Tratamento da esquizofrenia e outros transtornos psicóticos - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Especialistas - tratamento da esquizofrenia e outros transtornos psicóticos

Francisco Carlos Rodrigues Da Silva

Francisco Carlos Rodrigues Da Silva

Psiquiatra, Médico do trabalho

Cabo Frio

Agendar uma visita
Vera Pelizzari

Vera Pelizzari

Psicólogo

São Paulo

Agendar uma visita
Rodrigo Faria

Rodrigo Faria

Psiquiatra, Médico clínico geral

Arapongas

Agendar uma visita

Perguntas sobre Tratamento da esquizofrenia e outros transtornos psicóticos

Nossos especialistas responderam a 7 perguntas sobre Tratamento da esquizofrenia e outros transtornos psicóticos

Sim, a pessoa que tem o diagnóstico de transtorno esquizoafetivo deve tomar um estabilizador de humor junto com uma medicação antipsicótica, ao menos é a regra geral, aquilo que acontece na maioria…

Concordo com o Dr. Tomás e recomendo que além do tratamento médico que tratará as causas orgânicas busque a avaliação de um psicólogo que tratará as questões emocionais. Geralmente os problemas…

Além do tratamento medicamentoso é fundamental a reabilitação cognitiva com a utilização de exercícios diversos. Também é importante o desenvolvimento das atividades lúdicas, inclusão da psicoterapia,…

Especialistas falam sobre Tratamento da esquizofrenia e outros transtornos psicóticos

O tratamento para a esquizofrenia e outros transtornos psicóticos é de extrema importância. Quanto mais precoce for o tratamento, menor será a gravidade do quadro e melhor será a resposta ao tratamento. A base do tratamento são os antipsicóticos em conjunto com outras terapias não farmacológicas. Os principais objetivos do tratamento são a redução da gravidade dos sintomas psicóticos, prevenção das crises ou surtos, melhora da qualidade de vida do paciente e da família, evitar a deterioração do quadro, além da inserção social. Por ser um quadro crônico, os pacientes na maioria das vezes, vão necessitar usar a medicação pelo resto da vida.

Os pacientes em sofrimento psíquico possuem uma forma única de expressão de subjetividade. Lidar com isso requer uma desmontagem e desconstrução de saberes, práticas e discursos que estariam por sua vez “comprometidos com uma objetivação da loucura e sua redução à doença”. Na lógica do enclausuramento e exclusão social as expectativas do sujeito estariam reduzidas ou até anuladas, impossibilitando uma construção de laços sociais e projetos de vida, ficando este mortificado em suas expressões e subjetividade. Lidar com essa subjetividade e permitir que esse sujeito apareça traz saúde mental e reduz o seu sofrimento psíquico.

Edicleia Lima

Psicólogo, Psicanalista

Araruama

Agendar uma visita

A esquizofrenia é um transtorno mental grave que deve ser diferenciada de outros transtornos psiquiátricos que podem se manifestar com sintomas psicóticos. A abordagem terapêutica adequada adequada da esquizofrenia e dos transtornos psicóticos permite restabelecer o vínculo com a realidade, reinserir o paciente à sociedade e promover qualidade de vida ao paciente e à família.

Demétrius De Luna Lopes Benevides

Psiquiatra, Médico perito

São João del Rei


A esquizofrenia apresenta como sintomas comuns os delírios (acreditar que está sendo perseguido ou que implantaram um chip em sua cabeça) e alucinações (ouvir vozes). Além disso, a doença costuma causar isolamento do paciente, pouca demonstração de afeto, alterações comportamentais (que podem assumir caráter bizarro), descuido da própria higiene, pensamento desorganizado e, se não tratada, leva a um quadro demencial muito precoce. O tratamento farmacológico deve ser iniciado prontamente com o objetivo de retirar o paciente da crise e evitar novas crises futuras, diminuindo os danos cerebrais causados pela doença e proporcionando mais qualidade de vida para pacientes e familiares.

Geraldo Moreira

Generalista

Recife


A esquizofrenia é um transtorno psicótico bastante comprometedor por sua cronificação e pelo prognóstico reservado. A alteração do juízo de realidade, as alucinações auditivas e o deterioro funcional marcam esse quadro que tem tratamento baseado especialmente em antipsicóticos, sendo que a escolha mais adequada da medicação será fator crucial na qualidade de vida do paciente acometido, já que não há cura definitiva.

Thiago Macedo

Psiquiatra

Juazeiro Do Norte


O tratamento da esquizofrenia e outros transtornos psicóticos da infância e adolescentes se faz inicialmente com a psicoeducação dos pais, familiares e dos próprios jovens. Inicialmente, são utilizadas medicações chamadas antipsicóticos, que irão melhorar na medida do possível as alucinações visuais ou auditivas. Além disso, faz-se necessário o acompanhamento psicoterápico, se possível semanal, com Psicólogo habilitado. A assistência de um Terapeuta Ocupacional também pode ser necessária como forma de potencializar ao máximo o tratamento e melhorar a qualidade de vida do paciente. O emprego protegido em instituições como supermercados, comércio e outras, também é uma proposta terapêutica.

Fernando Brum Batista

Psiquiatra

Foz do Iguaçu

Quais profissionais realizam Tratamento da esquizofrenia e outros transtornos psicóticos?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.