Dificuldades no relacionamento - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Especialistas em dificuldades no relacionamento

Encontre um especialista em Dificuldades no relacionamento na sua cidade:
Karine Resende Dornas

Karine Resende Dornas

Psicólogo

Carmo Da Mata

Ana Barros

Ana Barros

Psicólogo

Castanhal

Tatiane Neves Nascimento

Tatiane Neves Nascimento

Psicólogo

Barueri

Jacqueline R. C. De Moura

Jacqueline R. C. De Moura

Psicólogo

São José dos Campos

Maristela Zander Gonzalez

Maristela Zander Gonzalez

Psicopedagogo

Porto Alegre

Valdineia Armando

Valdineia Armando

Psicólogo

Barueri

Perguntas sobre Dificuldades no relacionamento

Nossos especialistas responderam a 49 perguntas sobre Dificuldades no relacionamento

Olá, talvez seria melhor você iniciar um tratamento com um psicólogo, a terapia iria te ajudar nessas questões, e fazer você se compreender melhor.
10 respostas

 Fabrício Pereira Masse
Fabrício Pereira Masse
Psicanalista, Terapeuta complementar
O correto mesmo seria que ambos participassem de uma terapia conjunta, mas dependendo do estado, pode ser que ele não aceite.
Indico que vocês mudem um pouco a rotina, preparando um jantar…
7 respostas

O ideal seria que ela buscasse um psicólogo, para entender o porque dessa baixo auto estima e tentar reverter a situação.
Vale ressaltar que o aumento da auto estima dela não garante a…
6 respostas

Especialistas falam sobre Dificuldades no relacionamento

Na psicanálise, o paciente traz suas dificuldades de relacionamento e pode descobrir qual sua parcela de responsabilidade nos desencontros com as pessoas de sua convivência. Repetimos, com frequência, padrões e escolhas de parceiros que trazem muito sofrimento. Descobrir o motivo dessas repetições é o primeiro passo para melhores relações, que tragam maior satisfação e prazer. Trazemos da nossa infância "verdades" sobre quem somos e sobre os outros, dificuldades oriundas das relações com nossos pais e irmãos. Baixa auto estima, ciumes, orgulho,competição, insegurança, além das diferenças, aparecem nas relações interpessoais e podem ser trabalhadas no processo de análise.

Deborah Mantovani Machado

Psicanalista, Psicólogo

Belo Horizonte


As muitas variáveis presentes na união de um casal podem passar despercebidas, acarretando embaraços futuros. O projeto Oficina Vivencial Construindo Um Relacionamento Feliz visa elucidar os aspectos psíquicos envolvidos na relação de casal e propor soluções para as dificuldades que este possa apresentar. É destinado a todos os casais (namorados, noivos, recém-casados ou unidos há tempos) que desejem aprimorar sua relação. Ao final da Oficina (sessões de 2 horas, 1 vez ao mês com, somente, um casal por atendimento),espera-se que os dois estejam conscientes do que desejam para o relacionamento, da influência da família de origem e tracem estratégias para resolver suas demandas mais imediatas.

Ivana Rocha

Psicólogo

Belo Horizonte


Podemos citar vários exemplos, casamentos por aparências, festas acompanhadas de frustração e tristeza, por considerar sua vida vazia, que “falta algo”. O desgaste emocional na tentativa de “apresentar ser muito mais, do que se é ou têm”, se torna prisioneiro. Muitas vezes acompanhada da falsa sensação de liberdade, pois toda vez que estiver sozinho com seus pensamentos, a dúvida, a incerteza e a necessidade de ser compreendido aparecerá. Pessoas que vivem nessa busca de aprovação e reconhecimento sofrem tanto quanto qualquer outro problema psicológico. Não podemos delimitar e mensurar a dor baseada somente no que se vê mais agressivo ao ego, mas se difere na forma.

Cleunice Paez Borges

Psicólogo

São Paulo


Relacionamento com outra pessoa é algo delicado, seja amoroso, família, amigos ou no trabalho. É preciso explorar a causa da dificuldade para identificar o é preciso aprender, desenvolver, melhorar de habilidades relacionamento.

Juliana Rezende Ferreira

Psicólogo

Belo Horizonte


Após o período da paixão, do encantamento inicial, o relacionamento entra em contato com a realidade. Outros elementos entram na história, e fazem com o casal traga insatisfações e frustrações para o ambiente afetivo. A grande dificuldade é conciliar as diferenças e formas com que cada um lida com seu espaço e necessidades. Imprescindível a cada um, identificar que não pode desejar que o outro seja o responsável por sua felicidade. O preenchimento é interno, pesado para qualquer um ter que corresponder o tempo todo à expectativa do outro. Lidar com a frustração de maneira sadia é reconhecer que cada um vai dar o que é capaz, dentro de seu próprio universo emocional. Tudo o mais é exigência.

Rita K. A.costa

Psicólogo

São Paulo


Sabia que um bom relacionamento interpessoal é o resultado de um bom relacionamento intrapessoal? Ou seja, reflexo da forma como nos relacionamos com nós mesmos. Se internamente estamos bem-resolvidos com nossas questões pessoais e profissionais, nossas relações exteriores tendem a ser melhores também. Por outro lado, quando algo, em nossa mente ou coração, não vai bem e padecemos de algum tipo de dor emocional acabamos refletindo este mal estar na forma como tratamos as outras pessoas e a nós.

Anderson Faria Garcia

Psicólogo

Uberlândia


Inteligência emocional é a capacidade de usar as emoções a seu favor e a favor de seus objetivos. Algumas vezes as pessoas reagem de forma desmedida às coisas e isso traz consequências ruins. Interpretam a realidade de forma errada e não percebem que podem fazer escolhas. Um padrão de relacionamento ou um comportamento pode ser elaborado e transformado. Os encontros terapêuticos mediam a escuta e promovem encontros verdadeiros. Técnicas comportamentais e inventários de personalidade podem ser ferramentas relevantes.

Betânia Tassis

Psicanalista, Psicólogo

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

Existe um mito sobre o amor. O mito de "Ser um" com seu parceiro ou parceira. Muitas vezes atribuído com a máxima do ato sexual. Porém, o corpo que desfruta da presenta de outro corpo e suas subjetividades só consegue absorver aquilo que pertenci a si mesmo, com seus sentidos e seu psiquismo. Não é possível absorver o que o outro sente, porque não se tem o poder de sentir pelo outro. O que pode acontecer é de traduzirmos o que pode ser que o outro sinta. E na tentativa de traduzir o que se passa, seja no amor, nas amizades, nas relações em geral, a pessoa acaba por passar por um funil de dúvidas: O que você quer de mim? Sendo necessário separar o que é fantasia e o que é realidade.

Leandro Winter

Psicanalista, Psicólogo

Curitiba


Um dos desafios sempre presentes ao conviver com outras pessoas: frequentemente surgem dificuldades em se relacionar com o outro, seja um cônjuge, um colega de trabalho, um amigo ou familiar. A psicoterapia comportamental pode auxiliar a descobrir como se dão as suas relações em diversos níveis, observando como o paciente se coloca diante do outro, como se sente, como pensa, como o outro reage, quais são os limites de cada um dentro de uma relação. O paciente passa a se conhecer melhor e pode agir com maior assertividade, se adequando com maior flexibilidade às necessidades de cada relação que vive, sempre respeitando seus valores, necessidades e individualidade.

Viver é fácil, o difícil é conviver! Existem alguns fatores que dificultam o relacionamento humano: 1- Nós projetamos nos outros aquilo que não toleramos em nos mesmos, assim colocamos a característica inaceitável que ha em nós nos outros e esta dinâmica mina as relações; 2-cada pessoa tem uma criação diferente, interesses diferentes, habilidades diferentes, genética diferente, necessidades diferentes... Por isso quando estamos numa relação fazemos acordos inconscientes que entram em conflito e dificultam a relação; 3-As pessoas são únicas e singulares, por isso extraordinárias e todos querem receber tal reconhecimento, este é nosso ego que está sempre insatisfeito. Um abraço.

Léa Michaan

Psicanalista, Psicólogo

São Paulo

Agendar uma visita

As dificuldades no relacionamento, muitas vezes, podem ser decorrentes da nossa baixa auto estima, entre outros fatores. Nos meus atendimentos, juntamente com o cliente, investigamos e avaliamos, desde o primeiro atendimento, o nível da auto estima que o comportamento dele reflete. A partir disto, focamos na compreensão dos quesitos que a comprometem, trabalhando no sentido de fortalecer os pontos responsáveis pelo desenvolvimento de uma auto estima saudável. Uma auto estima saudável abre portas para o relacionamento consigo mesmo, com o outro e com o mundo que nos cerca.

Aconselhamento junto as mudanças ocorridas nos relacionamentos e no trato com as pessoas, sejam relacionamentos afetivos ou não.

Daniela Sarmento

Psicólogo

Rio de Janeiro


As dificuldades de relacionamentos estão cada vez mais trazendo prejuízos sociais e profissionais as pessoas, sejam dificuldade gerais, específicas e principalmente interpessoais (familiar, amoroso, amizades e etc..). Com as técnicas da terapia cognitivo-comportamental, conseguimos chegar mais próximo dos pensamentos(crenças), auxiliando no comportamento para que o indivíduo aprenda a lidar, reestruturar e ressignicar tanto os pensamentos quanto os comportamentos isso ocorre gradativamente às vezes é necessária a medicação, mas muitas vezes a própria intervenção de um psicólogo e o querer do próprio paciente já são necessárias para o progresso.

Podemos dizer que as pessoas que não estabelecem vínculos afetivos têm uma dificuldade originada na formação de sua personalidade. Elas possuem mecanismos para se defender do envolvimento que lhes parece muito ameaçador. São pessoas que não têm paciência para conviver com as diferenças. Falta-lhes paciência, tolerância ou mesmo humildade para conviver com intimidade. Tem medo de sofrer, de ceder, de ter que dividir o espaço, os momentos. Por meio da terapia, compreendendo a própria história e os fatores que o levaram a se defender tanto de um relacionamento, é possível mudar este padrão. É possível experimentar as relações de outra forma, diferente daquela que aprendeu em sua formação.

Durante o processo existencial, estabelecemos as metas de acordo com as reais necessidades ou mesmo para suprir as carências afetivas. Estar em um relacionamento é um processo contínuo de idas e vindas e muitas vezes passamos por situações que nos afetam muito negativamente e nos torturamos pelo arrependimento de ter investido tanto em determinada situação ou pessoa. A mágoa é um sentimento que corrói, pela dor de termos sido feridos. Entre acertos e desacertos procuramos a terapia numa tentativa de conhecer melhor o que sentimos e renovar as diretrizes, podendo assim encontrar novas saídas e diminuir o sofrimento adquirido por não saber como lidar com as situações cotidianas.

Rejane Dos Santos Magalhães Sá

Psicólogo

Praia Grande


Bastam 2 ou 3 meses convivendo com alguém e, pronto: temos uma primeira discussão. Com o passar do tempo, as discussões acabam ficando constantes e o relacionamento pode até se romper. Por que isso acontece? Muitas são as respostas. O psicólogo especialista no tratamento do casal pode abordar desde problemas específicos (como por exemplo, ciúme, traição, interferência de terceiros) até situações traumáticas trazidas da infância ou adolescência. Em cada caso, ele ajuda os pacientes a compreenderem as causas do conflito e a desenvolverem habilidades capazes de solucionarem a dificuldade. Para isso, faz uso de técnicas dinâmicas e propõe exercícios que agilizam todo o processo.

Joseane De Avellar Passarella

Psicólogo

Juiz de Fora


Relacionamentos são dos temas mais recorrentes na clínica, especialmente os amorosos. Os tipo de dificuldade são vários: dependência excessiva do parceiro amoroso, ciúme doentio, violência, abusos psicológicos, entre muitos outros. Uma característica muito comum nos problemas de relacionamento é o abandono dos próprios desejos para satisfazer o desejo do outro: pessoas que deixam de fazer o que realmente querem para não correr o risco da perda do relacionamento. E ao abrir mão do próprio desejo, as pessoas ficam tristes, ansiosas, podendo ficar deprimidas. Para esses casos, é preciso descolar a pessoa da dependência do parceiro e fazê-la assumir e pagar o preço dos seus próprios desejos.

Bernardo Caldeira

Psicanalista, Psicólogo

Belo Horizonte

Agendar uma visita

O tratamento consiste em identificar e avaliar os pensamentos, regras e crenças que atrapalham dizer não, fazer críticas construtivas, expressar sentimentos e a manter o auto-respeito. Avaliamos as habilidades para fazer comentários sem julgamentos, a colocar-se no lugar do outro por meio dos princípios da Comunicação Não-Violenta e da Escuta Ativa, que ajuda a entender e considerar o ponto de vista do outro deixando seus pensamentos temporariamente de lado. Ensinamos como sair de impasses adotando a linguagem das necessidades não-atendidas e como negociar a partir dessas necessidades. Ensinamos também técnicas de Atenção-Plena, de Regulação Emocional e Tolerância ao Mal-Estar.

Fábio Fonseca

Psiquiatra

Campinas


As dificuldades nos relacionamentos são constantes dentro da clínica de um psicólogo, alguns casais procuram se entender ou melhorar o convívio de uma maneira geral no seu dia-a-dia, portanto, recomenda-se terapia para casais de todos os sexos e com as mais diversas questões. Ir a terapia pensar sobre essas questões é uma maneira de evoluir, renovar, tolerar, suportar e dar um bom encaminhamento para aquilo que precisa ser colocado em ordem. Muitas vezes os casais procuram a terapia para realizar um término saudável de relacionamento ou até mesmo para suportar e conduzir os dias após uma separação. Fazer terapia é a possibilidade de entender o que pensamos e escolhemos para nossa vida.

Daniel Rodrigues Da Silva

Psicanalista, Psicólogo

Araraquara

Agendar uma visita

Atendimento direcionado a casais, com fundamentação na perspectiva da Terapia Familiar Sistêmica. É a teoria que entende o casal como sendo um sistema, onde o que acontece na relação é o resultado de ações conjuntas, pois os dois formam o todo/o casal. Quando observados individualmente, os componentes da relação são também vistos como parte de um mesmo funcionamento. Portanto, a relação é o resultado da soma de parte do eu de um e parte do eu do outro, de modo que ela se constitui por meio dessa junção. A terapia de casal proporciona uma autopercepção, facilitando a identificação do papel de cada um na relação, o que possibilita a mudança e o entendimento.

Luciana Melo Da Rosa

Psicólogo

Fortaleza


Tratamento psicanalítico da tendência ao isolamento social e das dificuldades de criar e cuidar dos vínculos afetivos.

Elton Souza

Psicanalista, Psicólogo

São Paulo


Os relacionamentos na vida adulta somente vem a confirmar as questões bem ou mal resolvidas que tivemos na vida infantil. Nossos relacionamentos costumam acontecer como extensão das relações que tivemos com a família original. Uma criança que recebe amor, introjeta este sentimento, e na vida adulta, sente que tem muito a oferecer. Na relação com nossos familiares adquirimos hábitos comportamentais mais ou menos saudáveis. Ao analisarmos a história de alguém que não consegue se vincular afetivamente, encontraremos motivos que o fizeram se retrair.

Ellen Martins Peiter

Psicólogo

Rio de Janeiro


Nos relacionamentos amorosos, muitas pessoas tendem a repetir alguns padrões. Por exemplo, acabam se relacionando com pessoas que de alguma forma lhe trazem sofrimento. A terapia pode lhe ajudar a compreender essas relações e a se entender diante desses relacionamentos.

Niliane Maria De Brito Alves

Psicólogo

Salvador


As dificuldades no relacionamento estão diretamente ligadas ao nosso comportamento. Todos nós, ao longo de nossas vidas desenvolvemos Padrão comportamental Único que funcionou, mas, devido à dinâmica da vida, não funciona mais e Não percebemos; o que nos leva a insistir no padrão e, portanto, nos frustrar, estagnar, esgotar, trair, divorciar. A psicologia proporciona uma análise desse padrão único, conduzindo a pessoa a Ampliarseu repertótio, adquirindo, assim, uma Variabilidade Comportamental que a torna mais adaptativa (não passiva) diante da diversidade das situações, aumentando suas habilidades sociais e a probabilidade de construir ou reconstruir relacionamentos, com qualidade.

Os outros nos tratam exatamente da mesma forma como tratamos a nós mesmos. Para falar de dificuldade de relacionamento deve-se em primeiro lugar abandonar a ideia de vítima/culpado. Cada um tem exatamente o atraiu para si. Talvez você não saiba os motivos pelos quais tem dificuldade de relacionamento, mas a resposta está em alguma parte da sua psiquê, que pode estar repleta de crenças limitantes, sentimentos negativos e emoções densas. Ao fazer a limpeza das emoções densas e reprogramação dos sentimentos negativos e crenças limitantes, as relações automaticamente mudam, porque toda mudança começa dentro. Essas são as bases do tratamento para dificuldade de relacionamento.

Matheus Rotta

Médico acupunturista, Psicólogo

Mogi das Cruzes

Agendar uma visita

O relacionamento, seja ele qual for, envolverá sempre o paciente, além de outra (ou outras pessoas)... A utilização de técnicas cognitivas e comportamentais para Treinamento de Habilidades Sociais, e reavaliação dos pensamentos disfuncionais e crenças desadaptativas, têm por finalidade auxiliar o paciente a descobrir o cerne de suas dificuldades nesses relacionamentos e a melhor forma de lidar com elas.

Edith Vieira Carneiro Andrade

Psicólogo

Nova Iguaçu


A relação conjugal é um dos enlaces mais significativos que podemos manter em nossas vidas, pois é através dela que amadurecemos como pessoa, aprendendo a conviver com sentimentos e verdades diferentes. Mas nem sempre conseguimos conciliar esta oportunidade de forma saudável, nos obrigando a rever alguns comportamentos e sentimentos. Em algumas situações, a terapia pode auxiliar na busca deste entendimento comum, contribuindo para uma saudável reorganização familiar. Experimente.

É muito comum quando as pessoas procuram por psicoterapia para falarem das suas dificuldades com seus relacionamentos e portanto buscarem ajuda. Costumo informar logo a princípio que se houver necessidade de Tratamento Psicologico como Terapia de Casal ou Psicoterapia Individual as mudanças ocorrem quando há a compreensão da causa dos problemas. Por exemplo: um casal me procurou pois brigavam muito depois do nascimento do primeiro filho. Investigando as causas chegamos a compreensão que a esposa deixou de se dedicar a casa e ao marido em função do bebê. Ela por sua vez sentia se cada vez mais exausta e aumentaram as brigas Foi sugerido Psicoterapia Breve Operacionalizada de até 12 sessões.

Fabiana Cruz Destro

Psicanalista, Psicólogo

Araraquara

Agendar uma visita

Atendimento para homens e mulheres, que estejam passando por alguma dificuldade no âmbito sexual. Problemas de relacionamento, timidez, comunicação interpessoal.

Marcos Santos

Psicólogo, Sexólogo

Blumenau


A psicoterapia auxilia o indivíduo na busca de seus ideais e na compreensão de seus sentimentos e objetivos, tanto nos relacionamentos, quanto nas metas de vida. O indivíduo passa a se dar mais valor e a se perceber como um ser completo.

Bárbara Alves

Psicólogo, Psicopedagogo

Bragança Paulista

Agendar uma visita

Lidar com pessoas às vezes é um tanto complicado. Mas você já verificou como é o seu funcionamento diante dos convites diários que recebemos para entrar em um conflito? Será que realmente cabe responder aquela colocação de que "você engordou" por exemplo? A questão aqui é entender que se o outro está buscando por uma resposta hostil de sua parte, significa que ele está desorganizado com suas próprias questões e as transfere para você com o objetivo de tirar o foco de si mesmo, "jogando" simplesmente para o outro. E aí, cabe a você decidir se aceita ou não o jogo de entrar em um conflito.

As dificuldades em relacionamentos estão entre os problemas mais comuns das pessoas, eis os principais motivos: falha na comunicação; habilidade social reduzida; padrões de personalidade incompatíveis e inconscientes; desproporção entre o quanto se oferece para a relação e o quanto se recebe dela. Ao trabalhar com os problemas de relacionamento eu inicio com dois aspectos básicos: 1) esclarecimento dos padrões de relacionamento de cada pessoa na relação e 2) o desenvolvimento da comunicação habilidosa entre as partes. À partir daí serão trabalhados: a especificação de problemas e soluções, negociação, avaliação de custo-benefício da relação, tomada de decisões e prevenção de recaída.

Eduardo Santos

Psicólogo

Ribeirão Preto

Agendar uma visita

A forma como o sujeito irá se posicionar e situar seu desejo ocorrerá na resolução do complexo de édipo, ocorrendo a mesma dialética para o menino e a menina, porém para a menina, paradoxalmente existe uma diferenciação. Primeiro, menino e menina, é necessária a renuncia de ser o falo e admitir que há algo para além dele onde se dirige o desejo da mãe, por exemplo o pai. A direção do desejo da mãe orienta a menina em sua busca do falo, ou objeto que lhe falta. O menino a saída do complexo de édipo é que viabiliza a aceitação da castração e para a menina ao entrar no complexo de édipo, ainda precisa de substituir seu objeto que foi castrado.

Edicleia Lima

Psicólogo

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

Muitos casais vivenciam dificuldades/armadilhas no relacionamento decorrentes da falta de tempo, falta de intimidade, comunicação, baixa libido do homem ou da mulher ou ambos, rotina desgastante, baixa disposição para investir tempo e proporcionar novidades um para o outro. São diversos os fatores que influenciam, mas o que fará a diferença é a capacidade de sair dessas armadilhas e investir tempo e afeto no relacionamento. Será necessário olhar para os modelos disfuncionais que se repetem e como o casal pode interromper o ciclo e criar um padrão de relacionamento conjugal mais saudável e funcional.

Barbara Ahlert Schneider

Psicólogo, Sexólogo

São Leopoldo

Agendar uma visita

Uma das necessidades do ser humano é o afeto, em muitos casos é necessário fechar alguns ciclos, tomar as rédeas das emoções, entender o por que de algumas repetições, conscientizar-se de relações tóxicas, entre outros inúmeros problemas que permeiam a dinâmica dos relacionamentos. A psicoterapia oferece as ferramentas necessárias para lidarmos com todas as questões de nossas vidas inclusive essas. Busque ajuda.

Aline Oliveira

Psicólogo

Guarulhos


A forma como cada um dos cônjuges lida com as demandas interpessoais do relacionamento conjugal interferirá no sucesso ou fracasso da relação e consequentemente, influenciará filhos, familiares, amigos e a sociedade em geral.   

Raquel Rodrigues Do Carmo

Psicólogo

Fortaleza


Dificuldades no relacionamento afetam a qualidade do convívio cotidiano. São conflitos que ocorrem entre casais (emocionais e sexuais), pais e filhos, no ambiente de trabalho que geralmente tem origem nas dificuldades de lidar com as diferenças, alteridade e diálogo As manifestações de respeito e afeto demonstram a necessidade amadurecimento emocional para lidar com formas de viver diferentes das nossas. Pessoas que têm muitas dificuldades nos relacionamentos em geral precisam de psicoterapia para entender e superar a origem dos conflitos constantes.

Clarice Lopes Gentilli

Psicanalista, Psicólogo

São Paulo

Agendar uma visita

As dificuldades no relacionamento são um problema cada vez mais comum, e que pode ser causado por muitos fatores: insegurança, baixa autoestima, traumas anteriores, entre tantas outras possibilidades. Na psicoterapia, procuramos trazer à luz as causas que nos levam a ter tais dificuldades e buscamos formas de aprender a lidar com elas de forma mais saudável e funcional, melhorando assim nossa forma de nos relacionar conosco e com as pessoas à nossa volta.

Bruna Paschoalini

Psicólogo

São Paulo


A baixa autoestima, leva a esse tipo de conflito. Atuamos identificando os valores condicionados na formação do indivíduo e desenvolvemos sua assertividade. Somados ao relaxamento/hipnose.

Quando falamos em relacionamento logo pensamos em comunicação. Assim a ausência da comunicação clara pode gerar distanciamento afetivo, indiferença, hostilidades e até mesmo agressões físicas, morais e psicológicas. Na maioria das vezes as pessoas irão ter opiniões diferentes, o problema não é a existência dos conflitos, o problema é a forma como cada um lida com as situações e como isso afeta diretamente a relação. Assertividade, empatia, tolerância, paciência são exercícios diário capazes de superar as dificuldades de um relacionamento.

Sempre seremos magoados por alguém em algum momento de nossas vidas, mas a maneira como você segue e se reconstrói após situações ruins é o que definirá o seu bem estar e sua saúde mental. É aquela velha história: não podemos mudar o que aconteceu, mas podemos mudar o nosso olhar (ou seja elaborar)o que nos aconteceu. Também é importante lembrar que perdoar não é ficar junto, perdoar é voltar a viver bem e seguir em frente. Procure ajuda, faça psicoterapia, mas não pare no tempo em que foi ferido(a). O caminho é para frente.

Elenir Paro

Psicanalista, Psicólogo

Fortaleza


Há sempre uma terceira "pessoa oculta" nos relacionamentos, que é formada pelos conteúdos inconscientes e pelas memórias da cultura familiar que cada um traz dentro de si. Esse poderoso conteúdo interfere significativamente podendo gerar, rupturas, desgastes e vícios que dificultam o convívio. É comum, em dado momento, cada um estar lidando com os sintomas e idealizações imaginárias do outro e não com a pessoa diretamente. Em análise é possível identificar tanto um quanto outro e poder avançar com equilíbrio em meio aos conflitos e discordâncias.

Eliezer Zulianeli Andrade

Psicanalista

Natal


Relacionar-se bem é uma arte que pode ser aprendida, assim como outros tipos de expressão artística. Uma das técnicas desse aprendizado é o Rapport. Palavra herdada do idioma francês, que tem o significado para a Psicologia de um relacionamento em bases empáticas, visando ao estabelecimento de uma comunicação em mão dupla, gerando vínculo de confiança, respeito e harmonia. A forma como nos posicionamos, as palavras e frases, os movimentos corporais, nossa postura, entre outros procedimentos, influenciam o estabelecimento de um bom vínculo e uma boa harmonia na relação interpessoal. Muitas vezes, temos dificuldade de nos relacionarmos por desconhecermos alguns aspectos ligados à comunicação.

O que é dificuldade no relacionamento? Todo relacionamento passa constantemente por mudanças, modo de pensar, agir e sentir. Essas mudanças inevitáveis e importante para o desenvolvimento do relacionamento, mas pode gerar: dificuldade de adaptação a essa nova realidade cheia de mudanças, um estranhar o outro, cobranças, incertezas. Por que é importante tratar dificuldade no relacionamento? A terapia possibilita o desenvolvimento de uma maior percepção de si e do mundo, pensamento e sentimento. Identificar quais acontecimento tem dificultado o relacionamento, através processo de autoconhecimento, autodesenvolvimento, autopercepção, o casal cresce e juntos se desenvolve.

Miriam Da Cruz Seifert

Psicólogo

Santo André


IMPONDO LIMITES EM PESSOAS DIFÍCEIS Manter limites saudáveis com pessoas difíceis pode ser trabalhoso. Pois eles não querem que você imponha esses limites. Entretanto esse pensamento pode não ser consciente, pois acontece de muitas vezes essa ser a única estratégica de relacionamento que eles conhecem. Mas, independentemente de ser intencional, o resultado é o mesmo: o seu limite foi violado. Como você pode se manter firme e impor o seu limite para essas pessoas difíceis de lidar? Aqui estão cinco sugestões. “Quando você duvida da sua própria importância, você está permitindo as manipulações.”

Felipe Schardong

Psicólogo

Gravataí


Relacionar-se com o outro implica em como me relaciono comigo mesmo.Quem eu sou? Como me vejo? Como o outro me vê? Qual a importância que dou à opinião alheia? O autoconhecimento é fundamental para que não haja projeção no outro de frustrações e expectativas de si próprio. Importante estar inteiro na relação, sem criar expectativas ou responsabilizar o outro por suas decepções. Relacionamento não se resume na metáfora do encontro de "duas metades da laranja", mas no encontro de "duas laranjas inteiras" e preparadas para viverem uma relação cercada por respeito, compreensão, aceitação e independência emocional.

Alessandra Costa Barbosa

Psicólogo

Goiânia


Neste mundo líquido o vínculo pode parecer falta de liberdade, justo numa sociedade onde não se quer abrir mão de nada, pois todo o prazer ainda parece ser pouco demais. É uma sociedade onde prevalece o consumo; e consumo requer leveza e velocidade, novidade e variedade. ria-se, então, um tipo de “amor” líquido, se é que se pode chamar isto verdadeiramente de amor. É um tipo de relação que funciona para dar a ilusão de que se tem tudo ao mesmo tempo: a liberdade – de ficar com qualquer pessoa - e o prazer garantido pela presença do outro. Nós, a muito custo, e maior maturidade psíquica ainda, aprendemos que para cada ganho há uma perda, e que é preciso abrir mão de determinadas satisfações.

Hudson Augusto Rodrigues Bonomo

Psicanalista

Rio de Janeiro


O atendimento psicológico de casal é bastante complexo, traz consigo inúmeras variáveis a serem analisadas e trabalhadas durante o processo terapêutico. Quando o casal chega ao consultório, geralmente relata em sua queixa: insatisfações, decepções e mágoas, cada um com sua verdade, e ao profissional da psicologia cabe explorar e observar o processo daquela relação, objetivando trazer à consciência o modo como eles próprios funcionam, a fim de despertar o interesse e o conhecimento do casal pela relação conjugal. O psicólogo poderá ajudá-los a entender um ao outro conduzindo-os a interagir verdadeiramente um com o outro, clarificando a ambos sobre a importância de compartilhar seu pensamentos.

Conflitos e discordâncias podem acontecer com qualquer casal ou em qualquer tipo de relacionamento entre pessoas, porém, se a frequência de queixas ou de situações de conflito se intensifica e provoca desconforto, desrespeito e comunicação agressiva, é necessário cuidar da relação com mais atenção. Ou seja, quando um casal ou os pares (mães e filhos, amigos, irmãos) não conseguem mais criar alternativas para solução dos conflitos nas relações, é importante considerar o início do processo psicoterápico.

O relacionamento entre as pessoas é sem dúvida uma das maiores causas de sofrimento. Isso ocorre porque o ser humano é singular, único e dessa forma, o outro vai sempre apresentar diferenças nas formas de pensar e agir. As relações mais profundas como as familiares ou conjugais tendem comumente a tornar mais evidente os conflitos, apesar de idealizarmos e construirmos uma imagem oposta. As pessoas mais familiares podem se tornar estranhas em algum momento porque elas vão sempre ter um traço original, diferente e que não corresponde as expectativas de complementaridade e simpatia. Rever nossas expectativas e lidar com o conflito, sem evitá-lo é um dos objetivos do trabalho.

Através de psicoterapia é possível tratar o paciente que apresenta dificuldades relacionais. Se o mesmo quiser, podemos fazer testes psicológicos, como por exemplo, o uso do teste NEO-PI para compreender quais aspectos devem ter maior atenção durante o tratamento.

São muitos os desafios que as pessoas enfrentam manter o relacionamento, são pessoas com histórias diferentes que se encontram para compartilhar sua rotina. A principal dificuldade que se apresenta é a comunicação, somos treinados a "identificar sinais" ou "fazer interpretações" do comportamento do outro, e imprimimos nossas inseguranças nas nossas percepções, isso ocasiona brigas, desentendimentos, mágoas e muita frustração. Na psicoterapia, os clientes vão aprender novas formas de se comunicar, alinhar objetivos e expectativas, aprender a ceder e a cobrar para que as necessidades de ambos sejam atendidas, manter uma comunicação não agressiva e restaurar a "cola" da relação.

Relacionamentos nem sempre são perfeitos como gostaríamos que fossem. O acompanhamento em terapia auxilia no conhecimento de si e do outro modificando a forma de se entender a relação existente no casal, diminuindo atritos e desgastes emocionais.

Acolhimento e identificação das dificuldades relatadas, gerando consciência dos fatores diversos como motivações impactantes nesta dimensão, através da escuta ativa e aplicação de metodologia de integração da consciência, levando o paciente para percepção de como se sente, seus pensamentos e seu comportamento.

Quais profissionais tratam Dificuldades no relacionamento?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.