Miomectomia - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Especialistas em miomectomia

Encontre um especialista em Miomectomia na sua cidade:
Jose Carlos Sadalla

Jose Carlos Sadalla

Ginecologista, Mastologista

São Paulo

Agendar uma visita
Amelia Frade Said

Amelia Frade Said

Ginecologista, Mastologista

São Paulo

Agendar uma visita
Marcelo Tissiani

Marcelo Tissiani

Ginecologista

João Pessoa

Agendar uma visita
Rosangela Tiengo Marino

Rosangela Tiengo Marino

Ginecologista, Mastologista

São Paulo

Agendar uma visita

Perguntas sobre Miomectomia

Nossos especialistas responderam a 152 perguntas sobre Miomectomia

Olá. Nunca inicie ou troque uma medicação anticoncepcional sem a ajuda do seu médico. Nem todas as mulheres podem usar qualquer anticoncepcional. Essas medicações podem estar associadas a eventos…
1 respostas

Se a causa da infertilidade for devido ao mioma,as chances são grandes,mas precisa avaliar outros fatores. Converse com seu médico.
2 respostas

Em princípio, não. Cada caso é um caso diferente. Deve perguntar ao médico que a operou.
1 respostas

Especialistas falam sobre Miomectomia

Miomas são tumores benignos que se desenvolvem na parede muscular do útero. Por volta de 50% das mulheres brasileiras apresentarão miomas, na maioria das vezes sem sintomas algum. Quando presentes, os sintomas costumam ser: sangramento menstrual em maior volume, cólica menstrual, dor em baixo ventre, infertilidade e complicações na gravidez. Nesses casos o tratamento é cirúrgico. A miomectomia, retira somente o mioma com preservação do útero. Pode ser por vídeolaparoscopia, histeroscopia, ou na pior das hipóteses por laparotomia (corte). Quando não há desejo de engravidar, o procedimento mais comum para tratamento das mulheres com sintomas é a histerectomia (retirada do útero).

Os miomas são tumores benignos que surgem no útero em mulheres em idade fértil, podendo causar infertilidade e/ou intenso desconforto como hemorragia menstrual e intensas cólicas de difícil controle . A miomectomia consiste numa cirurgia em que é realizada a remoção do mioma que está presente no útero, ficando o útero preservado. A indicação da cirurgia depende do número, das dimensões, da localização dos miomas e dos sintomas associados, podendo ser realizada das seguintes formas: Miomectomia abdominal, Miomectomia laparoscópica, Miomectomia Robótica e Miomectomia histeroscópica.

Cassiano Moreira

Ginecologista

Nova Lima


Na miomectomia retiramos somente os miomas do útero. Dependendo da localização e tamanho, temos 3 principais via de cirurgia. Se o mioma estiver crescendo dentro da cavidade uterina, devemos realizar à miomectomia histeroscópica. Se o mioma estiver crescendo para fora da parede uterina, mioma subseroso, podemos realizar à miomectomia laparoscópica. Se forem múltiplos miomas e/ou miomas volumosos, podemos realizar à miomectomia laparotomica, que é a cirurgia com a cicatriz abdominal horizontal, ou vertical, se o mioma for muito grande, semelhante a uma gravidez.

Michelly Azevedo Da Motta

Ginecologista

Rio de Janeiro


Cirurgia indicada em pessoas com miomatose uterina com repercussões não tratáveis por meio clínico e que possuem desejo reprodutivo futuro. Embora a maioria dos casos possa ser realizada por laparoscopia, algumas particularidades podem levar a opção de cirurgia aberta. Importante sempre ser avaliado por um profissional capacitado nas duas vias.

Miomectomia é a cirurgia realizada para retirada dos miomas do útero da mulher preservado desta manira o futuro menstrual e reprodutivo. Este tratamento pode ser feito pela via abdominal (corte de cesárea), laparoscópica ou histeroscópica a do posicionamento e números de miomas. Mulheres que ainda não têm filhos ou aquelas que não desejam retirar seu útero por algum motivo, podem se beneficiar desta técnica.

Marcos De Lorenzo Messina

Ginecologista

São Paulo

Quais profissionais realizam Miomectomia?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.