mal de Parkinson tem cura?
4 respostas
mal de Parkinson tem cura?
A palavra "cura" está vinculada a um estado onde a pessoa acometida deixa de necessitar de tratamentos médicos para ficar em um estado de completa normalidade fisiológica e clínica, no caso da Doença de Parkinson sempre existirá a necessidade de algum medicamento ou conduta médica que faça o controle da doença, dessa forma não cabe o uso do termo cura para esta patologia.

Tire todas as dúvidas durante a consulta online

Se precisar de aconselhamento de um especialista, marque uma consulta online. Você terá todas as respostas sem sair de casa.

Mostrar especialistas Como funciona?
O mal de Parkinson não tem cura. A evolução da doença acontece apesar da medicação ou cirurgia. O fato de não haver cura não indica que não há tratamento. O mal de Parkinson tem uma sobrevida de 10-20 anos após o diagnóstico da doença. Nesse período o paciente pode ficar extremamente limitado e com péssima qualidade de vida se não tratado. Não deixe de buscar ajuda com neurocirurgião para melhorar sua qualidade de vida!

Poucas doenças tem cura. Diabetes, hipertensão e asma, por exemplo, são doenças que não tem cura. O mal tem Parkinson tem tratamento que quase sempre permite uma vida produtiva e de boa qualidade

No nosso meio atualmente as opções de tratamento ainda apenas aliviam os sintomas (medicações antiparkinsonianas para sintomas motores, anti-depressivos para alterações de humor, sedativos e hipnóticos para distúrbios do sono que também podem ocorrer, etc), reabilitação (como fisioterapia motora) e eventualmente cirurgia (que pode diminuir a necessidade de medicação, mas não curar a doença).

Porém, há uma série de trabalhos visando estratégias diferentes, algumas prometendo melhor manejo dos sintomas ou redução da necessidade de medicamentos (como estimulação da coluna posterior da medula, que já mostrou melhora dos movimentos em modelos animais), outras propondo medicações que diminuem a degeneração neuronal (retardando a evolução da doença), e algumas sugerindo possibilidade de cura (terapia genética com vetores virais, uso de células-tronco, etc), mas ainda são perspectivas para o futuro, e é difícil esperar que revertam sintomas já instalados, e sim que impeçam a progressão.

Especialistas

Werner Garcia de Souza

Werner Garcia de Souza

Neurologista, Neurologista pediátrico, Especialista em medicina física e reabilitação

Piracicaba

João Odulio

João Odulio

Geriatra, Generalista

São Paulo

Maíra Borges

Maíra Borges

Geriatra

São Paulo

Bruno de Mattos Lombardi Badia

Bruno de Mattos Lombardi Badia

Neurologista

São Paulo

Silvana Oliveira e Silva Moreira

Silvana Oliveira e Silva Moreira

Geriatra, Médico clínico geral

Florianópolis

Mariana Sepulvida

Mariana Sepulvida

Geriatra, Médico clínico geral

São Bernardo do Campo

Perguntas relacionadas

Você quer enviar sua pergunta?

Nossos especialistas responderam a 145 perguntas sobre Doença De Parkinson

Este valor é muito curto. Deveria ter __LIMIT__ caracteres ou mais.

  • A sua pergunta será publicada de forma anônima.
  • Faça uma pergunta de saúde clara, objetiva seja breve.
  • A pergunta será enviada para todos os especialistas que utilizam este site e não para um profissional de saúde específico.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se ao seu médico/especialista ou provedor de saúde da sua região.
  • Não são permitidas perguntas sobre casos específicos, nem pedidos de segunda opinião.

Escolha a especialidade dos profissionais que podem responder sua dúvida
Iremos utilizá-lo para o notificar sobre a resposta, que não será publicada online.
Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.