valor é muito curto. Deveria ter __LIMIT__ caracteres ou mais.

  • A sua pergunta será publicada de forma anônima.
  • Faça uma pergunta de saúde clara, objetiva seja breve.
  • A pergunta será enviada para todos os especialistas que utilizam este site e não para um profissional de saúde específico.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se ao seu médico/especialista ou provedor de saúde da sua região.
  • Não são permitidas perguntas sobre casos específicos, nem pedidos de segunda opinião.

Iremos utilizá-lo para o notificar sobre a resposta, que não será publicada online.
Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.