Histerectomia - Informações, especialistas e perguntas frequentes

O que é uma histerectomia?

Histerectomia significa a remoção do útero (útero). A histerectomia pode ser combinada ou não com a remoção das trompas de falópio e um ovário ou ambos. A remoção de uma trompa e ovário é chamado salpingo-ooforectomia, e as duas trompas e ovários é chamado salpingo-ooforectomia bilateral.

Existem diferentes tipos de histerectomia descrito como os órgãos são retirados.

  • A histerectomia total é a operação mais comum e indica a remoção do útero e colo do útero (essa é a parte mais baixa do útero, e os contatos na parte inferior da vagina).
  • A histerectomia parcial (subtotal) indica a remoção do corpo do útero, deixando o colo do útero.
  • A histerectomia radical envolve a remoção do útero, colo do útero, uma pequena porção da parte superior da vagina e alguns do tecido conjuntivo (tecido que serve como uma união entre os órgãos) da pelve. A histerectomia radical é realizada somente em casos de câncer cervical e ginecologistas que receberam treinamento especial.

Quando é preciso de uma histerectomia?

A histerectomia é uma das cirurgias ginecológicas mais comuns. A histerectomia é quase sempre necessária se você estiver diagnosticado com câncer cervical ou câncer do colo do útero e geralmente é recomendada se houver câncer de ovário.

No entanto, a maioria das histerectomias são realizadas em mulheres sem câncer, mas na qual a hemorragia uterina ou dor que causam tantas dificuldades que desejam operar. Nesses casos, a histerectomia é apropriada apenas para as mulheres que querem ter filhos no futuro.

A histerectomia é geralmente uma opção para mulheres com miomas, endometriose, doença inflamatória pélvica ou períodos pesados ??sem nenhuma explicação. Se uma mulher tem prolapso uterino (descida e saída parcial ou total do útero através da vagina) pode realizar uma histerectomia como parte da operação de reparo prolapso. Um caso especial é a urgente necessidade de histerectomia depois de um parto normal ou cesariana para complicações, geralmente o sangramento, que por vezes surgem.

A indicação mais freqüente para a histerectomia é mioma uterino (miomatoso).

Como é uma histerectomia?

A histerectomia é um procedimento cirúrgico e é realizado sob anestesia geral. Além dos diferentes tipos de histerectomia, há diferentes maneiras em que o médico pode realizar a operação. Isto pode ser influenciada pela razão para histerectomia em primeiro lugar, o tamanho do útero e da experiência e preferência do ginecologista individual.

  • Histerectomia abdominal é o método mais comum é através de uma cicatriz de seis polegadas ao redor da barriga.
  • A histerectomia vaginal é realizada através da vagina e não deixam sinais visíveis externos que a mulher teve uma operação.
  • Em uma histerectomia vaginal assistida por laparoscopia (HVAL), o médico usado em combinação com a cirurgia endoscópica através da vagina para concluir a operação.

As diferenças entre elas são especificadas em termos de tempo de admissão, custos financeiros e tempo necessário para uma recuperação completa. Assim, a histerectomia abdominal requer mais dias no hospital depois da operação, seus custos são mais elevados e a recuperação é mais lenta. Histerectomia vaginal  assistida por laparoscopia são aqueles requer menos tempo de hospitalização, a recuperação é mais rápida e geralmente têm menos complicações.

Como você se sente depois de uma histerectomia?

Fortes analgésicos são prescritos para os primeiros dias após a cirurgia. Mulheres são incentivadas a se movimentar nas primeiras 24 horas após a cirurgia e, geralmente, comer e beber durante este tempo. A maioria das mulheres permanece no hospital entre três e cinco dias após a histerectomia de rotina.

É aconselhável um plano de quatro a seis semanas de convalescença após a histerectomia, embora o tempo de recuperação possa variar de mulher para mulher. Tempo de recuperação é muitas vezes menor se você tiver realizado uma histerectomia vaginal ou HVAL comparado com a histerectomia abdominal. O tempo de recuperação é mais longa após uma histerectomia radical. A resposta emocional após uma histerectomia variam muito de uma mulher para outra, muitas vezes, dependendo do motivo da intervenção. Geralmente, haverá uma sensação de alívio que a dor eo desconforto dos períodos menstruais uma coisa do passado com a impressão de que você pode continuar sua vida de forma mais positiva. Mulheres diagnosticadas com câncer muitas vezes são muito inquieto, com razão, sobre o sucesso da cirurgia, e pode estar preocupado com a necessidade de outras formas de tratamento destinadas a prevenir uma recaída.

Para algumas mulheres, há um sentimento de perda, já que o local onde alguns dos seus filhos nasceram  se foram para sempre. Seja qual for a resposta emocional, é aconselhável que as mulheres expressem suas ansiedades e sentimentos a alguém que você pode confiar, se um amigo, parente, ou mais apropriadamente, um ginecologista, que lhe dará informações precisas e apoio que você precisa para se ajustar à nova situação, evitando a tendência à depressão em alguns pacientes surge.

Quais são os riscos de uma histerectomia?

Nenhuma operação é sem risco. A histerectomia é uma cirurgia grande, mas a maioria das mulheres  não sofrem complicações. Se uma mulher perde de peso acima do peso, antes a histerectomia pode facilitar a operação e reduzir a possibilidade de complicações pós-operatórias. As complicações surgem de tempos em tempos e estas incluem:

  • Hemorragia grave no momento da intervenção.
  • Lesão cirúrgica para a bexiga ou ureteres (tubos estreitos que levam a urina dos rins para a bexiga) ou outros órgãos nas proximidades do útero.
  • Após a cirurgia, uma infecção que envolve a ferida cirúrgica ou da bexiga (cistite). Podem requerer tratamento com antibióticos.
  • Uma complicação rara, mas grave, é o desenvolvimento de coágulos nas veias das pernas (trombose venosa) ou pelve, com o risco de sua migração para o pulmão ou área do cérebro causando ferimentos graves ou morte.

Será que ahisterectomia vai afetar sua vida sexual ?

A maioria das mulheres não experimentam nenhum efeito adverso no seu prazer sexual. Muitas vezes, o oposto é verdadeiro, com uma melhoria na sua vida sexual, especialmente se o sangramento era prolongado e que causava a dor  útero durante a relação sexual. A maioria das mulheres pode ter relações sexuais mais ou menos seis semanas após a histerectomia.

Você precisa  começar a terapia de reposição hormonal após uma histerectomia?

Se uma mulher não passou pela menopausa (menopausa) e teve seus ovários removidos no momento da histerectomia, geralmente recomendo este tratamento hormonal  para evitar ondas de calor, o resto da grande variedade de sintomas sofridos pelas mulheres e até mesmo mais importantes para a sua saúde, a prevenção da osteoporose (enfraquecimento dos ossos) e problemas cardiovasculares.

Se os ovários não são removidos, continuam a produzir o hormônio feminino (estrogênio) e esta terapia de reposição hormonal não é necessário.

Você precisa ter um esfregaço cervical (Papapanicolau) após uma histerectomia?

Se não havia câncer antes histerectomia e colo do útero foi removido, não há necessidade de manchas mais. Se você já teve uma histerectomia parcial (subtotal) e ainda faz parte do colo do útero, é necessário continuar o programa de revisão da citologia cervical.

Existem alternativas à histerectomia?

Na presença de certos tipos de câncer, raramente há uma alternativa realista à histerectomia. Para estados não o câncer, a histerectomia é normalmente oferecida quando o tratamento com comprimidos ou outros procedimentos cirúrgicos têm sido tentadas e fracassaram.

Para mulheres com períodos pesados ??sem nenhuma explicação, técnicas cirúrgicas que tentam remover ou destruir o revestimento do útero (ablação endometrial) podem proporcionar alívio dos sintomas, sem recorrer a cirurgia mais séria. Lembre-se que uma histerectomia ou procedimento de ablação endometrial é adequada apenas para uma mulher que deseja engravidar no futuro.

Quando há sangramento vaginal grave a causa disso é a presença de miomas no útero e podem optar por cirurgias conservadoras como  a remoção de tal retenção do útero. Isto é especialmente importante em mulheres jovens que desejam ter filhos.

Especialistas em histerectomia

Encontre um especialista em Histerectomia na sua cidade:
William Willmer

William Willmer

Cirurgião geral, Cirurgião oncológico

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

Perguntas sobre Histerectomia

Nossos especialistas responderam a 1594 perguntas sobre Histerectomia

Dr. Marcos Pitaluga
Dr. Marcos Pitaluga
Ginecologista
Ji-Paraná
Olá. Aparentemente não está normal. Sugiro retorno com o seu ginecologista.
1 respostas

Dra. Marcela Arruda Saboia Nogueira dos Santos
Dra. Marcela Arruda Saboia Nogueira dos Santos
Cirurgião oncológico, Cirurgião geral
Rio de Janeiro
O que vai definir qual tipo de anestesia é o a indicação (motivo da sua cirurgia) , se vai ser videolaparoscópica (furinhos) ou laparotomia (corte) e não suas comorbidades. Em relação a sua…
2 respostas

Não deveria estar doendo após 2 meses não. Dependendo da indicação da sua cirurgia ou da técnica realizada (total - quando retiramos o colo uterino também ou subtotal- quando deixamos…
1 respostas

Especialistas falam sobre Histerectomia

A cirurgia de retirada do útero é bem indicada para mulheres que não desejam mais engravidar e que tenham muito sangramento ( por exemplo causado por miomas , ou pólipos ), ou que tenham muita dor para mensurar (como nos casos de endometriose ou adenomiose) . Com as técnicas modernas a recuperação é excelente e os riscos são relativamente baixos. A cirurgia pode ser feita por 3 maneiras - #por corte aberto (corte igual ao de cesariana) por via vaginal # com cirurgia por vídeo. Cada via tem suas vantagens e desvantagens , a melhor indicação depende de cada caso e deve ser decidida junto com a paciente no consultório. O retorno às atividades é rápido e a sexualidade após é normal.

Maurilio Batista Palhares Junior

Ginecologista

Maringá


A histerectomia é a cirurgia de retirada do útero. Pode ser indicada devido a miomas, adenomiose, endometeiose, sangramentos uterinos anormais. Além da técnica convencional com corte abdominal, existem outras técnicas mais modernas para se retirar o útero com menor grau de invasão e melhor recuperação pós operatória. São elas: Histerectomia videolaparoscópica e histerectomia vaginal.

Danilo Scheit Vieira Junior

Ginecologista, Mastologista

Barueri


Histerectomia é uma cirurgia que consiste na remoção do útero (histerectomia total é a retirada do útero com o colo uterino e a histerectomia subtotal é a retirada do útero sem o colo uterino). A histerectomia pode ser realizada pela via vaginal, abdominal, laparoscopia ou Robótica. A indicação da via vai depender de caso a caso após avaliação do ginecologista.

A histerectomia é a remoção cirúrgica do útero, que também pode incluir a retirada das trompas adjacentes e do ovário. Pode ser parcial: remoção da parte superior do útero; completa: remoção do útero, incluindo o colo do útero; ou radical: remoção do útero e dos ligamentos do órgão, do colo do útero e de tecido da vagina em torno do colo do útero. Tipos: Abdominal, vaginal ou laparoscópica.

Tadeu Batista Pereira De Carvalho

Ginecologista

Goiânia


Histerectomia é a retirada do útero. Atualmente, as indicações ficaram mais restritas com a advento da Histeroscopia, porém, ainda assim é uma cirurgia muito realizada por ginecologistas. Podemos realizar por via vaginal (sem corte na bariga), por via videolaparoscópica (pequenas cortes na barriga de cerca de 1 cm) e por via abdominal (corte semelhante ao da cesareana).

A Histerectomia a cirurgia para a retirada do útero. Pode ser realizada por via vaginal, por via abdominal, por via laparoscópica ou por via robótica. A via laparoscópica, robótica e vaginal são consideradas vias menos invasivas, pois oferecem uma recuperação mais rápida, menos dor no pós-operaratório e um retorno mais precoce as atividades habituais. Mas estas opções podem não ser aplicadas a todos os casos, e deve ser discutido com o cirurgião ginecologista.

Sidney Tomyo Nishida Arazawa

Ginecologista

São Paulo


A histerectomia normalmente é indicada para mulheres com problemas graves na região pélvica, como câncer de colo do útero em estágio avançado, câncer nos ovários ou no miométrio, infecções na região pélvica, miomas uterinos, hemorragias frequentes, endometriose grave ou prolapso uterino. No entanto, a histerectomia só é realizada quando outros tratamentos clínicos não tiveram sucesso e consiste na retirada do útero e, dependendo da gravidade da doença, das trompas e dos ovários. A recuperação depende do tipo de cirurgia realizada, mas varia em torno de 4 a 8 semanas.

Marcelo Ponte

Ginecologista

São Paulo

Agendar uma visita

A histerectomia é a remoção do útero que também pode incluir a retirada das trompas adjacentes e do ovário dependendo da doença. As principais indicações: Adenomiose; Sangramento uterino anormal, sem melhora com tratamento medicamentoso; Prolapso Genital, incluindo a descida do útero pela vagina. Além dessas indicações, essa cirurgia também é realizada em paciente com câncer de colo uterino ou mesmo lesões precursoras de câncer de endométrio.A cirurgia pode ser feita por via vaginal ou via abdominal ou laparoscópica.

Thalia Maia

Ginecologista

Brasília

Agendar uma visita

É a cirurgia de retirada do útero. Existem várias doenças que requerem este procedimento; e várias técnicas, cada uma mais adequada a uma determinada patologia, para a realização da mesma. Pode ser realizada por laparotomia (corte transversal ou longitudinal no abdome), videolaparoscopia (incisões pequenas no abdome e utilização de câmera) e até por via vaginal, sem cortes na parede abdominal, sendo todas as incisões realizadas dentro da vagina. A melhor técnica a ser escolhida depende do tipo de doença, tamanho do útero, necessidade de remover outras estruturas e, muito importante, da experiência do cirurgião. Converse com ele para esclarecer a melhor técnica para a sua necessidade.

Histerectomia é o nome dado à cirurgia para retirada do útero. A histerectomia pode ser realizada por três vias: - Abdominal: realizada por meio de incisão abdominal (corte na barriga), geralmente igual ao de uma cesariana; - Vaginal: o útero é retirado pela vagina, não sendo realizado corte no abdome; - Laparoscópica: são feitos pequenos cortes no abdome (0,5-1cm), pelos quais são introduzidas uma câmera e pinças para a realização do procedimento cirúrgico. O útero é retirado pela via vaginal. Para cada caso deve ser escolhida a melhor via de abordagem, levando em conta o tamanho do útero, a doença em questão, cirurgias previamente realizadas e as condições clínicas de cada paciente.

Sibele Klitzke

Ginecologista

Porto Alegre


Histerectomia por via de regra deve ser realizada por vias menos invasivas como a vaginal ou laparoscopia por possuirem melhores resultados, recuperação mais rápida, menos dolorosa, utilização de menor quantidade de medicação e muitas vezes inclusive resultado estético superior. São poucos os casos nos quais existe indicação de via aberto, mesmo em úteros com volumes aumentados.

Histerectomia é a cirurgia realizada para retirada do útero. O mioma uterino é a maior causa de histerectomias no mundo. Pode ser realizada pela via abdominal, vaginal e laparoscópica a depender do tamanho do útero e habilidade do cirurgião com cada técnica. A opção por este tratamento deve obrigatoriamente ser feita em consulta ginecológica com seu médico.

Marcos De Lorenzo Messina

Ginecologista

São Paulo

Quais profissionais realizam Histerectomia?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.