O déficit de atenção quando não diagnosticado precocemente, na infância por exemplo, pode se encontrar em um estado mais expressivo na fase adulta?
Prof. Maria Consolata Pappacena
Prof. Maria Consolata Pappacena
Psicólogo
Rio de Janeiro
Olá Boa Tarde!
É fato que quando diagnosticado precocemente o resultado é sempre favorável!
Falando do adulto, podem ocorrer problemas de concentração e aprendizado na vida e que podem ter relação com distúrbios neurológicos não diagnosticados na infância.O Deficit de Atenção é caracterizado por um padrão crônico de desatenção, hiperatividade e impulsividade. É um distúrbio que tem um grande impacto social na vida adulta, dependendo da sua evolução clínica.
Isso porque muitas crianças com TDAH deixam de ter sintomas na vida adulta, mas continuam a carregar consigo várias limitações que interferem na vida profissional quanto a vida pessoal.Muitas pessoas crescem com o problema e nem ficam sabendo que a dificuldade que tem para se concentrar é na verdade um distúrbio que pode ser tratado e controlado com auxilio medicamentoso e com a psicoterapia.
Sucesso
Maria Consolata Pappacena

Consiga todas as respostas durante a Telemedicina

Agende uma Telemedicina e pergunte aos especialistas sobre tudo o que precisa sem sair de casa

Mostrar especialistas Como funciona?
Dra. Ajurymar Santos
Dra. Ajurymar Santos
Psicólogo, Terapeuta complementar
Salvador
Olá! Eh possível pois a construção da personalidades pode camuflar certos aspectos. A criança e/ou adulto tímido não ficam tanto em evidência e podem passar desapercebidos ao longo do tempo. Mas tente focar no presente e encontrar ferramentas que podem auxiliar e transformar esses sintomas. Uma avaliação psiquiátrica e a psicoterapia será fundamental na construção da auto estima e confiança. Abraço

 Fernanda Magalhães
Fernanda Magalhães
Psicólogo
Belo Horizonte
Boa noite.
Não se pode generalizar. Cada pessoa manifesta de uma forma diferente.
É importante fazer um acompanhamento para compreensão e diminuição dos efeitos causados por esse transtorno, e um acompanhamento psiquiátrico para auxiliar nesse tratamento.
Por vários momentos pode ter o adulto sofrido em sua infância sem ter sido diagnosticado, causando dificuldade de aprendizagem, atenção e/ou socialização.
O sofrimento não deve ser tratado em silêncio. O melhor é sempre buscar ajuda de um profissional!
Grande abraço

Olá. Vale ressaltar que TDAH trás sofrimento a vida do sujeito e que todas as áreas da vida do mesmo são prejudicadas. O diagnóstico precoce possibilita identificar que área cognitiva é possuidora do déficit . No TDAH o transtorno é no neurodesenvolvimento. Dessa forma a integridade das funções de execução estão comprometidas. O diagnóstico é fundamental para começar a reabilitar as áreas com danos, seja com uso medicamentoso se necessário e terapias de estimulação. Há um tipo de TDAH que se destaca pela falta de atenção e concentração, há o tipo combinado que junta o desatento mais a impulsividade. Abraços

Dr. Roberto Souza Mendes
Dr. Roberto Souza Mendes
Psicólogo, Terapeuta complementar
Nova Iguaçu
Veja da seguinte forma:
Ao chegar na fase adulta, essa pessoa se adaptou a várias formas de entender o mundo a sua volta e com isso adquire ajustes e também aflições. Então se esse adulto está angustiado ou introvertido, ele precisa de auto regulação e auto compreensão para melhor lidar com tudo.
Sou psicólogo e trabalho dessa forma... ajudo a pessoa a entender o que ela passa para ela entender quem ela é. Ou vice e versa...

Olá, qualquer diagnóstico efetuado precocemente traz sim uma maior qualidade de vida e melhora dos sintomas. O TDAH (déficit de atenção) se manifesta de forma diferente em cada pessoa, e independente da idade é possível um tratamento adequado para controle dos sintomas. Recomendo buscar um Psicólogo e Psiquiatra para avaliação do caso.
Abraços Psicóloga Kelly Lima

O TDHA pode "passar batido" na infância e ser diagnosticado só na idade adulta sim.
O TDHA altera o neurodesenvolvimento. É mais ou menos assim, imagine o corpo de um bebe que vai crescendo, se desenvolvendo, se transforma em criança, depois adolescente e por fim adulto. O nosso cérebro também passa por desenvolvimentos sucessivos de forma similar. No TDHA algumas áreas cerebrais envolvidas no controle da atenção, no controle dos impulsos podem ter um desenvolvimento diferente gerando os sintomas.
Quando a criança tem aquele tipo que predomina mais a hiperatividade fica mais fácil detectar cedo (professores, pais, amigos logo notam). A hiperatividade reduz um pouco com a idade adulta.
Existem crianças com o subtipo mais desatento que acaba passando desapercebido porque elas não "incomodam". Desatenção tende a persistir mais na idade adulta. Mexe com a vida e auto-estima pq a pessoa nota que está sempre fazendo um esforço enorme com poucos resultados. Sempre aquém do proprio potencial

 Paulo Renato Oliveira
Paulo Renato Oliveira
Psicanalista, Psicólogo
Rio de Janeiro
Uma preocupação deve pautar suas reflexões sobre este assunto. O TDAH é obviamente superestimado no Brasil. A população infantil diagnosticada e medicada é muito maior (cerca de 10 vezes) do que a média esperada. Somos o segundo maior consumidor mundial de Ritalina. Assim, procure não apenas um Psiquiatra ou um Psicólogo para fazer o diagnóstico, confirme-o como você faria se tivesse que fazer uma cirurgia muito séria num órgão vital. Os efeitos colaterais dos medicamentos podem ser muito fortes. Este é um assunto gravd que não vem sendo tratado pela comunidade científica brasileira e nem por pais ou professores com a devida cautela.

 Léa Michaan
Léa Michaan
Psicanalista, Psicólogo
São Paulo
Nem sempre! Cada ser humano é único e singular, e por isso não há regras rígidas em diagnósticos relacionados ao psicológico, cognitivo ou emocional. Neste caso, pode ser que a criança que vive o estado constitucional intensamente vivia empolgada para ver e conhecer tudo, e portanto, não conseguia se concentrar; pode ser que a capacidade de atenção e concentração ainda não havia amadurecido satisfatoriamente na infância; No entanto, não vale a pena se ater a este fato e colocar a energia no pesar pelo tempo perdido. Coloque seu tempo e energia naquilo que pode ser feito para desenvolver agora sua capacidade de atenção e concentração!
Um profissional capacitado poderá te ajudar, e muito, em poucas sessões,
Um abraço,
Léa

Ola! Com certeza, quanto mais cedo souber, da para reabilitar e ter grandes ganhos no futuro.Estou a disposiçao.

As pesquisas mostram que pacientes acompanhados por bons profissionais tendem a ter a longo prazo menos prejuízos comparado com pessoas que não fizeram nenhum acompanhamento. Sugiro avaliação neuropsicológica com Psicólogo e tratamento cognitivo comportamental.

 Claudia Goes
Claudia Goes
Psicanalista, Psicólogo
Guarulhos
Olá!
Quanto mais precoce um diagnóstico, melhor e mais resolutivo tende a ser o tratamento.
O ideal é fazer uma avaliação para entendimento atual do quadro, podendo assim iniciar o tratamento!!!
Estou a disposição!

Não é possível responder de forma generalizada mas numa boa maioria de casos a resposta é sim. Quando tratada desde a infância a pessoa aprende estratégias para se organizar, lidar melhor com a noção de tempo, além de técnicas de relaxamento que a ajuda a lidar melhor com seu déficit ou minimizá-lo, diminuindo assim os prejuízos.

O TDAH é um transtorno que prejudica várias atividades da vida de uma pessoa, como por exemplo educação, trabalho e família, interferindo seriamente no seu funcionamento. Quanto mais tardio o diagnóstico maiores serão os prejuízos causados na vida do indivíduo, levando a outros problemas como baixa auto-estima, depressão, ansiedade, dificuldades sociais, maior envolvimento com substâncias ilícitas, maior envolvimento com acidentes de trânsito, maior possibilidade de gravidez na adolescência, dificuldades no trabalho, dentre outros. Quanto mais cedo é feito o diagnóstico e início do tratamento melhores os efeitos, e menores os prejuízos, além da readaptação e ajuda da família que também são muito importantes.

Especialistas em Transtornos de déficit de atenção e do comportamento disruptivo

Maxleila Reis Martins Santos

Maxleila Reis Martins Santos

Psicólogo

Belo Horizonte

Izabelle Castro Ferreira

Izabelle Castro Ferreira

Psicólogo

São Gonçalo

Rodrigo Bernini de Brito

Rodrigo Bernini de Brito

Psiquiatra

Goiânia

Taramis Sartorio

Taramis Sartorio

Psicólogo

Porto Alegre

Renata Camargo

Renata Camargo

Psicólogo

Camaquã

Perguntas relacionadas

Você quer enviar sua pergunta?

Nossos especialistas responderam a 17 perguntas sobre Transtornos de déficit de atenção e do comportamento disruptivo

Este valor é muito curto. Deveria ter __LIMIT__ caracteres ou mais.

  • A sua pergunta será publicada de forma anônima.
  • Faça uma pergunta de saúde clara, objetiva seja breve.
  • A pergunta será enviada para todos os especialistas que utilizam este site e não para um profissional de saúde específico.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se ao seu médico/especialista ou provedor de saúde da sua região.
  • Não são permitidas perguntas sobre casos específicos, nem pedidos de segunda opinião.

Escolha a especialidade dos profissionais que podem responder sua dúvida
Iremos utilizá-lo para o notificar sobre a resposta, que não será publicada online.
Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.