Litotripsia - Informações, especialistas e perguntas frequentes

O que é?

A litotripsia é um procedimento utilizado para tratar doenças do sistema urinário. A palavra tem origem grega e significa esmagamento de pedra. Ela é indicada quando são formados cálculos nos rins, na bexiga ou nos ureteres. Há dois tipos de litotripsia: Litotripsia extracorpórea por ondas de choque: é sua modalidade mais popular e considerada a mais simples. Desenvolvido a partir dos anos 80, o procedimento é não invasivo e considerado pouco doloroso. São emitidas ondas de choque direcionadas para a região afetada. Essas ondas têm como função quebrar as pedras de forma que elas possam ser expelidas pela urina. São três os tipos de litotripsia extracorpórea disponíveis: a eletro-hidráulica (baseada na descarga elétrica de alta tensão), a eletromagnética (a onda de choque é gerada pelo movimento de uma placa metálica imersa na água) e a piezoelétrica (uma corrente elétrica movimenta os cristais piezoelétricos gerando ondas de choque). Todavia, a litotripsia extracorpórea não é eficiente em todos os casos. Sua indicação é para cálculos menores que dois centímetros. Dependendo de qual substância o cálculo é formado, o procedimento pode não ser bem sucedido. Litotripsia intracorpórea: embora o objetivo seja o mesmo, fragmentar as pedras, neste caso há necessidade da inserção de um objeto que deve atingir os cálculos. A sonda pode ser inserida por orifícios naturais, como a uretra, ou através de um corte feito pelo cirurgião. São três as técnicas de litotripsia intracorpórea mais utilizadas. Na litotripsia pneumático-balística, o cálculo é fragmentado através de impacto mecânico. Na litotripsia a laser, a quebra das pedras é feita por ação térmica e choque. Na litotripsia ultrassônica, os cálculos são desfeitos por ondas mecânicas.

Qual é a causa?

O excesso de alguns minerais no organismo é o responsável pela criação de pedras no aparelho urinário. Esse quadro pode ser decorrente do tipo de alimentação ou facilitado por outras doenças como gota, diabete mellitius e obesidade. A baixa ingestão de água e a desidratação também são apontadas como fatores que facilitam a formação das pedras. A hereditariedade não é descartada. Pessoas que têm familiares próximos que desenvolveram pedra nos rins são mais propensas à doença.

Quais os sintomas?

A maioria dos casos não apresenta sintomas. O portador do cálculo o expele sem mesmo saber de sua existência. Os casos sintomáticos, no entanto, apresentam cólicas dolorosas que podem durar até uma hora. A cólica renal causa dor pelas costas, no abdome lateral e embaixo das costelas. Nos homens, irradia nos testículos. Nas mulheres, no lábio vaginal.

Como fazer o diagnóstico?

Uma entrevista com o paciente revelando o histórico familiar e um exame físico são capazes de indicar a possibilidade de cálculo renal. A comprovação do diagnóstico pode ser feita através de exames laboratoriais. O exame mais comum é o de urina que, na maioria dos casos, apresenta sangue. Também são utilizadas radiografias abdominais, ecografia abdominal e tomografia computadorizada abdominal total para realizar um diagnóstico mais preciso.

Qual o tratamento?

O tratamento depende do tipo das pedras, de seu tamanho e da sua localização, além da condição do paciente. A litotripsia é uma das técnicas mais utilizadas.

Especialistas em litotripsia

Encontre um especialista em Litotripsia na sua cidade:

Perguntas sobre Litotripsia

Nossos especialistas responderam a 238 perguntas sobre Litotripsia

Bom dia! A litotripsia é um metodo de tratamento nao cirurgico para fragmentar calculos do aparelho urinario. Se o seu calculo for renal nao ha risco de rompimento do cisto, visto que o rim encontra-se…
2 respostas

Olá boa tarde. Normalmente não há uma data certa limite para que vc possa voltar a tomar cerveja. Normalmente orientamos repouso por 24 a 48horas após o procedimento e evitar o uso de bebidas…
1 respostas

Dr. Hudson Jose Caram Nascif
Dr. Hudson Jose Caram Nascif
Urologista
Belo Horizonte
Nao teria problema em fazer nova sessão de Leco,mas eu particularmente indicaria tratamento endoscópio com laser.
Abs e boa sorte
2 respostas

Especialistas falam sobre Litotripsia

O significado deste termo é de fragmentar ou quebrar pedras. Pode ser feito de várias formas, sendo as mais comuns: 1- litotripsia externa por ondas de choque, em que a pedra é fragmentada através de bombardeamento com um tipo de ultrasom de alta intensidade. 2 - Ureteroscopia ou, na denominação mais completa, ureterolitotripsia, que tem como objetivo a fragmentação e retirada do cálculo do ureter ou pequenos cálculos, por método endoscópico. Não há necessidade de incisões ou cortes, pois o procedimento é realizado pelo orifício da uretra, permitindo então acessar as vias urinárias com menor agressividade.

Alain Machado Da Silva Dutra

Urologista

Santo André


A Litotripsia Extracorpórea por Ondas de Choque é um tratamento utilizado para fragmentação de cálculos renais. É uma técnica que usa um gerador de energia mecânica (Litotritor) que atravessa a pele e os tecidos até atingir o cálculo renal, sem a necessidade de corte. A fragmentação dos cálculos ocorre mais facilmente quando se trata de um cálculo menos denso e duro, e quanto menor for a distância entre a pele e o cálculo (melhor em pacientes mais magros). Não há necessidade de internação, e pode ser feito apenas com analgesia. Inicia-se um série de disparos, com aumento progressivo da intensidade. O procedimento tem duração de meia hora, e o paciente recebe alta para repouso domiciliar.

Tulio Leandro De Oliveira

Urologista

Santa Cruz Do Capibaribe

Agendar uma visita

Litotripsia, ou litotrícia (do grego transliterado 'lithos' = pedra[1] + 'trîpsis' = esmagamento ou trituração[2]) é o procedimento e técnica médica cirúrgica utilizada para o tratamento de cálculos, que visa, como o nome já declara, reduzir o tamanho dos cálculos por meio de esmagamento ou trituração, mediante princípio físico próprio, de modo a permitir que eventualmente sejam expelidos pelas vias adequadas. Pode aplicar-se a cálculos biliares, renais (e das vias urinárias), como também vesiculares. Esse procedimento e, assim, a correspondente técnica, pode ser extracorpóreo (logo, não-invasivo) e também pode ser intracorpóreo (portanto, invasivo). Ambos consideram-se cirurgia, em sentido

No passado, os pequenos cálculos renais eram tratados com muita dificuldade ou com cirurgias abdominais extensas. Nos dias atuais, com os avanços tecnológicos em especial nos equipamentos que usam o laser, a cirurgia para o tratamento de cálculos renais passou por uma grande revolução com tratamentos cada vez mais eficazes e sem cortes. O paciente fica internado por 24 horas e normalmente vai para casa com um cateter duplo J interno que pode ser retirado em poucos dias. Eventualmente pode ser necessário mais de um procedimento cirúrgico.

A litotripsia extracorpórea é uma opção de tratamento existente há décadas. Com o avanço tecnológico dentro da Urologia, acabou perdendo espaço para técnicas cirúrgicas minimamente invasivas. Porém, segue tendo seu espaço, geralmente para tratamento de cálculos pequenos, especialmente os menos duros. Os melhores resultados acontecem quando o procedimento é realizado com bons equipamentos, operados por um urologista experiente e de preferência, sob anestesia geral.

Ureterolitotripsia: Esta cirurgia tem como objetivo a fragmentação e retirada de cálculos do ureter por método endoscópico, ou seja, fazendo o caminho contrário da urina, a partir do orifício da uretra. Não há necessidade de incisões ou cortes. O procedimento consiste em passar uma microcâmera, chamada ureteroscópio semi rígido, pela uretra atingindo a bexiga e seguindo em direção ao ureter até a identificação do cálculo.. Uma vez localizada, a pedra é então fragmentada por Laser e os fragmentos são retirados com uma cesta (basquet).

Realizamos litotripsia extracorpórea com aparelho de última geração, localização do cálculo por ultrassonografia e procedimento indolor.

Cristiano Cotrim

Urologista

Marília


É um procedimento que requer internamento geralmente de 24 horas em que ocorre acesso direto ao cálculo através de pequenos instrumentos rígidos e flexível e os mesmos são fragmentados com ajuda do laser. Deixamos um cateter que se chama duplo j que permanece com o paciente por um período que varia de 7 a 30 dias. LECO - Litotripsia Extracorpórea por ondas de Choque - é um procedimento ambulatorial que não requer internamento hospital em que o paciente recebe uma sedação e é colocada uma espécie de bolha na altura do rim e é realizada a fragmentação por ondas de choque. O procedimento demora em torno de uma hora e logo em seguida o paciente é liberado para casa.

Eudes Pinheiro

Urologista

Fortaleza


A nefrolitotripsia extracorpórea (LECO) é um procedimento usado para tratamento de cálculos renais com diâmetro menor que 2,0cm. É colocado em aparelho em contato com a pele da região lombar do paciente e sob anestesia são emitidos ondas de choque pelos tecidos do paciente em direção aos cálculos renais, que são fragmentados e posteriormente eliminados. A gravidez e distúrbios de coagulação são contraindicações ao procedimento.

Tiago Soares Bissonho

Urologista

Fortaleza

Quais profissionais realizam Litotripsia?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.