Sou alcoólatra e minha família quer uma internação involuntária.Prefiro semi aberto e à noite voltar ao grupo de AA.Prefiro ate mm parar de trabalhar pra passar o dia todo em reuniões .Estou errada por estar tão intransigente?
O primeiro passo quem deve dar, para que um futuro tratamento possa ser positivo, é você. Enquanto não houver esse reconhecimento de sua parte, essa luta dificilmente será vencida. É importante a participação em um grupo de AA, para que se possa vivenciar o que o álcool pode fazer a um individuo, e assim, já que quem está dentro do problema não consegue perceber o quanto mal está causando a si próprio e as pessoas ao seu redor, tomar consciência de que precisa de ajuda profissional. O diálogo e apoio dos familiares é parte importantíssima para o tratamento, assim como um acompanhamento médico e psicológico, já que na maioria das vezes, o problema com álcool se inicia com impasses de ordem emocional.
A causa da "intransigência" pode se dar por uma resistência emocional por saber, se for o caso, que o real motivo dessa fuga através do álcool, terá que ser "tratada" e vivenciada para que haja uma diminuição desse sofrimento.

O tratamento do alcoolismo é bem complexo e demanda uma junção de fatores de suporte como família, tratamento psicoterápico e psiquiátrico. Recomendo que você procure um profissional capacitado para melhores esclarecimentos e encaminhamentos necessários. Espero que tenha sucesso nessa nova fase da vida. Obrigado.

O alcoolismo é uma doença traiçoeira. O doente tem dificuldade de reconhecer sua doença, seu comportamento destrutivo e sua compulsão pela bebida. O alcoolismo afeta também os familiares. A doença do alcoolismo produz um comportamento dependente. A dinâmica familiar fica voltada para fazer com que o bebedor compulsivo pare de beber. As promessas frustradas levam à desesperança, raiva e frustração.
Assim de um lado há um doente que busca recuperar sua saúde, o amor e a confiança da família. De outro lado há uma família ferida, desesperada e cansada de promessas que não se cumprem.
Nesse ambiente é difícil tomar decisões. Por isso, por vezes é importante reconhecer que as decisões precisam ser tomadas com ajuda de profissionais. Sugiro que procurem ajuda de profissionais para tomar essa decisão. É importante superar a vaidade de saber quem está certo ou errado nesse momento. A decisão pela melhor forma de tratamento deve ser mediada por profissionais, a família e você.

 Paulo Renato Oliveira
Paulo Renato Oliveira
Psicanalista, Psicólogo
Rio de Janeiro
Converse abertamente com sua família, pois o principal fator de recuperação do adicto em álcool é sua adesão ao tratamento. Este tratamento tem algumas condições básicas: desintoxicação, uso de medicação psiquiátrica continuada, psicoterapia e frequência assídua a grupos de ajuda. Acho, a princípio, que abrir mão de trabalho seria contraindicado, pois uma ocupação produtiva deve ser parte do próprio tratamento. Procurem ajuda para mediar essa conversa, de um Psicólogo Clínico ou de um Psiquiatra, ou mesmo de alguém do AA.

 Cristina Mostardinha
Cristina Mostardinha
Psicólogo
Rio de Janeiro
Para que o tratamento dê certo, primeiro precisa reconhecer verdadeiramente que precisa de ajuda, depois escolher que tipo de ajuda será mais adequado para você nesse momento : pare e faça uma reflexão profunda sobre o tipo de tratamento que está precisando.
Existem dois caminhos : participar de um programa de desintoxicação em uma clínica médica ou hospital ficando um tempo internada ou procurar ajuda médica ( para a administração de medicamentos) e ajuda de um psicólogo para ter suporte para enfrentar esse período sozinha, além das reuniões do grupo de AA.
Precisa ter em mente que o alcoolismo é uma compulsão e por isso não tem cura e, sim controle!E, controle para a vida toda!Por isso a psicoterapia será muito importante para o resto da sua vida!
Procure ajuda, você não precisa e não pode passar por isso sozinha.
Espero ter ajudado e estarei torcendo por você!

Especialistas em Alcoolismo

Luíza Pinheiro

Luíza Pinheiro

Psiquiatra

Juazeiro Do Norte

Kellen Arrais Gualtier

Kellen Arrais Gualtier

Psiquiatra

Goiânia

Cintia Tanaka

Cintia Tanaka

Psiquiatra

Rio de Janeiro

Pamela Gouveia

Pamela Gouveia

Psiquiatra

Recife

Ticiana Macedo

Ticiana Macedo

Psiquiatra

Fortaleza

José Justiniano Torrico

José Justiniano Torrico

Médico clínico geral

Rio Branco

Perguntas relacionadas

Você quer enviar sua pergunta?

Nossos especialistas responderam a 56 perguntas sobre Alcoolismo

Este valor é muito curto. Deveria ter __LIMIT__ caracteres ou mais.

  • A sua pergunta será publicada de forma anônima.
  • Faça uma pergunta de saúde clara, objetiva seja breve.
  • A pergunta será enviada para todos os especialistas que utilizam este site e não para um profissional de saúde específico.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se ao seu médico/especialista ou provedor de saúde da sua região.
  • Não são permitidas perguntas sobre casos específicos, nem pedidos de segunda opinião.

Iremos utilizá-lo para o notificar sobre a resposta, que não será publicada online.
Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.