Tamoxifen - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Uso de Tamoxifen

Indicações de Tamoxifen
Terapia adjuvante: tamoxifen e indicado para o tratamento de cancer de mama com linfonodo axilar negativo em mulheres apos mastectomia total ou mastectomia segmentar, linfadenectomia axilar e radioterapia. os dados sao insuficientes para predizer quais mulheres serao mais beneficiadas e em determinar se o tamoxifen propicia algum beneficio a mulheres com tumores menores do que 1 cm. tamoxifen e indicado no tratamento de cancer de mama com linfonodo positivo em mulheres na pos-menopausa apos mastectomia total ou segmentar, linfadenectomia axilar e radioterapia. em alguns estudos com tamoxifen como adjuvante, a maior parte dos beneficios ate o momento tem sido no subgrupo com 4 ou mais nodulos axilares positivos. a quantificacao dos receptores de estrogenio e progesterona pode ajudar a prever se a terapia adjuvante com tamoxifen sera benefica. tratamento para doenca avancada: tamoxifen e eficaz no tratamento de cancer de mama metastatico em mulheres e homens. em mulheres na pre-menopausa com cancer de mama metastatico, tamoxifen e uma alternativa a ooforectomia ou irradiacao ovariana. existem evidencias que indicam que pacientes cujos tumores sao receptores estrogenio-positivos sao, provavelmente, mais beneficiados pelo tratamento com tamoxifen.


Contra-Indicações de Tamoxifen
E contra-indicado em pacientes com hipersensibilidade conhecida a droga. atencao: disturbios visuais, incluindo alteracoes na cornea, catarata e retinopatia, tem sido relatado em pacientes recebendo tamoxifen. como com outras terapias hormonais adjuvantes (estrogenios e androgenios), hipercalcemia tem sido descrita em algumas pacientes com cancer de mama e metastase ossea apos poucas semanas do inicio do tratamento com tamoxifen. se a hipercalcemia de fato ocorrer, medidas apropriadas devem ser tomadas e, caso seja severa, o uso de tamoxifen deve ser interrompido. um aumento na incidencia de alteracoes no endometrio, incluindo hiperplasia, polipos e cancer endometrial foram relatados em associacao ao tratamento com tamoxifen. a incidencia e a forma deste aumento, sugerem que o mecanismo basico esta relacionado as propriedades estrogenicas de tamoxifen. qualquer paciente recebendo tamoxifen que referir sangramento vaginal anormal devera ser prontamente avaliada. em um estudo randomizado na suecia com tamoxifen como tratamento adjuvante, na dose de 40 mg/dia, por um periodo de 2-5 anos, observou-se aumento na incidencia de cancer uterino. vinte e tres de 1372 pacientes tratadas com tamoxifen e 4 das 1357 do grupo controle desenvolveram cancer uterino (rr = 5,6 (1,9-16,2), p < 0,01). uma das pacientes com cancer de utero que foi randomizada para receber tamoxifen nunca tomou a droga. apos aproximadamente 6, 8 anos de acompanhamento no estudo nsabp b-14, 15 das 1419 mulheres randomizadas para receber tamoxifen 20 mg/dia por 5 anos, desenvolveram cancer uterino e duas das 1424 mulheres randomizadas para receber placebo, que subsequentemente tiveram recidiva de cancer de mama e foram tratadas com tamoxifen, tambem desenvolveram cancer uterino. a maior parte dos canceres uterinos foram diagnosticados em estadio inicial, mas mortes consequentes ao cancer uterino foram relatadas. pacientes em tratamento com tamoxifen devem fazer exames ginecologicos rotineiros e relatar qualquer sangramento vaginal anormal a seu medico. tamoxifen tem sido associado com alteracoes nos niveis de enzimas hepaticas e, em raras ocasioes, a mais severas anormalidades hepaticas incluindo esteatose, colestase, hepatite e necrose hepatica. destes casos mais graves, alguns foram fatais. na maior parte dos casos, a relacao com tamoxifen e incerta. no estudo sueco usando tamoxifen 40 mg/dia como adjuvante, por 2-5 anos, 3 casos de cancer hepatico foram relatados no grupo tratado com tamoxifen e apenas 1 no controle. em outro estudo clinico com tamoxifen, nenhum caso de cancer hepatico foi relatado. gravidez: tamoxifen pode causar dano fetal quando administrado a mulheres gravidas. as pacientes devem ser orientadas a nao engravidarem enquanto estiverem tomando tamoxifen, e devem usar medidas contraceptivas de barreira ou nao-hormonais se tiverem vida sexual ativa. efeitos nas funcoes reprodutivas sao esperados devido as propriedades antiestrogenicas da droga. em estudos reprodutivos em ratos com doses igual ou abaixo das utilizadas no homem, alteracoes nao teratogenicas no desenvolvimento esqueletico foram observadas, no entanto reversiveis. alem disso, em estudos de fertilidade em ratos e em estudos de teratogenese em coelhos, com doses iguais ou abaixo daquelas utilizadas em humanos, observou-se baixa incidencia de implantacao de embrioes, alta incidencia de morte fetal ou retardo no crescimento uterino, com menor aprendizagem em alguns dos filhotes quando comparados aos controles. varias saguis gravidas receberam doses durante a organogenese ou na ultima metade da gravidez. nenhuma deformacao foi observada e, embora a dose fosse alta o suficiente para interromper a gravidez em alguns animais, aqueles que, de fato, mantiveram a gravidez nao apresentaram evidencia de ma formacoes. no estudo de desenvolvimento do parelho reprodutor fetal em roedores, o tamoxifeno (em doses 0,3 a 2,4 vezes a dose maxima recomendada para humanos com base em mg/m2) causou alteracoes em ambos os sexos, similares aquelas observadas com estradiol, etinilestradiol e dietilestilbestrol. embora nao se saiba a relevancia clinica destas alteracoes, algumas destas, especialmente adenose vaginal, sao semelhantes aquelas observadas em mulheres jovens que foram expostas a dietilestilbestrol no utero e que tem risco de 1 em 1000 de desenvolver adenocarcinoma de vagina ou cervix (clear-cell). ate o momento, exposicao do utero ao tamoxifeno nao tem demonstrado ser causa de adenose vaginal ou adenocarcinoma de vagina ou cervix (clear-cell), em mulheres jovens. entretanto, apenas um pequeno numero de mulheres jovens tem sido expostas (idade 15-20 anos) para determinar se neoplasia cervical ou vaginal podem ocorrer como resultado a esta exposicao. nao existem estudos adequados e bem controlados do uso de tamoxifeno em mulheres gravidas. existem poucos relatos de sangramento vaginal, abortos espontaneos, defeitos ao nascimento e morte fetal em mulheres gravidas. se tamoxifen for administrado durante a gravidez ou se a paciente ficar gravida na vigencia de tratamento ou mesmo apos 2 meses do final da terapeutica, a paciente deve se avisada quanto ao risco potencial para o feto, incluindo o risco a longo prazo.


Precauções especiais

Como Usar (Posologia)
Em mulheres e homens com cancer de mama metastatico, um ou dois comprimidos de 10 mg sao administrados duas vezes ao dia (manha e noite). em tres estudos, como agente unico em mulheres, um comprimido de tamoxifen de 10 mg foi administrado duas (ecog e nato) ou tres (toronto) vezes por dia por dois anos. no estudo nsabp-b14 em mulheres, em andamento, um comprimido de tamoxifen de 10 mg esta sendo administrado duas vezes ao dia por 5 anos. no estudo ebctcg 1990, a reducao na recidiva e mortalidade foi maior naqueles estudos que utilizaram tamoxifeno por 2 anos ou mais do que naqueles que usaram tamoxifeno por menos de 2 anos. nao houve indicacao de que doses maiores que 20 mg por dia sejam mais efetivas. a duracao otima da terapia adjuvante nao e conhecida.


Laboratório
Laboratório Wyeth-Whitehall Ltda
Remédios da mesma Classe Terapêutica Aredia, Blenoxane, Cisplatina (genérico), Cisplatyl, Citostal
Remédios que contém o mesmo Princípio Ativo Bioxifeno, Tamoxifeno, Tecnotax


Precauções
Gerais: tamoxifen deve ser usado com cautela em pacientes com leucopenia ou trombocitopenia. casos de leucopenia e trombocitopenia tem sido, ocasionalmente, relatados. diminuicao na contagem de plaquetas, ao redor de 50.000-100.000/mm3, raramente mais baixo, foram ocasionalmente descritos em pacientes tomando tamoxifen. em pacientes com trombocitopenia significante, raros casos hemorragicos ocorreram, mas e incerto se estes episodios sao consequentes a terapia com tamoxifen. informacoes para as pacientes: mulheres tomando tamoxifen devem ser instruidas a avisar sobre qualquer sangramento vaginal anormal, que deve ser prontamente investigado. exames laboratoriais: hemograma completo, contagem de plaquetas e testes da funcao hepatica devem ser realizados periodicamente. carcinogenese: um estudo convencional de carcinogenese em ratos (doses de 5, 20 e 35 mg/kg/dia por ate 2 anos) revelaram carcinoma hepatocelular em todas as doses. a incidencia desses tumores foi significantemente maior entre os ratos que receberam 20 ou 35 mg/kg/dia (69%) do que naqueles recebendo 5 mg/kg/dia (14%). a incidencia daqueles que receberam 5 mg/kg/dia (29,5 mg/m3) foi significantemente maior do que nos controles. alem disso, dados preliminares de 2 relatorios independentes de estudos com 6 meses de duracao em ratos, revelaram tumores no figado, que foram classificados como maligno por um dos estudos (veja " atencao"). alteracoes endocrinas em camundongos imaturos e maduros foram investigadas em estudo de 13 meses de duracao. tumores ovarianos e tumores testiculares de celula intersticial foram detectados naqueles recebendo tamoxifen, mas nao nos controles. mutagenese: embora nenhum potencial genotoxico foi descoberto em bacteria convencional de exames in vivo e in vitro, com sistemas de teste procariotico e eucariotico com sistemas de metabolizacao da droga presentes, aumento dos niveis de dna foram encontrados em figados de ratos expostos ao tamoxifeno. tamoxifeno tambem aumenta niveis de formato de micronucleos in vitro em linha de celulas linfoblasticas humanas (mcl-5). baseado nesses achados, tamoxifeno e genotoxico em celulas mcl-5 de roedores e humanos. prejuizo a fertilidade: a taxa de fertilidade de ratos femeas diminuiu apos a administracao de 0,04 mg/kg por duas semanas. houve diminuicao no numero de implantacoes e todos os fetos morreram. apos a administracao de 0,16 mg/kg em ratos do 7o ao 17o dia de gravidez, houve aumento no numero de mortes fetais. a administracao em coelhos de 0,125 mg/kg do 6o a 18o dia de gravidez resultou em aborto ou parto prematuro. mortes fetais ocorreram com altas doses. nao houve alteracoes teratogenicas nos estudos de segmento ii em ratos ou coelhos. varias saguis gravidas receberam doses de 10 mg/kg/dia durante a organogenese ou na ultima metade da gestacao. nenhuma deformacao foi vista e, embora a dose fosse alta o suficiente para interromper a gravidez em alguns animais, aqueles que, de fato, mantiveram a gravidez, nao apresentaram malformacoes. ratos femeas que receberam 0,16 mg/kg do 17o dia de gravidez ate um dia antes do desmame, demonstraram aumento no numero de filhotes nascidos mortos. foi relatado que alguns filhotes nascidos de ratos apresentaram aprendizagem mais vagarosa, sem significancia estatistica em um estudo. em um outro estudo onde a significancia foi relatada, esta foi obtida pela comparacao de animais recebendo a droga com controles de outro estudo. a dose diaria humana recomendada de 20-40 mg corresponde a 0,4-0,8 mg/kg para uma mulher com peso medio de 50 kg. gravidez: veja " atencao". uso durante a lactacao: nao e conhecido se esta droga e excretada no leite materno. em virtude de muitas drogas serem excretadas no leite humano e devido a potencialidade de serias reacoes adversas em lactentes devido ao tamoxifen, deve-se tomar a decisao de interromper a lactacao ou a droga, levando-se em consideracao a importancia da droga para a mae. - interacoes medicamentosas: quando tamoxifen e administrado em combinacao com anticoagulantes tipo dicumarinico, um significante aumento do efeito anticoagulante pode ocorrer. neste caso, recomenda-se a monitoracao cuidadosa do tempo de protrombina. tamoxifeno, n-desmetil tamoxifeno e 4-hidroxitamoxifeno tem-se mostrado potentes inibidores do citocromo hepatico p450 de funcoes oxidativas mistas. o efeito do tamoxifeno no metabolismo e excrecao de outras drogas antineoplasicas, como a ciclofosfamida e outras drogas que requerem funcao oxidativa mista para ativacao, nao e conhecido. uma paciente recebendo tamoxifen com fenobarbital concomitante, apresentou nivel serico de tamoxifeno mais baixo do que o observado em outras pacientes (ou seja, 26 ng/ml contra o valor medio de 122 ng/ml). entretanto, a significancia clinica deste achado nao e conhecida. na terapia concomitante com bromocriptina tem-se observado niveis sericos elevados de tamoxifeno e n-desmetiltamoxifeno. interacoes com exames laboratoriais: durante a vigilancia pos-comercializacao, elevacoes de t4 foram descritas em algumas pacientes na pos-menopausa. estas elevacoes nao foram acompanhadas por hipertireoidismo clinico. variacoes no indice cariopicnico nos esfregacos vaginais e varios graus de efeito do estrogenio em esfregacos de papanicolaou foram vistos com pouca frequencia em pacientes na pos-menopausa que receberam tamoxifen. na experiencia pos-comercializacao com tamoxifen, casos infrequentes de hiperlipidemias foram descritos. monitoramento periodico de triglicerides e colesterol no plasma podem estar indicados em pacientes com hiperlipidemias preexistentes.


Efeitos adversos e efeitos colaterais

Efeitos Colaterais de Tamoxifen
As reacoes adversas de tamoxifen sao relativamente leves e raramente severas o suficiente para interromper o tratamento. se as reacoes adversas forem severas, algumas vezes e possivel controla-las pela simples reducao da dose sem perder o controle da doenca. em pacientes tratados com tamoxifen no cancer de mama metastatico, as reacoes adversas mais frequentes sao fogachos e nauseas e/ou vomitos. estes podem ocorrer em ate um quarto das pacientes. reacoes adversas menos frequentemente descritas sao sangramento vaginal, secrecao vaginal, irregularidades menstruais e exantema de pele. normalmente, estas nao tem sido suficientemente graves para requerer reducao da dose ou interrupcao do tratamento. aumento da dor ossea e/ou tumoral alem de calor local tem ocorrido, associados, algumas vezes, a uma boa resposta do tumor. as pacientes com aumento de dor ossea podem requerer analgesia adicional. as pacientes com doenca do tecido mole podem apresentar repentino aumento no tamanho de lesoes preexistentes, algumas vezes associado a marcado eritema na lesao ou ao seu redor e/ou desenvolvimento de novas lesoes. quando elas, ocorrem, a dor ossea ou o calor local ocorrem logo apos o inicio de administracao de tamoxifen e, geralmente, regridem rapidamente. outras reacoes adversas observadas com pouca frequencia sao hipercalcemia, edema periferico, falta de paladar, prurido vulvar,depressao, vertigem, perda leve de direcao, dor de cabeca e diminuicao do volume e/ou perda parcial de cabelo. tamoxifen tem sido associado a alteracoes nos niveis de enzimas hepaticas e, em raras ocasioes, a anormalidades hepaticas mais graves, incluindo esteatose, colestase, hepatite e necrose hepatica. alguns desses casos mais graves incluiram fatalidades. na maioria dos casos relatados, a relacao com tamoxifen e incerta. cistos ovarianos foram observados em pequeno numero de pacientes na pre-menopausa com cancer de mama avancado tratadas com tamoxifen. tamoxifen e bem tolerado em homens com cancer de mama. a literatura e relato de casos sugerem que a seguranca de tamoxifen em homens e similar aquela observada em mulheres. em homens oligospermicos tratados com tamoxifeno, os niveis de lh, fsh, testosterona e estrogenio estao elevados. nenhuma alteracao clinica significante foi relatada.


Perguntas sobre Tamoxifen

Nossos especialistas responderam a 154 perguntas sobre Tamoxifen

Dra. Patricia Moretto
Dra. Patricia Moretto
Oncologista, Internista
Porto Alegre
Sem problema. Pule o dia de amanhã e siga o seu tratamento normalmente.
1 respostas

A bula do Tamoxifeno descreve fadiga muscular como um possível efeito colateral. Na maioria das pacientes o sintoma é temporário e a melhor maneira de resolvê-lo é iniciando atividades físicas…
1 respostas

Sim, não há problema nesta associação.
1 respostas

Quais profissionais prescrevem Tamoxifen?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.