Sou mãe de duas meninas. 11 e 2 anos! Nesse ano de pandemia minha filha mais velha começou a assisti

30 respostas
Sou mãe de duas meninas. 11 e 2 anos! Nesse ano de pandemia minha filha mais velha começou a assistir desenhos japonês e se sente diferente porque nenhuma das amigas gostam. Ela diz ser diferente. Agora está começando a fazer perguntas sobre a prima que é homossexual, percebi interesse dela por conhecer a História da prima. Como lidar com isso?
Olá!
11 anos, de forma geral, é um momento bem delicado de transição entre a infância e a adolescência, o que significa que várias questões vão sendo apresentadas, como essas que você colocou: o que eu gosto de assistir? o que meus grupos de amigos gostam? quais as expectativas deles quanto ao meus gostos e a relevância que isso tem para mim? ( busca de uma identidade de grupo). Também é uma fase de desenvolvimento em que a escolha sexual começa a aparecer (e uma curiosidade que até então estava um pouco adormecida). Você como mãe vai se deparar com muitos desafios nesse processo de transição e todas as mudanças que estão por vir. Talvez você conseguir lidar com essa angústia de se deparar com comportamentos que até então sua filha não tinha seja um passo importante. Vejo bons resultados em pais que durante esse processo de entrada de seus filhos na adolescência buscam psicoterapia.

Tire todas as dúvidas durante a consulta online

Se precisar de aconselhamento de um especialista, marque uma consulta online. Você terá todas as respostas sem sair de casa.

Mostrar especialistas Como funciona?
Bom dia!
Oriento como mãe buscar ter sempre um espaço de dialogo bem aberto com a sua filha. Esse é um momento de muitas mudanças tanto físicas como emocionais, o que podem desencadear sentimentos de insegurança.
Que bom que ela compartilha com você tudo isso!
Em relação ao desenho é compreensível a vontade de que as amigas gostem do mesmo desenho que ela. Isso gera um sentimento de pertencimento. Tudo que eles buscam nessa idade.
No entanto acredito ser importante uma boa conversa com a sua filha, podemos gostar de atividades, desenhos diferentes. Isso nos torna autênticos e não diferentes.
Em relação a curiosidade sobre a história da prima, vem aí mais um desafio pois é o momento onde a curiosidade sexual começa a desabrochar.
Caso esteja tendo muita dificuldade para lidar com todos esses questionamentos e demandas sozinha, busque uma terapia para sua filha onde ela possa explorar tudo isso e se sentir mais segura!
Propiciar um espaço de confiança é de extrema importancia para que ela possa expressar o que sente, sem medo. Estimular a autoestima através de reflexões sobre a importância das diferenças para o desenvolvimento de uma sociedade mais rica seria muito interessante. A terapia ajuda nessa caminhada e na moderação desses diálogos.
Primeiramente, é importante entender que por volta dessa idade inicia-se a etapa de transição da infância para a adolescência e, consequentemente, o desenvolvimento da própria sexualidade. Neste período ocorrem várias mudanças no corpo, nos comportamentos e nos relacionamentos sociais. É absolutamente comum o surgimento de dúvidas, ansiedades, medos e incertezas. Por isso, o diálogo honesto e aberto se faz tão importante. Caso você esteja enfrentando dificuldades para abordar qualquer assunto com sua filha, busque suporte na psicoterapia.
Olá! Com a mesma naturalidade que você lidaria caso ela falasse sobre meninos. Orientação sexual não é um problema. O problema é o preconceito. Isso pode ser tratado. E tratado sem se condenar por isso, pois, historicamente, é muito fácil que haja estimulação para o preconceito. Saúde mental tem haver com o que chega mais próximo ao fluir consigo e com os outros, com respeito e bondade consigo e com os outros. Um abraço!
Olá! Sua filha gostar de desenhos japonês, é só uma preferência. Normalmente oriento os pais a entrar no mundo dos filhos naturalmente, assista esses desenhos com sua filha, pergunte sobre a história participe é uma forma de entender melhor porque ela gosta tanto. É uma fase de descobertas mas junto as descobertas vem também as dúvidas e incertezas.
Sugiro que busque ajuda para para deixá-la mais confortável e confiante nesta reaproximação com sua filha participando deste momento tão bonito e tão delicado da sua filha.
Durante a adolesência é normal ter a necessidade de aprovação e de pertencimento do grupo/pares da mesma idade.O fato dela ser diferente não é ruim,e precisa ser trabalhado de que todos tem sua individualidade e particularidades.Quanto as questões de sexualidade,é importante ser conversado de forma tranquila respodendo as dúvidas e orientando sobre sexualidade e suas diferentes manifestações como algo normal.Caso tenha dificuldades em lidar com isso,sugiro buscar orientação com psicólogo.
Bom dia!!
Dai a importância dos pais estarem sempre interagindo com os filhos e estarem sempre atentos ao mundo da criança. importante vc estar neste dialogo, para que ela possa buscar as respostas dentro do contexto familiar, todo suporte e resposta cabe a vc, é neste vinculo que vc irá gerar a confiança, pois a adolescência é a fase de questionar o mundo, existe muita curiosidade, desconfiança e insegurança, gerar um jovem consciente faz parte de obter certas respostas.
Bom dia!
Assista com ela esses desenhos, para puder conversar com ela sobre eles, dai você poderá descobrir o interesse dela sobre o assunto e saber lidar melhor, sem julgamentos.
Abraços.
É uma oportunidade de se aproximar dela, assistir aos desenhos juntas, conversar sobre os personagens, entender as preferências dela. Aos 11 anos é um período de transição onde ela está começando a se dar conta da própria sexualidade é consequentemente surge o interesse geral pelo assunto.
Olá! Como vai? Este é um momento muito delicado para pais e filhos, ambos estão se deparando com algo novo! As mudanças físicas e emocionais na adolescência, geram muitas inseguranças, poi isso é muito importante que os pais demonstre interesse em ver filmes e desenhos juntos, isso trará ao jovem a sensação de pertencimento!
Sugiro que você abra mão de qualquer reinvindicação ou julgamento e, procure ajuda de um profissional psicólogo, para te dá suporte neste momento tão delicado!
Olá! Essa etapa do desenvolvimento é geralmente marcada pela descoberta de vocações e satisfações, o que envolve, necessariamente, o intercâmbio com outros grupos nos quais a jovem pode identificar onde poderá estabelecer trocas e confiar em seus pares. Ao perceber que seu grupo de colegas não gosta de algo que lhe é importante, abre-se espaço para a pergunta "onde posso buscar pessoas que compartilhem desse prazer"? Pode ser interessante mostrar a ela que diferentes grupos podem acolher diferentes aspectos da mesma pessoa: um grupo de colegas não precisa acolher todos os traços de personalidade dela, o que pode impulsioná-la a fazer relações mais plurais. A curiosidade pela sexualidade é algo presente desde a mais tenra idade, tomando um plano mais central na medida em que o sujeito adentra a adolescência. O diálogo e a escuta aberta sempre serão a postura mais adequada. Não é uma postura fácil de se assumir, sabemos. Para isso, conte com profissionais de confiança que possam também lhe ouvir e lhe auxiliar nesse processo.
Olá, boa tarde! Sua filha de 11 anos está passando por uma fase normal em seu desenvolvimento emocional, enquanto busca definir os seus novos gostos, como os desenhos, ela forma uma nova identidade, pela qual buscará validação, e mesmo que as amigas não tenham os mesmos gostos, ela pode achar companhias mais parecidas com ela, ou ainda, vir a aceitar as diferenças entre as amigas. Como mãe, é importante que aceite essa transição de interesses de sua filha, ainda que não sejam os seus interesses, e que mostre para ela o quanto às pessoas são diferentes, para ajudá-la a aceitar as próprias diferenças que habitam nela. As dúvidas acerca da sexualidade também são comuns antes da adolescência, e se estas conversas a deixam com vergonha, ou receosa, é útil saber que um acompanhamento com um(a) psicólogo(a) poderia te auxiliar a compreender e a lidar com as mudanças de sua filha.
Na pré-adolescência por volta de 12 anos é a fase onde começa a surgir o interesse pelo sexo. Nessa fase, podem confundir identificação sexual com atração sexual. O ideal é que os pais mantenham uma relação de confiança e respeito com os filhos, buscando sempre o diálogo e respeito desde cedo, sendo capazes de aprender a lidar com a diversidade e o preconceito que existe no mundo.
Mãe, você é mãe de duas meninas... uma já está abrindo (no bom sentindo) o caminho para outra; quero dizer, você já estará mais preparada para quando chegar a vez da pequena nesta fase.
Você percebe que sua filha confia em você para compartilhar este turbilhão de curiosidades e perguntas que vem surgindo diariamente? Aproveite, então, para antes de conversar com ela, saber do que se trata estes desenhos, como é a relação dela com as amiguinhas, como está a autoestima, o nível de pertencimento deste grupo de relacionamentos que tem.
Quanto ao interesse na prima, de alguma maneira ela escutou vocês pais conversando, ou a própria prima levou alguma situação que viveu... e sua filha está na fase das perguntas, descobertas, interesses (aqui parece-me que é curiosidade apenas) mas, para amenizar sua preocupação e angústia, vocês irem para um processo terapêutico irá ajudar muito. Pra você como saber lidar com tudo isso e o pai da criança também poderia participar e da criança ajudar a explorar mais estes conteúdos trazendo-lhe respostas claras e leves.
Psicoterapia é muito bom para todos!
Olá ,
Nessa fase de transição da infância para a adolescência ocorrem diversas mudanças no corpo, nos comportamentos e nas relações interpessoais, por vezes, se torna uma fase de inseguranças, medos, incertezas e curiosidades. É muito importante que os pais/ responsáveis proporcionem uma relação de confiança e respeito, estar aberta para o dialogo pode ajuda- lá a enfrentar algumas dificuldades da sua fase. Mas, se ainda assim perceber que está enfrentando dificuldades para lidar com as demandas que sua filha traz busque psicoterapia para ambas.
Bem vamos lá...muito interessante e importante sua filha, nesta idade de tantas descobertas, conseguir se abrir a você mãe...um grande caminho que pode ser criando sem julgamentos de quaisquer natureza, mas sim já te aconselhando uma escuta atenta e doce, digamos assi...aproveite. Com relação ao cinema ou filmes orientais, essa curiosidade e interesse de sua filha, pode ter a haver com algo que pode se passar na sua mente ou fatos reais aos que ela procura entender...a cultura oriental tem muito haver com a vergonha, em todos os sentidos, assim como, por ex. a autoridade...este símbolo de autoridade que são completamente diversos da nossa cultura oriental. Então essa aproximação à sua filha é muito importante para tentar entender quais são as suas questões. E se te for difícil, ou se para vocês for difícil, acredito e aconselho a psicoterapia, onde você em certos momentos separadamente da sua filha, ou juntas, tudo dependendo do que vai acontecendo poderão haver esclarecimentos e grandes insights de ambas as partes. Estou a disposição.
Que família plural e interessante você tem! Que filha curiosa e ligada a outras culturas! A diversidade de culturas cria respostas que a nossa cultura não tem para certos questionamentos.

Sugiro que você busque terapia para você, você tem que buscar as respostas primeiro pra depois oferta-las pra sua filha. Talvez a sexualidade da prima seja um problema ainda pra você enquanto mulher adulta e para sua família. Daí complica ajudar sua menina! Estou aqui para ajudá-la!
A melhor forma de lidar com isso é a naturalidade. Explore com ela os questionamentos que ela traz, quais são suas curiosidades. Valide sua curiosidade e busque se conectar com a forma como ela se sente. A curiosidade é algo natural e pode ser um bom caminho para estabelecer com ela uma comunicação aberta e de confiança. Qualquer dúvida que tenhas, fico à disposição para conversarmos!
Olá, mãezinha!
Acredito que já tenha resolvido essa questão do seu jeitinho.
O que eu poderia te sugerir é, sana a curiosidade da sua filha, isso não vai afastar ela de você, muito pelo contrário.
Conhecer o outro, não significa que tenho interesse naquilo, ainda não é tempo de afirmar nada, mas porque não dar a ela a oportunidade de conhecer? Pensa nisso.
Se na relação de vocês existe abertura pro diálogo, converse com ela sobre o que ela quer saber a respeito da prima, explique o que você se sentir confortável. E sobre ela ter interesse por desenhos japoneses, é interessante saber como ela se sente ao gostar de coisas diferentes das amigas. É um caminho de aceitação ser diferente, e ser diferente pode ser muito legal, pode inclusive ajudá-la a fazer novas amizades. Abraço!
Olá, responda na medida em que ajude a curiosidade da sua filha. Essa a fase é um momento de descoberta e questões relacionadas a sexualidade fazem parte desse momento na pré adolescência. Abraço,
Olá! Nessa fase de transição da infancia para adolescencia é comum surgirem novos interesses e tentar se encaixar em um grupo de amizades que compartilhem desses interesses. Além disso é um momento de grande descoberta e desenvolvimento da individualidade e para que isso ocorra da melhor maneira possível é importante ter um diálogo aberto e livre de julgamentos e respeitar os limites que o jovem quer estabelecer nas relações parentais.
Olá ...
primeiro calma, procure sempre ter um espaço de dialogo bem aberto com a sua filha. Depois esse é um momento de muitas mudanças tanto físicas como emocionais.
Caso esse assunto ainda lhe traga alguma duvida, desconforto em como lidar, busque ajuda de um psicólogo.
Olá! Minha recomendação é lidar naturalmente com a situação e conversar com suas crianças usando palavras simples para que elas possam entender e compartilhar as dúvidas delas com você.
Olá, boa noite. Imagino que acompanhar o processo de desenvolvimento dos filhos seja desafiador, e momentos como esse, onde a sexualidade e novos campos da vida são explorados pelos pequenos, podem despertar diversas dúvidas nos pais. Contudo, sugiro tentar levar esta situação com a maior naturalidade possível, só de sua filha ter abertura para perguntar a ti sobre esses assuntos já é um bom indicativo. Sente e converse com ela, tire as dúvidas de sua filha sem julgamentos, de modo que ela encontre em você o suporte necessário para ser quem se é. Neste momento, ela pode estar querendo descobrir novas possibilidades no mundo e ela conhecer através de você pode ser uma ótima oportunidade para as duas se conhecerem melhor. Esta é uma aventura nova para ela e para ti, o importante é vivê-la com respeito mútuo e cuidado. Caso sinta a necessidade busque apoio psicológico, pode ser de grande ajuda, tanto para sua filha, quanto para você mesma. Um abraço :)
Possibilite um espaço para que ela possa se expressar a partir das vontade que ela vem conhecendo, você descreveu que ela buscou desenho que ela gosta e tem feito perguntas sobre a sexualidade da prima, isso é potente e saudável, questionar, descobrir o que gosta e poder se expressar! Se você se sente insegura observando a diferença dela, é importante buscar um espaço para te fortalecer e te orientar nesse cuidado. A terapia pode te ajudar a você mesma se expressar, sua filha irá aprender muito observando como você lida com a vida! Estou à disposição, grande abraço
Trabalhe com sua filha a relação de vocês, a comunicação, seja sincera, não esconda nada. Ela está na fase da pré-adolescência, a adolescência é o chamado "segundo nascimento", fase de curiosidades, descobertas, explorar e conhecer o mundo ao seu redor, ela está querendo conhecer seu mundo, seus familiares. o fato dela gostar de ver desenho japonês e as amigas não, não a faz diferente delas, apenas é um gosto que ela tem particular (gosto diferentes das amigas). Ela está na fase de autoconhecimento, incentive ela, converse, dê bastante atenção. Espero ter te ajudado.
Como psicólogo e também como pai, o diálogo com seus filhos devem se sobrepor a qualquer outra pessoa. A confiança que sua filha deposita em você é muito grande, e é uma oportunidade para estreitar a afinidade entre as duas. Esta confiança irá praticamente impedir que ela se posicione com terceiros. Monitore os assuntos que ela acessa na internet. Existem muitos sites perigosos que induzem as crianças e jovens a ver todas essas mudanças que vêm ocorrendo na sociedade como algo extremamente natural. Ela poderá achar tudo isso natural, mas dentro de uma idade em que já consiga discernir sobre estas questões. Não abra mão da oportunidade de ensina-la e aprender com ela.
Ao que você se refere como "isso"? à curiosidade sexual de sua filha? Esteja aberta para que sua filha se sinta confiante e segura para conversar sobre suas dúvidas e gostos particulares. Ela buscou você como canal para saber sobre sexualidade (a história da prima), então ela demonstra que se sente segura para falar sobre isso com você. Atente-se ao SEU sentimento quanto a isso, pois senti receio e ansiedade de sua parte para lidar com a situação.
Não estou afirmando que é simples, mas sim que será de grande ajuda, para que você possa proporcionar um espaço necessário a sua filha, no qual ela se sinta aceita e acolhida caso precise. A chegada da pré-adolescência traz consigo mudanças físicas e psicológicas. Além das mudanças físicas, sensações (por exemplo, fome e sono aumentados) resultado do aumento na produção de hormônios típico dessa fase, há também - e por consequência - a descoberta da sexualidade. Com ela surgem as dúvidas, curiosidades e vontades (descoberta da libido). Sua filha questionar sobre a vida de uma parente homossexual não indica nada além de curiosidade pelas diversas maneiras de sentir e vivenciar essa tal sexualidade que lhe está batendo à porta. Além disso, ao dizer que se sente diferente ela demonstra que quer descobrir o que lhe faz sentido, o que a deixa feliz e o que a faz sentir que é certo para ela. Observe, esteja aberta para ela e dialoguem. Por ser uma idade de confusão natural, o adolescente sente dificuldade em definir e explicar o que sente. Estreitar a relação e afinar o diálogo franco vai ajudar a vocês. Pergunte a ela oque faz dela (na opinião dela) diferente das amigas, e etc.

Especialistas

Marina Daipré Targa Fernandes

Marina Daipré Targa Fernandes

Psicólogo

Sorocaba

Paula B. May

Paula B. May

Psicólogo

Caxias Do Sul

Fernando Lino

Fernando Lino

Psicólogo, Psicanalista

Goiânia

Agendar uma visita
Giovanna Munhoz Ohara

Giovanna Munhoz Ohara

Psicólogo

Botucatu

Renata Camargo

Renata Camargo

Psicólogo

Camaquã

Luis Falivene Roberto Alves

Luis Falivene Roberto Alves

Psiquiatra

Campinas

Perguntas relacionadas

Você quer enviar sua pergunta?

Nossos especialistas responderam a 84 perguntas sobre Dificuldades no relacionamento
  • A sua pergunta será publicada de forma anônima.
  • Faça uma pergunta de saúde clara, objetiva seja breve.
  • A pergunta será enviada para todos os especialistas que utilizam este site e não para um profissional de saúde específico.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se ao seu médico/especialista ou provedor de saúde da sua região.
  • Não são permitidas perguntas sobre casos específicos, nem pedidos de segunda opinião.
  • Por uma questão de saúde, quantidades e doses de medicamentos não serão publicadas.

Este valor é muito curto. Deveria ter __LIMIT__ caracteres ou mais.


Escolha a especialidade dos profissionais que podem responder sua dúvida
Iremos utilizá-lo para o notificar sobre a resposta, que não será publicada online.
Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.