Tenho 24 anos e fui diagnosticada com deficit de atenção além de dificuldades na aprendizagem.. Qual sua relação e qual sao as consequências causadas por não tratado?
Dr. Cleber Santana
Dr. Cleber Santana
Psiquiatra
Catu
As consequências são as que te fizeram procurar consulta médica , você reconheceu a necessidade e procurou , o médico usou o conhecimento e ferramentas para diagnosticar o quadro em você , daí chegou-se a conclusão da necessidade de tratamento com remédios e terapias para lhe dar o melhor resultado . Quando você deixe de fazer o tratamento a sua capacidade cognitiva vai piorar a ponto de em algum momento o tratamento não ser tão eficaz como você espera . Fica com Deus

Consiga todas as respostas durante a Telemedicina

Agende uma Telemedicina e pergunte aos especialistas sobre tudo o que precisa sem sair de casa

Mostrar especialistas Como funciona?
 Rafael Rouquayrol Assunção
Rafael Rouquayrol Assunção
Psicólogo
Fortaleza
A Avaliação Neuropsicologia através de testes psicométricos torna possível identificar as expressões comportamentais das disfunções cerebrais. O objetivo da avaliação são basicamente auxiliar o diagnóstico diferencial, estabelecer a presença ou não de disfunção cognitiva e o nível de funcionamento em relação ao nível ocupacional. Deste modo contribui para planejamento do tratamento e no acompanhamento da evolução do quadro em relação aos tratamentos medicamentoso, cirúrgico e reabilitação.

Dra. Neli P. S. Bernardo
Dra. Neli P. S. Bernardo
Psicólogo, Psicopedagogo
Rio de Janeiro
Na maioria dos casos, o paciente que tem o transtorno de déficit de atenção e hiperativadade poderá ter problemas de aprendizagem, então eles estão coligados. O fato de não ter tido um diagnóstico na sua primeira infância deve ter causado várias dificuldades no decorrer da sua vida acadêmica. As consequencias por não ter podido buscar tratamento antes são as de maior dificuldade agora para se adequar. Mas nada esta perdido, busque tratamento e a melhora na sua qualidade de vida.

Dra. Vivian Ferreira Milet
Dra. Vivian Ferreira Milet
Psicanalista, Psicólogo
A tendência é a necessidade geadativa de ajuda, pois, a dificuldade de aprendizagem tira sua concentração nos estudos e nas rotinas diárias gerando uma ansiedade e querer fazer niversas atividades ao mesmo tempo sem concentrar na necessidade do momento. Acredito que tenha que fazer uma psicoterapia o mais rápido que puder.
Att Vivian Milet qualquer dúvida estou a disposição nas redes sociais.

 M.Bernadette A.Junqueira Azevedo
M.Bernadette A.Junqueira Azevedo
Psicanalista
São José dos Campos
O grande problema das pessoas portadoras de TDAH está na procrastinação, principalmente quando o assunto não é do seu interesse,daí a grande dificuldade nos estudos.Não é por falta de capacidade de aprendizado,mas tão somente por distração proveniente por falta de interesse num determinado assunto, que constitui uma verdadeira trava.Faltar as aulas é uma das formas de sabotar os estudos e driblar a falta de interesse.A procrastinação é outro fator preponderante nessa questão, e se manifesta no acúmulo de tarefas não realizadas, matérias que não foram estudadas que mais adiante tornam-se um verdadeiro tormento para pessoa.Sou psicanalista clínica com mestrado, coloco-me à sua disposição .

Dra. Isabela Barros
Dra. Isabela Barros
Fonoaudiólogo
São Paulo
Acredito que o maior problema destas dificuldades é necessitar de um tempo maior para compreender e realizar determinadas tarefas. Se você faz faculdade, você precisará se dedicar mais ainda aos estudos, caso queira fazer um bom curso. Se você trabalha, precisará de estratégias para realizar um bom trabalho. Muitas pessoas apresentam tais dificuldades e não realizam nenhum tipo de tratamento. Estas pessoas podem até se adaptar, mas estão sempre aquém do esperado, necessitando de um grande esforço para atingir o desempenho da maioria. Cabe então se perguntar o quanto vale a pena investir em um tratamento eficaz, pensando nos reusltados a curto, médio e longo prazo.

 Cláudia Degani
Cláudia Degani
Psicólogo, Psicopedagogo
Uberaba
Olá.
Seria interessante vc procurar uma psicóloga / psicopedagoga para avaliação e possível intervenção.

Prof. Jacqueline Maia de Miranda
Prof. Jacqueline Maia de Miranda
Psicólogo
Campos Dos Goytacazes
Bom dia!
O ideal é a avaliação neuropsicológica, com um profissional especializado. Após a realização de alguns instrumentos específicos da Psicologia, o paciente poderá iniciar um acompanhamento para lidar melhor com essa situação e também deverá ser encaminhado para um médico, objetivando verificar a necessidade de uso de medicamentos. O ideal, é que uma equipe multidisciplinar possa estar contribuindo para o diagnóstico, que será fechado pelo médico que acompanha o paciente.
Não receber orientações para ligar com o TDAH, podem ocorrer alguns transtornos na vida pessoal, acadêmica e profissional. Seria muito importante disponibilizar um tempo para conhecer melhor, o que os profissionais podem oferecer, para melhor ajudar na reabilitação.

Olá, existem os processos psicoterapêuticos de técnicas integradas e de revisão da conduta, para favorecimento do processo das aprendizagens. Também podem interferir contextos emocionais fixando reações frente ao estímulo de aprender. Você também pode preventivamente realizar o psicodiagnóstico , que lhe dará respostas mais detalhadas de sua saúde psíquica, inclusive para hipótese de TDAH.
Cuide-se!

No TDAH o cérebro funciona de uma forma diferente, com menos capacidade de hiperfoco, e por isso normalmente causa déficit em relação a desempenho de maneira geral. O melhor tratamento segundo a literatura científica combina o tratamento medicamentoso com Terapia Cognitivo Comportamental.

Sua questão é muito importante, mas precisa ser mais explorada. Minha experiência com pacientes com queixas parecidas me fez questionar os próprios métodos de ensino utilizados com eles. Alguns apenas não respondiam tão bem a formas engessadas de ensino-aprendizagem que não consideravam sua singularidade enquanto sujeito. Através de diferentes técnicas para retenção do conteúdo e organização dos estudos, conseguimos um desenvolvimento significativo na aprendizagem. Há pessoas, por exemplo, que não retém muitas informações quando apenas leem um texto, mas aprendem muito de forma auditiva, então um vídeo no YouTube sobre o assunto que pretenda conhecer mais pode ajudar bastante. Por fim, claro que podem existir componentes cognitivos vinculados e o uso de medicação pode auxiliar em vários casos. A minha recomendação, no entanto, antes de mais nada, seria a busca por uma consulta psicológica para melhor entender a sua demanda específica. Espero ter ajudado. Fico à disposição para quaisquer dúvidas. Abraço!

 Maria Aparecida Kruse Dib
Maria Aparecida Kruse Dib
Psicólogo
Porto Alegre
A pessoa com diagnóstico de TDAH sem tratamento específico sofre vários prejuízos em sua rotina. Além da dificuldade no processo de aprendizagem, tem dificuldades em manter o foco e costuma procrastinar deixando de realizar várias tarefas relacionadas aos estudos ou trabalho.Nos relacionamentos interpessoais também acaba afetando e causando sofrimento em quem está próximo. As pessoas tem dificuldades de entender que as confusões e esquecimentos sejam causados por uma doença. Muitas vezes queixam-se da dificuldade de conviver com o sujeito pelo elevado nível de ansiedade e atrapalhação. Com o tratamento medicamentoso e psicoterápico é possível conseguir melhorar a qualidade de vida do paciente.

 Rute Rodrigues
Rute Rodrigues
Psicólogo
Porto Alegre
complementando o já dito pelos colegas, penso que se recebeste um diagnóstico em que um transtorno interfere ou traz outro, parece importante perceberes que existindo tratamentos, ambas as situações podem ceder. Ou seja, se um diabético recebe diagnóstico e não trata, sabe que as consequências irão aumentar. Na saúde mental isto também tem correspondência.
Se não confia no diagnóstico, procure outra avaliação. Mas se chegou a um médico, algo lhe incomodava. Talvez esta marca de desatenta, agitada, que não aprende, seja algo que lhe incomode, por outro lado, também são suas características. Porém, se não experimentar um tratamento, como vai saber se não eram apenas consequências de algo não tratado?
Quem sabe não é a oportunidade de descobrir novas possibilidades?

Especialistas em Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH)

Erika Aleixo

Erika Aleixo

Psicólogo

Caruaru

Margarida Solla Galvão

Margarida Solla Galvão

Psicopedagogo

Aline Martins Cordeiro

Aline Martins Cordeiro

Psicólogo

Sorocaba

Andreza C. Lage

Andreza C. Lage

Psicólogo

Pindamonhangaba

Simone M de Almeida

Simone M de Almeida

Psicólogo

São Paulo

Tatiane Rodrigues Pinto Rafailov

Tatiane Rodrigues Pinto Rafailov

Psicólogo

Taguatinga

Perguntas relacionadas

Você quer enviar sua pergunta?

Nossos especialistas responderam a 257 perguntas sobre Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH)

Este valor é muito curto. Deveria ter __LIMIT__ caracteres ou mais.

  • A sua pergunta será publicada de forma anônima.
  • Faça uma pergunta de saúde clara, objetiva seja breve.
  • A pergunta será enviada para todos os especialistas que utilizam este site e não para um profissional de saúde específico.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se ao seu médico/especialista ou provedor de saúde da sua região.
  • Não são permitidas perguntas sobre casos específicos, nem pedidos de segunda opinião.

Escolha a especialidade dos profissionais que podem responder sua dúvida
Iremos utilizá-lo para o notificar sobre a resposta, que não será publicada online.
Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.