Alcoolismo - Informações, especialistas e perguntas frequentes

O que é?

O alcoolismo é uma doença crônica. Trata-se do consumo compulsivo de álcool. Ele gera dependência. Esse desejo incontrolável leva à ingestão de quantidades da droga capazes de prejudicar o organismo do alcoólatra.

Qual é a causa?

Os fatores ambientais são apontados como os principais responsáveis por levar o indivíduo ao consumo descontrolado de álcool. Todavia, a genética também teria sua contribuição no desenvolvimento da doença. O alcoolismo tende a se desenvolver com mais frequência em famílias onde há o histórico do consumo excessivo de álcool. Inclusive alguns estudos já demonstraram que filhos adotados por pais que não bebem têm mais tendência a se tornarem alcoólatras no caso de seus pais biológicos terem sofrido dessa doença.

Quais os sintomas?

O álcool absorvido pelo corpo é removido essencialmente pelo fígado (até 98%). Rins, pulmões e pele completam a tarefa. A capacidade de absorção da droga varia de pessoa para pessoa de acordo com seu peso e a velocidade de metabolização. Quando consumido acima desses limites, o álcool acumula-se no organismo causando problemas como obesidade, deficiência de proteína e vitaminas do complexo B. Há ainda a possibilidade de que os alcoólatras desenvolvam o que foi chamado de síndrome de blackout. O consumo excessivo da droga interfere no mecanismo cerebral causando esquecimento das atividades recentes. Em longo prazo o álcool prejudica praticamente todos os órgãos do corpo. O fígado é o mais atingido.

Como fazer o diagnóstico?

A entrevista do médico com o doente ou mesmo com familiares que possam relatar seu comportamento é suficiente para que se faça o diagnóstico.

Qual o tratamento?

Não há qualquer medicamento que evite o consumo de álcool. Todo e qualquer tratamento para o alcoolismo necessita da participação do doente. Esse costuma ser o maior obstáculo para o sucesso, uma vez que a droga é aceita socialmente e dificilmente os alcoólatras admitem serem portadores da doença. Logo, o primeiro passo de qualquer tratamento passa pela admissão dessa condição. A sequência é o processo de desintoxicação, que pode ser feito em instituições especializadas e com acompanhamento médico. Porém, o mais importante é o acompanhamento em longo prazo. Nesse aspecto, entidades como os Alcoólatras Anônimos oferecem suporte.

Especialistas em alcoolismo

Encontre um especialista em Alcoolismo na sua cidade:
José Justiniano Torrico

José Justiniano Torrico

Médico clínico geral

Rio Branco

William Jofre Almeida de Barros

William Jofre Almeida de Barros

Médico clínico geral, Médico do trabalho

Blumenau

Luis Falivene Roberto Alves

Luis Falivene Roberto Alves

Psiquiatra

Campinas

Thiago Cesar Rocha Azevedo

Thiago Cesar Rocha Azevedo

Médico clínico geral

Recife

Tiago Lenz De Brum

Tiago Lenz De Brum

Psiquiatra

Concórdia

Karina W Borloth Lurio

Karina W Borloth Lurio

Médico clínico geral

Rio de Janeiro

Perguntas sobre Alcoolismo

Nossos especialistas responderam a 48 perguntas sobre Alcoolismo

Olá, inicialmente é importante que a pessoa se reconheça como alguém doente e que precisa de tratamento, talvez quem você esteja descrevendo ainda não tenha chegado nesse momento, já que isso…
5 respostas

O primeiro passo quem deve dar, para que um futuro tratamento possa ser positivo, é você. Enquanto não houver esse reconhecimento de sua parte, essa luta dificilmente será vencida. É importante…
5 respostas

Olá! O paciente já está em tratamento? Essa medicação é bastante utilizada para a dependência de alcool, mas como não sou psiquiatra não posso lhe informar exatidão, mas é importante o paciente…
3 respostas

Especialistas falam sobre Alcoolismo

O alcoolismo é uma doença crônica e progressiva caracterizada por uma perda de controle sobre o uso de álcool, com conseqüências sociais, legais, psicológicas e físicas subsequentes. Depressão, ansidedade, demência, problemas gastrintestinais (hepatite alcóolica, cirrose, pancreatite) são algumas das doenças induzidas pelo álcool. A dependência é caracterizada quando o indivíduo persiste fazendo abuso com necessidade cada vez maiores de consumir o álcool, usa a substância para aliviar ou evitar os sintomas de abstinência( tremores das mãos, insônia, ansiedade, aumento da pressão sangüínea, na temperatura corporal e na freqüência respiratória).

Valdir Campos

Psiquiatra

Belo Horizonte

Agendar uma visita

Alcoolismo e festas… Tem como escapar dele? Sim! Tem que ter!!! Quanto a isso, costumo ser muito clara com meus pacientes. Há duas situações: 1- Ou você está fortalecido e seguro e pode estar num ambiente regado a vinho, cerveja, champanhe, e outras bebidas alcoólicas, e tem pleno controle e consciência de sua condição e é capaz de resistir; 2- Ou, se não está plenamente seguro, o melhor é evitar o ambiente. Portanto, para vencer o alcoolismo, não recair, às vezes é necessário sacrificar a vida social em detrimento da sua saúde mental. Melhor se abster do que “ ganhar” de presente, todos os prejuízos e consequências que o alcoolismo traz, os quais quem luta contra ele conhece tão bem!

Katia Kaori Yoza

Psiquiatra

Guarulhos


O alcoolismo é uma doença grave que possui um grande estigma social. As pessoas costumam acreditar que o alcóolatra bebe porque não tem força de vontade, o que não é verdade. O tratamento consiste em seguir os 12 passos do AA dentro do consultório, em conjunto com visitas presenciais ou virtuais aos centros de AA e em alguns casos com farmacoterapia (uso de medicamentos controlados). Conforme o paciente vai se tornando consciente da sua doença e vai levantando a sua autoestima, começa a ter coragem de lutar contra esse transtorno que costuma deixar toda a família estreessada e abalada, sem contar com todos os prejuízos na saúde física, no trabalho e na vida como um todo do paciente.

Khristian Wilkes Drummond

Psicólogo

Nova Friburgo


Alcoolismo, é um problema de saúde, esse tratamento é feito com vários suportes como: psicologia, psiquiatria, enfermagem, educação física entre outras, para obter uma recuperação satisfatória. A psicoterapia é uma terapia que trata da saúde emocional, considerando que o alcoolismo pode estar relacionado a depressão, carência afetiva, ansiedade, baixa resistência a frustração , entre outras dificuldades emocionais. A psicoterapia ajuda o alcoolista conhecer mais sobre si mesmo, aprenderá habilidades para voltar ter uma vida saudável . A psicoterapia auxilia na prevenção de recaída, motivando o alcoolista se manter-se sóbrio para elaboração plano de vida.

Célia Cristina Teixeira

Psicólogo

Belo Horizonte


O alcoolismo é um grande problema na sociedade brasileira. É de longe a substância mais consumida e por consequência, a que também engorda as fileiras estatísticas quando o assunto é dependência química. De fato, há algo em toda e qualquer substância que afeta nosso corpo, forçando seu ab-uso (ab, no latim, significa excesso). Sendo assim, é muito importante verificar quais as relações em que o sujeito dependente estabeleceu frente ao excesso, deixando de ter o controle de seus impulsos, entregando-o à substância. A psicanálise tem muito a oferecer frente a esse grande problema que aflige uma parcela significativa da população.

Thiago De Sousa

Psicanalista, Psicólogo

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

A dependência de álcool é uma doença, muitas vezes o paciente demora a perceber os prejuízos e aceitar que está doente, e isso gera um atraso no início do tratamento. As características do quadro e sintomas do paciente que faz uso prejudicial de álcool é variável, e por isso avalio caso a caso, e assim decidimos pelo melhor tratamento.

Graças a pesquisa de um cientista finlandês chamado John David Sinclair, hoje temos a possibilidade de curar cerca de 80% dos casos de alcoolismo, utilizando o método desenvolvido por ele chamado Método Sinclair ou de Extinção Farmacológica. Além do alto índice de resolução, este método de tratamento é mais simples, mais barato e mais seguro, pois ele não acarreta sintomas da síndrome de abstinência. O método é baseado em conceitos de farmacologia e psicologia comportamental e foi testado em estudos clínicos de ótimo padrão. É possível que este método também seja eficaz para tratar outros vícios.

Ivan Barenboim

Psiquiatra

São Paulo


O alcoolismo é uma doença e, portanto, deve ser encarada de maneira global. O tratamento medicamentoso e psicoterapêutico,a participação familiar e orientação para condutas no dia-dia fazem parte da terapêutica, bem como a procura de inserção e retomada das conquistas laborais, sociais e de relacionamento.

Maria Alice Ferragut

Psiquiatra, Radioterapeuta

Vinhedo


O alcoolismo é a dependência química mais prevalente na população brasileira, sendo mais comum em homens. Traz graves repercussões clínicas e psiquiátricas, podendo levar à psicose, demência, insuficiência cardíaca e até ao óbito. Além de ser comum a presença de depressão ou transtornos ansiosos em quem faz uso abusivo de álcool, que devem ser reconhecidos e tratados pelo Psiquiatra. O tratamento atual do alcoolismo, de forma adequada com Psiquiatra, evita danos irreversíveis aos diversos órgãos e permite uma vida longe do álcool, mantendo a abstinência com qualidade de vida, restabelecendo contatos sociais, familiares e produtividade no trabalho.

Demétrius De Luna Lopes Benevides

Psiquiatra

São João del Rei


Alcoolismo é um problema sério. Destrói vidas. Denigre a reputação do indivíduo. Causa transtornos de diversos âmbitos para a família. Afeta no convívio social, na vida profissional, nas finanças e na saúde. Frequentemente, a ingestão de álcool está relacionada a prazer, celebração, comemoração. Torna-se uma “ferramenta de convivência”, rebaixando a timidez e a auto censura, fazendo com que as pessoas estejam mais abertas a interagir e se expressar. A boa notícia é que a Hipnose apresenta resultados incríveis para resolver esse problema. De modo a substituir o hábito nocivo por hábitos saudáveis, sem que haja esforço consciente.

"O alcoolismo começa como uma escolha, torna-se um hábito, e depois uma necessidade" já dizia o psiquiatra norte americano Benjamin Rush ainda no século 18. Sua importante constatação contribuiu bastante para o reconhecimento dos prejuízos ocasionados pelo consumo excessivo do álcool. A doença do alcoolismo evolui da maneira descrita: lentamente na grande maioria dos casos. A interrupção abrupta do consumo de álcool gera desadaptação por parte do usuário, fato que demanda atenção total dos profissionais de saúde mental. O abuso do álcool caracteriza-se por um padrão patológico de ingestão repetitiva afetando a saúde física, bem estar psicológico e funcionamento profissional e familiar

O alcoolismo é uma doença traiçoeira. O doente não consegue reconhecê-la, por isso nega que seus problemas pessoais, familiares, profissionais são causadas pelo descontrole e pelo execesso de uso de bebidas alcoólicas. O tratamento consiste em ajudar o doente a reconhecer seu descontrole ante o beber excessivo. Pode ser necessário auxilio de medicação, a qual dependerá de avaliação médica. O doente alcoolista cria uma rotina que favoreça seu hábito de beber. A segunda etapa do tratamento consiste em reconstruir as atividades pessoais e profissionais a partir da análise e desejo do paciente.

A Síndrome da Dependência do álcool, implica na perda da capacidade de optar, instalando-se em indivíduos que habituam-se ao uso excessivo do álcool. É uma doença crônica e progressiva, caracterizado pela presença de três ou mais critérios a segui: - Tolerância; - Abstinência; - Consumo por tempo mais prolongado e em quantidades maiores que o planejado; - Desejo persistente de uso e incapacidade para controlá-lo; - Muito tempo gasto em atividades para conseguir a substância; - Redução do circulo social em função do uso da substância; - Persistência do uso da substância, apesar de prejuízos à saúde física. O tratamento deve ser em conjunto com psiquiátra, alem de resgatar os laços perdidos.

Quais profissionais tratam Alcoolismo?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.