Profilaxia pós-exposição ao hiv - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Especialistas em profilaxia pós-exposição ao hiv

Encontre um especialista em Profilaxia pós-exposição ao HIV na sua cidade:
Nadia Ferreira Rivera

Nadia Ferreira Rivera

Médico clínico geral, Endocrinologista

Rio de Janeiro

Agendar uma visita
Juliana Schwab

Juliana Schwab

Infectologista

Ponta Grossa

Agendar uma visita
Monique do Vale

Monique do Vale

Infectologista

Rio de Janeiro

Agendar uma visita
Victor Castro Lima

Victor Castro Lima

Infectologista

São Paulo

Agendar uma visita

Perguntas sobre Profilaxia pós-exposição ao hiv

Nossos especialistas responderam a 204 perguntas sobre Profilaxia pós-exposição ao hiv

A PEP pode ser administrada até 72 horas após o contato. Estudo em animais mostra que sua eficácia é maior quando usada nas primeiras 36 horas. Lembre-se que existe a possibilidade da Prep também.…
2 respostas

Temos no nosso país o HIV-1 com vários subtipos e todos são sensíveis a PEP. HIV-2 é bastante raro no Brasil.Para saber se a pessoa fonte que é soropositva tem algum tipo de resistência a TENOFOVIR+LAMIVUDINA+…
1 respostas

A PEP é eficaz desde que seja utilizada corretamente e pelo tempo certo. No seu caos que usa continuamente, deveria pensar em utilizar a PrEP.
1 respostas

Especialistas falam sobre Profilaxia pós-exposição ao HIV

A PEP é uma medida de prevenção de urgência à infecção pelo HIV, que consiste no uso de medicamentos para reduzir o risco de adquirir essas infecções. Deve ser utilizada até 72 horas após qualquer situação em que exista risco de contágio, tais como: • Violência sexual; • Relação sexual desprotegida (sem o uso de camisinha ou com rompimento da camisinha); • Acidente ocupacional (com instrumentos perfurocortantes ou contato direto com material biológico).

Quais profissionais realizam Profilaxia pós-exposição ao hiv?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.