Qual diagnostico diferencial entre Parkinson e Esclerose Múltipla?

3 respostas
Qual diagnostico diferencial entre Parkinson e Esclerose Múltipla?
Olá! As duas são doenças bem diferentes: Esclerose múltipla, na maioria das vezes, acomete mais mulheres jovens, causando "surtos" de fraqueza muscular, formigamento, alterações visuais. O exame de ressonância mostra lesões cerebrais e até medulares.

Parkinson acomete mais pessoas em idade pouco mais avançada, em geral, gerando sintomas mais lentamente progressivos, com lentidão de movimentos, rigidez muscular, dificuldade de marcha e na maioria das vezes o tremor em repouso.

Grande abraço!

Tire todas as dúvidas durante a consulta online

Se precisar de aconselhamento de um especialista, marque uma consulta online. Você terá todas as respostas sem sair de casa.

Mostrar especialistas Como funciona?
As 2 condições são bem diferentes, apesar de teoricamente ser possível de ocorrer lesões da esclerose múltipla que podem cursar com parkinsonismo. O neurologista deve avaliar criteriosamente com um exame físico detalhado, um história clinica completa e analisar com cuidado a ressonância para chegar a conclusões.
Imagino que sua dúvida seja o que é usado para diferenciar essas duas doenças, e isso encompassa:

- Os sintomas (D. Parkinson tem tremores de repouso, lentidão dos movimentos, rigidez e desequilíbrios, enquanto Esclerose Múltipla tem déficits focais, o que significa perda de alguma atividade neurológica - visão, equilíbrio, força de um braço ou perna, etc),
- A evolução (D. Parkinson é lentamente progressiva, enquanto a maioria das formas de esclerose múltipla ocorre como "surto-remissão", o que significa que são episódios de instalação rápida de um déficit - perda súbita de força, de coordenação motora, etc - retornando depois, talvez não por completo,
- Os exames (excetuando cintilografia com trodat-1 - exame novo no nosso meio, dispendioso e nem sempre necessário - não existem exames específicos para D. Parkinson, e o diagnóstico é clínico. Na Esclerose Múltipla, há lesões cerebrais e/ou medulares na ressonância, alterações no líquor, etc).

Um abraço!

Especialistas

Kleiton de Barros Borges

Kleiton de Barros Borges

Neurologista

Recife

Erika De Oliveira Hansen

Erika De Oliveira Hansen

Médico clínico geral, Geriatra

Belo Horizonte

Laísse Leite Ribeiro

Laísse Leite Ribeiro

Neurologista

Belo Horizonte

Fabio Garani

Fabio Garani

Geriatra

Londrina

Lisiane Ganassin

Lisiane Ganassin

Neurologista

Florianópolis

Thiago Cezar Rocha Azevedo

Thiago Cezar Rocha Azevedo

Médico clínico geral

Recife

Perguntas relacionadas

Você quer enviar sua pergunta?

Nossos especialistas responderam a 180 perguntas sobre Doença De Parkinson
  • A sua pergunta será publicada de forma anônima.
  • Faça uma pergunta de saúde clara, objetiva seja breve.
  • A pergunta será enviada para todos os especialistas que utilizam este site e não para um profissional de saúde específico.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se ao seu médico/especialista ou provedor de saúde da sua região.
  • Não são permitidas perguntas sobre casos específicos, nem pedidos de segunda opinião.
  • Por uma questão de saúde, quantidades e doses de medicamentos não serão publicadas.

Este valor é muito curto. Deveria ter __LIMIT__ caracteres ou mais.


Escolha a especialidade dos profissionais que podem responder sua dúvida
Iremos utilizá-lo para o notificar sobre a resposta, que não será publicada online.
Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.