Dr. Rodrigo Parente Medeiros

Especialista em Medicina Física e Reabilitação mais

Goiânia 1 endereço

Número de registro: CRM: 12819-GO - RQE Nº: 8497

1 opinião

Não descuide da sua saúde

Escolha a consulta online para iniciar ou continuar o seu tratamento sem sair de casa. Se precisar, você também pode marcar uma consulta no consultório.

Mostrar especialistas Como funciona?

Consultório

Este especialista não oferece agendamento online neste endereço

Convênios médicos aceitos neste endereço

Pacientes particulares (sem convênio)

Amil

ASSEFAZ (Ministério da Fazenda)

Bradesco Saúde

Cassi

Postal Saúde + 6 mais


Este especialista não fornece todas as informações que você precisa?

Mostrar outros especialistas em medicina física e reabilitação perto de mim

Serviços e preços

Os preços são para pacientes sem convênio médico

Serviços em destaque


Rua 123 número 203 Qd F44 Lt 21, Goiânia

Parente Centro de Reabilitação

Experiência

Experiência em:

  • Reabilitação Geriátrica
  • Reabilitação Neurológica

Doenças tratadas

1 opinião de paciente

Classificação geral

Todas as opiniões são importantes, por isso os especialistas não podem pagar para alterar ou excluir uma opinião. Saiba mais.
U

excelente proficional,

Ocorreu um erro, tente outra vez

Dúvidas respondidas

5 dúvidas de pacientes respondidas na Doctoralia

Como posso saber se estou propensa a ter a síndrome pós polio? Tenho 56 anos e portadora de poliomielite desde um ano de idade?

A Síndrome Pós-Pólio pode acontecer com qualquer pessoa que tenha pólio. Está diretamente ligada ao tempo de evolução, ao grau de atividade do membro acometido e outras características. Procure um médico especialista Fisatra ou neurologista, caso esteja com dor progressiva, piora das funções nas atividades que antes eram exercidas mais facilmente ou alteração do membro.

Dr. Rodrigo Parente Medeiros

É verdade que depois de um ano em reabilitação uma pessoa que teve Síndrome de Guillain-Barré não terá maiores progressos: por exemplo, se não caminha não caminhará mais, se não corre, não correrá mais, e assim por diante?

Não, embora na Síndrome de Guillain-Barre o usual é a recuperação a partir da 8° semana, os ganhos a serem adquiridos não podem ser estipulados por tempo. Claro, que com o passar do tempo, as incapacidades tendem a ser mais difíceis de recuperação. Mas não é o tempo, o preditor de prognóstico, e sim, o grau de deficiência do paciente.

Dr. Rodrigo Parente Medeiros

Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.

Perguntas frequentes