Renata Prado, Oftalmologista Campinas

Dra. Renata Prado

Oftalmologista

Número de registro: 148646 SP
5 opiniões

Consultório

Av Benjamin Constant, 1134, Campinas
Campcenter

Este especialista não oferece agendamento online neste endereço

Convênios médicos aceitos neste endereço

Pacientes particulares (sem convênio)

Amil

Bradesco Saúde

Cassi

Samaritano


Atende: adultos
Dinheiro

Consulta Oftalmologista

Experiência

Experiência em:

  • Cirurgia do Segmento Posterior
  • Glaucoma
  • Retina
Veja mais

Tratar condições médicas

  • Pterígio
  • Neurite Óptica
  • Neovascularização Retiniana
Mostrar mais doenças

Formação

  • Especialista em Neuroftalmologia, UNICAMP, 2015
  • Graduação em Medicina, Faculdade de Medicina de Petrópolis, 2007
  • Especialista em Retina e Vítreo - clínica e cirurgia, UNICAMP, 2014
Veja mais

Idiomas

Português, Inglês

Serviços e preços

Consulta Oftalmologista


Av Benjamin Constant, 1134, Campinas

Campcenter

Opiniões dos pacientes

5

Classificação geral
5 opiniões

  • Pontualidade
  • Atenção
  • Clínicas e hospitais
D
Paciente verificado
Consulta marcada na doctoralia.com.br Local: Centro Medico Especializado Oftalmo E Otorrino Consulta de rotina

Adorei a Dra Renata! Muito educada, atenciosa e muito profissional, me explicou tudo direitinho. Recomendo!


P
Local: Centro Medico Especializado Oftalmo E Otorrino Rotina

Pontos positivos
Muita atenciosa ótima médica.


U
Paciente verificado
Local: Centro Medico Especializado Oftalmo E Otorrino Rotina

Pontos positivos
Profissional muito atenciosa amei o atendimento. Que Deus abençoe você sempre doutora.


A
Local: Centro Medico Especializado Oftalmo E Otorrino

Pontos positivos
Excelente profissional, médica muito atenciosa, excelente cirurgiã, indico de olhos fechados.


P
Paciente verificado
Local: Centro Medico Especializado Oftalmo E Otorrino

Pontos positivos
Médica muito atenciosa e competente recomendo com certeza


Ocorreu um erro, tente outra vez

Dúvidas respondidas

8 dúvidas de pacientes respondidas na Doctoralia


  • Pergunta sobre Vitrectomia Posterior

    Fiz uma vitrectomia e introflexão escleral e oleo de silicone há 40 dias, na lateral esquerda do olho está bem vermelho e ainda sinto dores. É normal ou ainda pode ocorrer complicações? E fui liberada a voltar ao trabalho.

    Olá! A cirurgia de vitrectomia posterior associada à introflexão escleral é uma ótima técnica para a prevenção do re-descolmento de retina no pós-operatório. Porém, apesar de termos mais garantias de sucesso cirúrgico em termos de se manter a retina colada, é uma cirurgia na qual a superfície conjuntival do olho, é mais manipulada para se colocar a chamada faixa se silicone. Isso deixa, comumente, o olho mais sensível e mais avermelhado. Esses sintomas tendem a desaparecer nos primeiros seis meses. O importante agora é que sua retina permaneça colada. Infelizmente, toda cirurgia de retina pode cursar com complicações, precoces ou tardias. Mantenha o seguimento com seu médico e siga suas recomendações. Atenciosamente, dra Renata Prado

    Dra. Renata Prado

  • Pergunta sobre Descolamento de retina

    Fiz cirurgia de catarata e agora estou com descolamento de vítreo. É consequência da cirurgia este descolamento? Obrigada.

    Olá! O descolamento do vítreo é um processo natural do envelhecimento do olho humano e pode ocorrer independente de realização de cirurgias. Talvez, você poderia já estar com o descolamento antes mesmo de ser operado e após a melhora da visão na cirurgia de catarata, tornaram-se mais evidentes as chamadas “moscas volantes”. Fique tranquilo pois isso não é um problema grave na maioria dos casos. Faça um bom mapeamento de retina para se certificar que está tudo bem e relaxe. Com o passar do tempo, a tendência é o cérebro se acostumar com as “moscas” e elas irem se tornando menos perceptíveis.

    Dra. Renata Prado

Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.

Experiência

Experiência em:

  • Cirurgia do Segmento Posterior
  • Glaucoma
  • Retina
Veja mais

Tratar condições médicas

  • Pterígio
  • Neurite Óptica
  • Neovascularização Retiniana
Mostrar mais doenças

Formação

  • Especialista em Neuroftalmologia, UNICAMP, 2015
  • Graduação em Medicina, Faculdade de Medicina de Petrópolis, 2007
  • Especialista em Retina e Vítreo - clínica e cirurgia, UNICAMP, 2014
Veja mais

Idiomas

Português, Inglês

Artigos

Glaucoma

O glaucoma é uma doença ocular que provoca lesão no nervo óptico e campo visual, podendo levar à cegueira.Na maioria dos casos, vem acompanhado de pressão intraocular elevada, mas pode ocorrer glaucoma de “pressão normal”.O Glaucoma pode ser congênito (presente no nascimento, os recém-nascidos apresentam globos oculares aumentados e córneas embaçadas); secundário (após cirurgia ocular, catarata avançada, uveítes, diabetes, traumas ou uso de corticoides) e crônico (geralmente em pessoas acima de 35 anos, quando ocorre uma obstrução do escoamento de um líquido que existe dentro do olho). Normalmente, não há sintomas e se a doença não for tratada, pode levar à cegueira.


Pterígio

É um processo degenerativo da conjuntiva. O tratamento pode ser clínico ou cirúrgico. O cirúrgico é indicado tanto por razões estéticas ou por diminuição da acuidade visual. A técnica que tem demonstrado os melhores resultados atualmente, pela baixa incidência de recidivas, é a Exérese do Pterígio com Transplante Limbo-conjuntival usando cola biológica, em vez de dar pontos no local.O adesivo, chamado de cola biológica, proporciona melhor área de adesão, com melhor qualidade de cicatrização, mínima inflamação, conforto imediato ao paciente sem a necessidade de retirada de pontos no período pós-operatório, além do resultado estético muito agradável se comparados às suturas (pontos).


Degeneração Macular relacionada à idade

Ocorre geralmente depois dos 60 anos de idade e afeta a área central da retina (mácula), que se degenerou com a idade. A DMRI acarreta baixa visão central (mancha central) dificultando principalmente a leitura. Pele e olhos claros, exposição excessiva à radiação solar, tabagismo e dieta rica em gorduras são fatores que correspondem à maior incidência de DMRI. Em 90% dos casos, ocorre a forma denominada de DMRI seca ou não-exsudativa. Os 10% restantes apresentam a forma exsudativa (caracterizada pelo desenvolvimento de vasos sanguíneos na mácula). Os danos à visão central são irreversíveis, mas a detecção precoce e os cuidados podem ajudar a controlar alguns dos efeitos da doença.


Retinopatia diabética

A diabetes é uma doença complexa e progressiva que afeta os vasos sanguíneos do olho. Um material anormal é depositado nas paredes dos vasos sanguíneos do fundo de olho, causando estreitamento e às vezes bloqueio do vaso sanguíneo, além de enfraquecimento da sua parede – o que ocasiona deformidades conhecidas como micro-aneurismas. Estes micro-aneurismas freqüentemente rompem ou extravasam sangue causando hemorragia e infiltração de gordura na retina. O controle cuidadoso da diabetes com uma dieta adequada, uso de medicações, e muitas vezes, tratamento ocular com fotocoagulação à laser podem evitar a perda irreversível da visão.

Veja todos os artigos

Pesquisas relacionadas