Fitoterapia chinesa - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Especialistas - fitoterapia chinesa

Clara Araújo de Almeida e Silva

Clara Araújo de Almeida e Silva

Terapeuta complementar

Belo Horizonte

Agendar uma visita
Renata Camargo

Renata Camargo

Psicólogo

Camaquã

Ana Larissa Marques Perissini

Ana Larissa Marques Perissini

Psicólogo, Sexólogo

São José do Rio Preto

Andressa Mara Netto

Andressa Mara Netto

Psicólogo

Cristiany Moura Oliveira Lisita

Cristiany Moura Oliveira Lisita

Psicólogo

Goiânia

Ana Amélia de S. Pereira Piske

Ana Amélia de S. Pereira Piske

Psicólogo

Vitória

Perguntas sobre Fitoterapia chinesa

Nossos especialistas responderam a 3 perguntas sobre Fitoterapia chinesa

Ok. Vamos lá. Primeiramente "ansiedade e pânico" são apenas nomes que damos para "processos e representações"; sendo assim, precisa de um profissional que direcione a sua…
29 respostas


Olá boa tarde,
o óleo de copaiba é um oleo maravilhoso antiinflamatorio natural, sempre em conjunto com outros ativos para se ter o beneficio esperado.
A medicina chinesa trabalha…
8 respostas


A medicina chinesa não usa esse diagnóstico para decidir o tratamento. Seus fitoterápicos, nutrem sangue, ou energia, ou substâncias, e também podem facilitar movimentação de sangue ou energia,…
12 respostas

Especialistas falam sobre Fitoterapia chinesa

A origem da medicina chinesa está ligada ao estudo milenar das Fórmulas Magistrais Chinesas. Mais antiga que a acupuntura, a fitoterapia chinesa é a terapia mais utilizada na China. Utilizamos este tratamento nos casos de doenças crônicas e agudas como infecções de repetição, rinite, sinusite, artrite, artrose, lombalgia, enxaqueca, insônia, gastrite, sintomas da TPM, infertilidade, falta de libido, etc.

Alessandro Ito

Médico acupunturista

São Paulo

Quais profissionais realizam Fitoterapia chinesa?

Pesquisas relacionadas


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.