Tratamento em transtorno obsessivo compulsivo (toc) - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Especialistas em tratamento em transtorno obsessivo compulsivo (toc)

Encontre um especialista em Tratamento em Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) na sua cidade:

Perguntas sobre Tratamento em transtorno obsessivo compulsivo (toc)

Nossos especialistas responderam a 15 perguntas sobre Tratamento em transtorno obsessivo compulsivo (toc)

 Daniel Canhada Brianti
Daniel Canhada Brianti
Psiquiatra
São José do Rio Preto
Muito importante que discuta essa situação com seu psiquiatra, mas medicações como fluoxetina e sertralina são seguras durante a gestação, além da terapia cognitivo comportamental. Uma boa tarde!
3 respostas

Cuidado com o Charlatanismo?
Ele vem em ondas pois não se sustenta por muito tempo devido ao efeito placebo ou seja não dura muito tempo....estamos em nova onda..
teriam pessoas…
4 respostas

Ainda que sua filha possua um risco maior do que uma pessoa que não possui nenhum parente com a doença, há maior probabilidade de ela não desenvolver TOC.
3 respostas

Especialistas falam sobre Tratamento em Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC)

O Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC), é caracterizado pela presença de obsessões e/ou compulsões. As obsessões são pensamentos ou impulsos não desejados que retornam repetidamente à mente da pessoa. As obsessões são intrusas, inapropriadas e causam acentuada ansiedade e estresse. As obsessões mais comuns são: contaminação, agressão, religião(escrupulosidade) segurança/prejuízo, necessidade de exatidão e simetria, temores somáticos (corporais). Para aliviar sentimentos desagradáveis decorrente das obsessões, como : ansiedade, nojo, desconforto e outros, a maioria das pessoas com TOC recorre a comportamentos repetitivos denominados compulsões (checagem, limpeza, contagem, estocagem, etc).

Valdir Campos

Psiquiatra

Belo Horizonte

Agendar uma visita

É uma situação, onde o paciente padece de pensamentos extremamente invasivos, que por vezes é impossível serem eliminados, mesmo com grande esforço por parte do paciente. Muito comum ocorrer destes pensamentos, acompanharem de sintomas ou rituais. Estes rituais de alguma forma aliviam estes pensamentos e se tornam quase obrigatório para o paciente para se sentir aliviados. Mesmo tendo certeza que muitas vezes esses rituais são excessivos e causam sofrimento, o paciente não consegue os abandonar, por sentir que algo ruim pode ocorrer. É uma situação de grande desconforto, porém atualmente contamos com muitas opções eficazes de tratamento.

O Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) é caracterizado por pensamentos intrusivos (que vem à mente contra a vontade do paciente, como "se eu não bater na madeira 3 vezes a minha mãe vai morrer") e comumente são discordantes com a personalidade do paciente (egodistônicos) que geram muita ansiedade e que normalmente são acompanhados de rituais comportamentais motores (como fazer o sinal da cruz) e/ou cognitivos (como rezar 3 vezes ou contar até 10) que tendem a diminuir a ansiedade provocada pelo pensamento intrusivo. É uma doença que costuma responder bem ao tratamento farmacológico e psicoterápico, melhorando muito a qualidade de vida da pessoa que sofre com o TOC.

Geraldo Moreira

Psiquiatra

Recife


O tratamento do Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) inclui o acompanhamento com Psiquiatra da Infância e Adolescência para o manejo medicamentoso sobretudo com medicamentos que possam auxiliar a melhorar os sintomas do TOC. A psicoeducação das crianças e adolescentes, bem como dos pais também é fundamental. Outra questão importante no tratamento do TOC é o acompanhamento, se possível semanal, em psicoterapia com Psicólogo, já que vários estudos apontam a importância da psicoterapia na possível remissão dos sintomas do TOC. Portanto, procure um Psiquiatra da Infância e Adolescência para avaliação, pois quanto antes iniciarmos o tratamento, menos impacto teremos na vida dos pacientes.

Quais profissionais realizam Tratamento em transtorno obsessivo compulsivo (toc)?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.