Bloqueios neurolíticos - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Especialistas - bloqueios neurolíticos

Olympio Chacon

Olympio Chacon

Especialista em dor, Anestesiologista

São Paulo

Agendar uma visita
Leonardo Ferraz

Leonardo Ferraz

Especialista em dor, Anestesiologista

São Paulo

Agendar uma visita
Luana Kim

Luana Kim

Especialista em medicina física e reabilitação

São Paulo

Agendar uma visita
Igor Martins

Igor Martins

Especialista em dor, Anestesiologista

Aracaju

Agendar uma visita
Karenthan de Abreu

Karenthan de Abreu

Especialista em dor

São Paulo

Agendar uma visita
Julia Brum

Julia Brum

Especialista em dor, Anestesiologista

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

Perguntas sobre Bloqueios neurolíticos

Nossos especialistas responderam a 1 perguntas sobre Bloqueios neurolíticos

Realmente apos 13 anos , os bloqueios anestesicos podem não trazer alívio . Porem , cada paciente tem aspectos muito particulares e sugiro que seja realizado dois bloqueios em intervalo de 07…
3 respostas

Especialistas falam sobre Bloqueios Neurolíticos

O princípio do tratamento consiste em reduzir a inflamação das raízes nervosas, das articulações da coluna além de modular a dor. Os nervos inflamados são mais sensíveis a estímulos dolorosos, fazendo que a dor seja mais intensa e tenha uma duração mais prolongada. Favorece que o nervo retorne ao seu funcionamento normal. As infiltrações são indicadas na dor lombar ou ciática aguda, intensa não responsiva a medicamentos e fisioterapia e nos casos de dores crônicas, que não apresentaram melhora com o tratamento conservador. É realizado em regime hospitalar, com uma sedação leve para garantir o maior conforto. A alta é dada no mesmo dia. É um procedimento paliativo.

Daniel Ferreira Ghedini

Ortopedista - traumatologista

Belo Horizonte

Agendar uma visita

Quais profissionais realizam Bloqueios neurolíticos?

Pesquisas relacionadas


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.