Comportamentos de risco - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Comportamentos de risco

Os especialistas falam sobre a Comportamentos de risco

São considerados de risco os comportamentos que podem ter efeitos adversos sobre o desenvolvimento físico e psíquico do individuo que o pratica. Estes comportamentos podem então causar dano físico imediato ou efeitos danosos mais discretos e silenciosos. Estes comportamentos são comuns em adolescentes e jovens adultos e muitas vezes são considerados "típicos" a faixa etária, encarados com certa banalidade, como comportamento sexual de risco, abuso de substancias, envolvimentos em brigas, entre outros. É importante se atentar a estas manifestações que se tornam quase que endêmicas, afinal não afetam somente quem produz o comportamento, mas todos que estão ao redor, como o caso do suicídio.
Mariana Pavani
Mariana Pavani Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicanalista, Psicóloga

|

Campinas

Em saúde mental, comportamentos de risco são comportamentos que colocam em risco a própria saúde e vida ou de pessoas próximas. São considerados comportamentos de risco, automutilação, uso abusivo de álcool ou outras drogas, comportamento agressivo (causando inclusive problemas com a polícia ou com a Lei), praticas sexuais sem proteção, tentativas de suicídio. Quando estes comportamentos são decorrência de um sofrimento mental é necessário acolher e cuidar dessa pessoa, a fim de diminuir seu sofrimento e ajudá-la a superar suas dificuldades sem se envolver em situações que comprometam a própria integridade física e emocional.
Clarice Lopes Gentilli

Psicanalista, Psicóloga

|

São Paulo

O que reflito sobre a polêmica do momento, um jogo chamado Baleia Azul: Uma grande histeria coletiva. Vivemos tempos em que o lance é impressionar. Ser algo como um mito fulgaz ou ser um espetáculo. Tudo muito líquido, vibrante. Tudo hipercinetico, superestimulos. Para existirmos sempre precisamos de sermos identificados. De pertencermos a um grupo, nem que seja do whatsapp. Parece muito sedutor ficar famoso. Há os que se juntam a bandos no crime, são idolatrados, são anti-heróis. Na adolescência os impulsos são naturalmente mais acentuados e a necessidade de se identificar a um grupo realmente maior também. De fato existe então um grande risco para muitos destes jovens vulneráveis.
Dr. Luiz Carlos Fortes Filho
Dr. Luiz Carlos Fortes Filho Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

|

Uberaba

Ver mais

Tem perguntas sobre Comportamentos de risco?

Nossos especialistas responderam 2 perguntas sobre Comportamentos de risco.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Olá Dentro desse contexto os riscos se tornam mais relevantes quando uma das pessoas tem alguma doença transmissível. Quando o sexo oral é feito estando ambos os envolvidos sem algum tipo de ferimento no órgão genital e boca, é menos provável que exista a transmissão de alguma doença, como o HIV, por exemplo. Mas quando existe uma porta de entrada como essas que você falou, aumentam muito as possibilidade de alguma transmissão. É recomendável evitar quando se constava ferimentos que possam permitir um contato mais severo entre os fluidos corporais. Se o pênis fica lesionado quando recebido o sexo oral nessas condições, pode ser perigoso.

  • 67
  • 96
  • 62
Leandro Winter Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicanalista, Psicólogo

Curitiba

Marcar consulta

Olá! A psicopedagogia é um especialização que pode ser realizada por qualquer profissional que tenha cursado ensino superior. Seu objetivo é auxiliar crianças, adolescentes e adultos em processos que envolvam o desenvolvimento acadêmico. Não cabe ao psicopedagogo tratar componentes de risco. O tratamento adequado, sugere o acompanhamento psicológico (exercido por um psicólogo) e psiquiátrico (por um médico). Espero ter lhe ajudado! Att. Gisele

  • 48
  • 49
  • 36
Gisele Soler Lloret Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga, Psicopedagoga

Barueri

Marcar consulta

Ver as 2 perguntas sobre Comportamentos de risco