Histeroscopia cirúrgica - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Especialistas - histeroscopia cirúrgica

Emanuela Comaru

Emanuela Comaru

Ginecologista

Fortaleza

Agendar uma visita
Cassiano Moreira

Cassiano Moreira

Ginecologista

Belo Horizonte

Agendar uma visita
Nelly Nabut

Nelly Nabut

Ginecologista, Médico de emergência

Londrina

Agendar uma visita
Karen Gerencer Fino

Karen Gerencer Fino

Ginecologista

São Paulo

Agendar uma visita
Erika Kawano

Erika Kawano

Ginecologista, Mastologista

São Paulo

Agendar uma visita

Perguntas sobre Histeroscopia cirúrgica

Nossos especialistas responderam a 15 perguntas sobre Histeroscopia cirúrgica

A orientação geral é que se evite a ingestão de bebidas alcoólicas nos primeiros 30 dias após a cirurgia, uma vez que elas podem irritar a laringe e propiciar a ocorrência de refluxo ácido em…
1 respostas


Pode sim, o pólipo cervical não interfere em nada com a gravidez. Diferente do polipo endometrial. Este, se não retirado, pode não só impedir a gravidez, como ainda provocar sangramentos ou mesmo…
4 respostas


Histeroscopia sem intercorrências, normalmente é um procedimento de baixo risco. Então sem problemas tomar vinho em baixa quantidade.
2 respostas

Especialistas falam sobre Histeroscopia Cirúrgica

Histeroscopia cirúrgica é um procedimento realizado no Centro Cirúrgico e, por esta técnica, é feita a retirada dos miomas submucosos, os pólipos ou pode ser realizada a lise de sinéquia (aderência intra-uterina) e a septoplastia (tratamento de septos intra-uterinos). Sinéquias e septos são diferentes quanto à etiologia, mas se assemelham na forma de tratamento. Ambos são comunicações entre as paredes uterinas, isto é, elas ficam unidas, diminuindo o espaço interno. O instrumental histeroscópico possibilita a ampliação da cavidade uterina, que facilita o procedimento de Histeroscopia.

Quais profissionais realizam Histeroscopia cirúrgica?

Pesquisas relacionadas


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.