Amigdalectomia com ou sem adenoidectomia - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Especialistas em amigdalectomia com ou sem adenoidectomia

Encontre um especialista em Amigdalectomia Com Ou Sem Adenoidectomia na sua cidade:

Perguntas sobre Amigdalectomia com ou sem adenoidectomia

Nossos especialistas responderam a 47 perguntas sobre Amigdalectomia com ou sem adenoidectomia

Especialistas falam sobre Amigdalectomia Com Ou Sem Adenoidectomia

A dor de garganta é, geralmente, a manifestação de algum processo inflamatório, infeccioso ou irritante das amígdalas (amigdalite), faringe (faringite) ou laringe (laringite). As causas mais frequentes de dor de garganta são as infecções virais ou bacterianas da faringe, amígdalas e da laringe. Entretanto podem ocorrer dor ou incômodo decorrentes de processos alérgicos e irritantes como consequência do refluxo gastro esofágico, após a exposição a fumaça de cigarro, poluição, álcool, tempo frio e com baixa umidade, lesões traumáticas, tumores entre outros.

A cirurgia de amígdala, associada ou não à retirada da adenoide, é uma das cirurgias mais comuns da otorrinolaringologia, especialmente em crianças. Há indicações precisas para esse procedimento, e na consulta médica é possível avaliar adequadamente quais benefícios podem ser alcançados no pós-operatório.

Milene Massucci Bissoli

Otorrino

São Paulo


Amigdalectomia é a cirurgia das amigdalas normalmente tem algumas indicalçoes: Quando apresenta hipertrofiadas ou seja aumentadas e isto incomoda a respirar,falar e comer. Quando apresenta um numero recorrente de infecções o qual atrapalhar o paciente pois toma muitas medicações, vai muitas vezes ao médico E quando apresenta acumulo de restos de comida(caseo ou caseum) e isto ocasiona mau hálito -halitose E pode ser acompanhada da cirurgia da adenoide que é quando ela esta aumentada e dificulta a respiração. Realizo a cirurgia em um sábado pela manha e no final da tarde, se tudo ocorrer bem terá alta. É realizado dentro da boca, se cortes visíveis no pescoço e sem deslocar a mandíbula.

Amigdalectomia trata-se da remoção cirúrgica das amígdalas palatinas (tecido linfóide localizado bilateralmente na orofaringe) e tem como principais indicações: ronco e apneia do sono, amigdalites de repetição, antecedentes de abscessos periamigdalianos, suspeita de neoplasia maligna e amigdalite caseosa. Adenoidectomia é a cirurgia que remove as vegetações adenoidianas (tecido linfóide situado na parte alta da faringe, atrás das fossas nasais) e é indicada quando um aumento exagerado causa obstrução nasal significativa e consequente respiração oral, ronco e/ou apneia do sono, assim como em casos de otites médias de repetição, sinusites de repetição, otite secretora e suspeita de malignidade

A amigdalectomia é o procedimento cirúrgico para a remoção das amígdalas. Existem atualmente 2 principais indicações para esse tipo de cirurgia: 1) Hipertrofia (aumento de tamanho), ocasionando sintomas obstrutivos, principalmente durante o sono. Nesse caso, pode ser indicada também a adenoidectomia (remoção das adenoides) se existir hipertrofia desse tecido também; 2) Amigdalites de repetição - 7 episódios ao ano ou 5 episódios ao ano em 2 anos consecutivos ou 3 episódios ao ano em 3 anos consecutivos - nesse caso só contam as bacterianas (aquelas em que é necessário o uso de antibiótico). Indicações relativas incluem: abscesso periamigdaliano, amigdalite caseosa

A amigdalectomia é a ressecção cirúrgica das tonsilas palatinas, e a adenoidectomia é a ressecção cirúrgica da adenóide (tonsila faringea). As tonsilas são órgãos linfáticos produtores de imunoglobulinas, e existem algumas indicações para a cirurgia. Adenoamigdalectomia (adenóide e amígdala) tem indicação quando o paciente tem respiração bucal e não nasal, má formações craniofaciais, diminuição de crescimento e apensa do sono. Apenas ressecção de adenóide tem indicação na sinusite crônica, otites médias de repetição, casos de neoplasia e obstrução respiratória com amígdalas pequenas. Cada paciente deve ser avaliado individualmente, e tratado de acordo com as alterações que apresentar.

Janaína Kopp

Otorrino

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

É uma das cirurgias mais realizadas na atualidade, principalmente durante a infância. Indicações são diversas, como: hipertrofia adenotonsilar, que podem ocasionar desconforto respiratório, distúrbios do sono, da deglutição e da fonação e, em longo prazo, podem gerar alterações no desenvolvimento craniofacial. Além de outras indicações como: amigdalite de repetição, abscessos periamigdaliano, amigdalite crônica caseosa, dentre outras. A cirurgia é sempre realizada com anestesia geral e intubação oro-traqueal. Existem diversas técnicas cirúrgicas com eficácia e taxa de complicações semelhantes. Nenhuma necessita de incisões na pele. A taxa de complicação é bastante baixa.

Carlos Henrique Tolomei

Otorrino

Bauru


A amigdalectomia é a ressecção cirúrgica das tonsilas palatinas, e a adenoidectomia é a ressecção cirúrgica da adenóide (tonsila faringea). As tonsilas são órgãos linfáticos produtores de imunoglobulinas, e existem algumas indicações para a cirurgia. Adenoamigdalectomia (adenóide e amígdala) tem indicação quando o paciente tem respiração bucal e não nasal, má formações craniofaciais, diminuição de crescimento e apensa do sono. Apenas ressecção de adenóide tem indicação na sinusite crônica, otites médias de repetição, casos de neoplasia e obstrução respiratória com amígdalas pequenas. Cada paciente deve ser avaliado individualmente, e tratado de acordo com as alterações que apresentar.

Hamilton Leal Moreira Ferro

Otorrino

Presidente Getúlio


A dita carne esponjosa, ou mais tecnicamente hipertrofia de adenóide e em alguns casos de amígdalas, é uma condição recorrente, sobretudo em crianças. Compromete principalmente o desenvolvimento craniofacial da criança, fazendo com que ela leve pra vida adulta um problema que poderia ser evitado ainda pequena. Também gera resfriados recorrentes e infecções de ouvido que em alguns casos podem levar a perdas auditivas. Hoje em dia evoluímos muito na técnica cirurgica permitindo uma evolução pós operatoria rápida e de pouco sofrimento. Ao operar com auxilio de microdebridador e aparelho videoendoscópico o índice de recidiva é bastante reduzido em relação a uma técnica tradicional.

Quais profissionais realizam Amigdalectomia com ou sem adenoidectomia?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.