Atitude frente à dor - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Especialistas em atitude frente à dor

Encontre um especialista em Atitude Frente à Dor na sua cidade:
Claudia Goes

Claudia Goes

Psicanalista, Psicólogo

Guarulhos

Agendar uma visita
Renata Camargo

Renata Camargo

Psicólogo

Camaquã

Ana Larissa Marques Perissini

Ana Larissa Marques Perissini

Psicólogo, Sexólogo

São José do Rio Preto

Perguntas sobre Atitude frente à dor

Nossos especialistas responderam a 1 perguntas sobre Atitude frente à dor

 Samuel Lopes
Samuel Lopes
Psicólogo
Ribeirão Preto
Boa tarde!

Acho que, em primeiro lugar, é importante você discriminar os seus sentimentos em relação ao marido e também as variáveis que interferem positivo e negativamente no relacionamento…
5 respostas

Especialistas falam sobre Atitude Frente à Dor

A terapia auxilia as pessoas com dores na real identificação de quanto de dor a pessoa possui.Sim, porque normalmente quem sofre de dor crônica acha que ela ou sente dor ou não sente, ou seja, não existe o meio termo. É muito importante para o paciente então saber distinguir que existem as dores de níveis 1,2,3,4,5,6,7,8,9 e 10, sendo que a dor 1 é muito baixa, e a 10 é muito forte. Saber que existem diversos níveis de dor permite que o paciente não deixe de fazer diversas atividades que muitas vezes ele se priva e acabam levando a outros transtornos associados à dor crônica como por exemplo a depressão ou a ansiedade.

Ricardo Daud Amadera

Psicólogo

São Paulo


Abandonar pessoas que não amam de volta, lugares que sufocam, situações que machucam e lembranças doídas será uma estratégia de sobrevivência eficaz e extremamente necessária, para se ter saúde emocional. As pessoas traumatizadas tendem a se isolar, não verbalizam o evento, não compartilham suas histórias. Desse modo as pessoas ficam com as memórias traumáticas fragmentadas. Medo, sensações dispersas, somatização de dores pelo corpo são consequências, por não se atribuir um significado para o que aconteceu. Quando construímos esse significado, temos a possibilidade de reconstruir o momento trágico, aliando a dor.

Elenir Paro

Psicanalista, Psicólogo

Fortaleza


De modo geral as dores ortopédicas são provenientes de lesões no esqueleto e na musculatura que sustenta e realiza os movimentos. Mesmo após o tratamento dessas lesões muitos pacientes permanecem com dor, geralmente em decorrência a cicatrizes residuais, consolidações ósseas ou pelo aparecimento de dor crônica. É importante a orientação de um médico especialista para uma orientação adequada sobre a dor, bem como um diagnóstico diferencial. Isso fará com que o paciente tenha um maior engajamento com a sua doença, atitude que comprovadamente melhora os resultados do tratamento para dor nas costas por exemplo.

Daniel Bedran De Castro

Ortopedista - traumatologista

São José do Rio Preto

Agendar uma visita

A experiência da dor ou sofrimento pode ser dividida em dois elementos. Em primeiro lugar, existem as sensações desagradáveis reais no corpo, em qualquer momento. Chama-se isso de "sofrimento primário". Em segundo lugar, existem, as milhares de manifestações de resistência a essas sensações, que ocorrem em nível físico, mental e emocional, situação chamada de "sofrimento secundário". Essa distinção é fundamental para viver com sucesso a dor crônica porque mostra como fazer mudanças.

Marcia Epstein

Psicólogo

São Paulo

Quais profissionais realizam Atitude frente à dor?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.