Ultrassonografia transvaginal

A ultrassonografia transvaginal é um tipo de exame de imagem que os médicos utilizam para examinar os órgãos reprodutivos e as estruturas circundantes dentro da pelve feminina. Como o nome sugere, esse procedimento envolve o uso de uma sonda de ultrassom que é inserida na vagina. Essa abordagem oferece uma visão muito mais clara e próxima dos órgãos pélvicos em comparação com uma ultrassonografia abdominal.

A sonda de ultrassom emite ondas sonoras que reverberam nos órgãos do corpo. O computador utiliza esses ecos para criar uma imagem que pode ser visualizada em uma tela. Isso permite que o médico observe o tamanho, forma e posição dos órgãos em exame, além de detectar quaisquer anormalidades.

Escolha a cidade onde você está buscando um serviço

Para que serve a ultrassonografia transvaginal

A ultrassonografia transvaginal é utilizada por diversas razões. Pode auxiliar no diagnóstico de condições como miomas uterinos, cistos ovarianos, gravidez ectópica e doença inflamatória pélvica. Também pode ser empregada para monitorar a saúde e o desenvolvimento de um embrião ou feto durante a gravidez.

Outro uso comum da ultrassonografia transvaginal está em tratamentos de fertilidade. O procedimento pode fornecer informações valiosas sobre a espessura do revestimento uterino e o tamanho e número de folículos nos ovários, o que é crucial para cronometrar procedimentos de inseminação ou retirada de óvulos.

Além disso, pode ajudar a investigar sintomas como dor pélvica, sangramento anormal e outros problemas menstruais. As informações obtidas deste procedimento podem orientar o médico na recomendação da melhor abordagem de tratamento.

Como a ultrassonografia transvaginal funciona

Durante uma ultrassonografia transvaginal, uma sonda especialmente projetada é inserida na vagina. Essa sonda, conhecida como transdutor, emite ondas sonoras que percorrem o corpo e retornam, criando imagens dos órgãos pélvicos. Essa posição permite uma visão mais próxima e detalhada do útero, ovários, colo do útero e tubas uterinas.

Vale ressaltar que, embora o procedimento possa causar algum desconforto, não deveria ser doloroso. Se você sentir dor significativa, é importante informar imediatamente seu médico.

A ultrassonografia transvaginal pode identificar uma ampla variedade de condições e anormalidades, desde cistos ovarianos e miomas até sinais precoces de câncer ou gravidez.

Quanto tempo leva uma ultrassonografia transvaginal?

A duração do procedimento de ultrassonografia transvaginal pode variar dependendo da finalidade. No entanto, em média, geralmente leva entre 15 a 30 minutos. Isso inclui o tempo necessário para preparar o procedimento, o próprio processo de escaneamento e o tempo dedicado à discussão dos resultados com o médico posteriormente.

Ultrassonografia transvaginal: especialistas e clínicas recomendados

São Paulo

Dra. Valéria Hitotuzi

Ginecologista

(Sexologia, Obstetrícia, Ginecologia endócrina, Cirurgia por videolaparoscopia) Mais
Av. Pacaembu, 1396, São Paulo
40 opiniões
Mostrar perfil
Dra. Mariane De Fatima Yukie Maeda

Ginecologista

(Gestação de alto risco, Obstetrícia, Ginecologia) Mais
Rua Cayowaa, 1071, conj 161, São Paulo
14 opiniões
Mostrar perfil

Rio de Janeiro

Dra. Marcia Ferro

Radiologista, Especialista em diagnóstico por imagem

(Ultrassonografia, Ultrassonografia com doppler) Mais
Avenida das Américas 15015 1º andar - Recreio dos Bandeirantes, Rio de Janeiro
124 opiniões
Mostrar perfil
Dra. Ana Cristina Fernandes

Ginecologista, Especialista em diagnóstico por imagem

(Ginecologia, Obstetrícia, Ultrassonografia, Reposição hormonal) Mais
Avenida Ataulfo de Paiva 135 - Sala 407, Rio de Janeiro
169 opiniões
Mostrar perfil

Brasília

Prof. Sergio Henrique Mattioda de Lima

Ginecologista

(Endoscopia ginecológica, Cirurgia ginecológica, Ultrassonografia) Mais
SHLN Bloco L sala 106 - Ed. Centro Clinico Norte II, Brasília
162 opiniões
Mostrar perfil
Dra. Alexandra Sartore

Ginecologista

(Medicina fetal, Implantes hormonais, Parto humanizado, Ginecologia endócrina) Mais
SGAS 610/611 Edifício Lúcio Costa - Bloco 2 - sala 317, Brasília
121 opiniões
Mostrar perfil

Salvador

Dra. Ádyla Keila Lopes Silva Oliveira

Ginecologista

(Obstetrícia, Ultrassonografia, Patología cervical, Implantes hormonais) Mais
Rua Artur de Azevedo Machado, número 1459, International Trade Center, sala 104, Costa Azul, Salvador
261 opiniões
Mostrar perfil
Dra. Leila Campos

Especialista em diagnóstico por imagem

Rua Arthur de Azevêdo Machado, 1459 International Trade Center, Sala 2512 - Stiep,
8 opiniões
Mostrar perfil

Perguntas frequentes

É a ultrassonografia transvaginal dolorosa?

Embora o procedimento possa causar algum desconforto, não deveria ser doloroso. O desconforto geralmente decorre da pressão do transdutor contra a parede vaginal durante o exame.

Se você tiver uma área pélvica particularmente sensível ou se tiver uma condição médica como endometriose, pode sentir mais desconforto. No entanto, é importante comunicar-se com seu médico ou sonografista durante todo o procedimento. Eles podem ajustar a pressão ou posição do transdutor para ajudar a minimizar qualquer desconforto.


Ultrassom pélvico vs Ultrassom transvaginal: Qual a diferença?

Tanto o ultrassom pélvico quanto o ultrassom transvaginal são procedimentos diagnósticos usados para examinar os órgãos pélvicos femininos. No entanto, eles diferem na forma como são realizados e no nível de detalhe que fornecem.

Um ultrassom pélvico é realizado aplicando um transdutor na superfície do abdômen. Isso permite uma visão mais ampla dos órgãos pélvicos, mas as imagens podem não ser tão detalhadas ou claras quanto aquelas obtidas com um ultrassom transvaginal.

Por outro lado, um ultrassom transvaginal envolve a inserção de um transdutor dentro da vagina. Isso proporciona uma visão mais próxima e detalhada do útero, ovários e outras estruturas pélvicas. Isso o torna particularmente útil para identificar pequenas anormalidades ou condições que podem não ser facilmente vistas em um ultrassom pélvico.


Compreendendo os resultados da ultrassonografia transvaginal

Após a realização da ultrassonografia transvaginal, as imagens serão analisadas por um radiologista ou seu médico. Os resultados fornecerão informações sobre o tamanho, forma e condição dos seus órgãos pélvicos.

Se forem detectadas quaisquer anormalidades, como cistos, miomas ou sinais de infecção, seu médico discutirá esses achados com você e recomendará mais testes ou tratamentos, se necessário. É importante lembrar que a detecção de uma anormalidade não significa necessariamente que há um problema sério. Muitas condições detectadas por ultrassonografia transvaginal são comuns e tratáveis.

Se a ultrassonografia foi realizada devido à gravidez, os resultados podem fornecer informações sobre a saúde e o desenvolvimento do embrião ou feto. Eles também podem ajudar a confirmar a idade gestacional e a data prevista para o parto.


A ultrassonografia transvaginal pode causar um aborto espontâneo?

Não há evidências científicas que sugiram que a ultrassonografia transvaginal possa causar um aborto espontâneo. Este procedimento é considerado seguro tanto para a mãe quanto para o feto em desenvolvimento. Na verdade, é uma parte rotineira dos cuidados pré-natais e é frequentemente usado nas fases iniciais da gravidez para confirmar a gestação, determinar a idade gestacional e verificar possíveis complicações.

No entanto, como qualquer procedimento médico, é importante que seja realizado por um profissional treinado que siga as diretrizes de segurança apropriadas. Se você tiver alguma preocupação, é sempre uma boa ideia discuti-las com seu médico.


A ultrassonografia transvaginal pode detectar câncer de colo de útero?

Sim, uma ultrassonografia transvaginal pode ser usada para detectar câncer de colo de útero. O ultrassom pode revelar crescimentos anormais no colo do útero e ao redor, o que pode ser um sinal de câncer. No entanto, uma biópsia geralmente é necessária para confirmar o diagnóstico.

Embora a ultrassonografia transvaginal possa ser uma ferramenta útil na detecção de câncer de colo de útero, é importante lembrar que exames regulares de rastreamento, como o exame de Papanicolau, são a maneira mais eficaz de detectar o câncer de colo de útero em suas fases iniciais.


É possível fazer uma ultrassonografia transvaginal durante o período menstrual?

Sim, você pode realizar uma ultrassonografia transvaginal durante o período menstrual. O ciclo menstrual não afeta significativamente a capacidade de visualizar os órgãos pélvicos. No entanto, algumas mulheres podem achar o procedimento mais desconfortável durante o período devido à sensibilidade aumentada.

Se você estiver agendada para uma ultrassonografia transvaginal e começar o período, é uma boa ideia informar seu médico. Eles podem orientar se você deve prosseguir com o agendamento ou remarcar para outro momento.


A ultrassonografia transvaginal é perigosa para o bebê?

A ultrassonografia transvaginal é considerada segura tanto para a mãe quanto para o bebê. O procedimento utiliza ondas sonoras, não radiação, para criar imagens dos órgãos pélvicos. Essas ondas sonoras não mostraram causar nenhum dano ao feto em desenvolvimento.

Na verdade, a ultrassonografia transvaginal é frequentemente utilizada nas fases iniciais da gravidez para monitorar a saúde e o desenvolvimento do embrião ou feto. É uma ferramenta valiosa que ajuda os especialistas a detectar quaisquer problemas potenciais precocemente, permitindo intervenção ou tratamento rápido, se necessário.


É normal sangrar após uma ultrassonografia transvaginal?

Algumas mulheres podem apresentar pequenos sangramentos ou manchas após uma ultrassonografia transvaginal. Isso geralmente é devido à irritação do colo do útero ou das paredes vaginais durante o procedimento. O sangramento deve ser leve e deve parar dentro de um ou dois dias.

Se você apresentar sangramento intenso, dor intensa ou outros sintomas incomuns após uma ultrassonografia transvaginal, é importante procurar atendimento médico imediatamente. Esses podem ser sinais de um problema mais sério.

Perguntas sobre Ultrassonografia Transvaginal

Nossos especialistas responderam a 3 perguntas sobre Ultrassonografia Transvaginal

Nem sempre a presença de liquido retro uterino é indicativo de doença. Pode ser apenas relacionado ao ciclo menstrual e ao sistema de lubrificação dos órgãos internos. O tratamento depende da…

Olá,

Não necessariamente todos os casos de endometriose exigem a remoção do útero. A endometriose é uma condição na qual o tecido semelhante ao revestimento do útero (endométrio)…

Especialistas falam sobre Ultrassonografia Transvaginal

A ultrassonografia transvaginal ou endovaginal avalia o útero e os ovários. É realizada com a bexiga vazia, fora do período menstrual. Esse exame pode identificar diversas alterações dos ovários, como cistos, policistos, nódulos. No útero é utilizada para avaliar posição do DIU, características do endométrio, presença de miomas, gestação inicial, etc.

Mônica Negrão De Miranda

Generalista

Guanambi


Exame que revolucionou a ginecologia e obstetrícia, fornecendo informações bastante precisas no primeiro trimestre da gravidez, na ginecologia, monitora útero, paramétrios, ovários, trompas, vagina e bexiga. Podendo diagnosticar: evolução da gravidez e suas complicações, na ginecologia, problemas ligados a infertilidade, causas de cólicas menstruais, cistos, nódulos, pólipos endometriais, miomas, adenomiose, endometriose, hemorragias, dores pélvicas e mais uma infinidade de doenças Diferente do exame pélvico, via abdominal, onde a distancia é muito maior, por interposições do intestino e bexiga, a via transvaginal encosta no órgão examinado e com maior resolução

Carlos Alencar

Especialista em diagnóstico por imagem, Radiologista

Porto Velho


Tem como objetivo avaliar útero, endométrio, ovários, região de anexos, uretra, bexiga e pelve. Permite o diagnóstico e acompanhamento de lesões como miomas, pólipos, doença do endométrio, hidrossalpinge e outras alterações tubárias, cistos e tumores ovarianos.

Fernanda Gabriela Mendes

Ginecologista

Curitiba