Consultórios (2)

Fuso horário: Brasilia

Telemedicina (descrição) • R$ 600

Consulta Psiquiatria (descrição) • R$ 600

Consulta Psiquiatra (descrição) • R$ 600 +1 mais

Interconsulta Psiquiátrica • R$ 1.500


Atende: adultos
(21) 96760..... Mostrar número

Este especialista pode prescrever receita médica e atestado médico através da Internet

Método de pagamento: Transferência Bancária, Cartão de Crédito, Cartão de Débito, Boleto, Depósito Bancário

Sena e Mochel Médicos Associados
CNPJ: 30.***.***-****/50

PIX: *******************

Transferência bancária:
Banco BS2 (cód. ***); Agência ****; Conta ******-1

O pagamento para a consulta vai diretamente para o especialista, que também é responsável por determinar sua própria política de cancelamento e reembolso.

Em caso de qualquer problema com pagamento, contate o especialista.

Lembre-se de que a Doctoralia não cobra taxas adicionais pela marcação de uma consulta e não processa os pagamentos em nome do especialista.

Por favor, leia atentamente a política de cancelamento e reembolso.

* Algumas informações foram ocultadas para proteção de dados.Você as verá depois de agendar a consulta.


40 minutos antes da consulta, você receberá uma mensagem em seu celular e e-mail com um link para a consulta online. Clique no link e aguarde o especialista. Você não precisa baixar nenhum software e poderá participar da consulta em vídeo no computador e no celular.


Prepare-se 10 minutos antes da consulta e verifique se o seu smartphone ou notebook está com a bateria carregada. Para uma videochamada, verifique se tudo funciona: conexão com a internet, câmera e microfone. Prepare também a documentação médica (como resultado de um exame) caso precise mostrar na consulta.


Rua Visconde de Pirajá, 414 sala 612, Ipanema, Rio de Janeiro
Consultório particular

Este especialista não oferece agendamento online neste endereço

Dinheiro, Cheque, Cartão de Crédito, + 2 mais

Experiência

Sobre mim

Psiquiatra com graduação médica e mestrado em neurociência na UFRJ, e título de especialista pela Associação Brasileira de Psiquiatria. Consultório ...

Mostrar a descrição completa

Experiência em:

  • Neurociências
  • Psiquiatria Adulto
  • Neuropsiquiatria

Tratar condições médicas

  • Esquizofrenia
  • Esquizofrenia Paranóide
  • Transtorno Da Personalidade Paranóide
Mostrar mais doenças

Formação

  • Graduado em Medicina, UFRJ, 2011
  • Especialista em Psiquiatria, Associação Brasileira de Psiquiatria, 2014
  • Mestre em Neurociências, UFRJ, 2019


Idiomas

Português, Espanhol, Inglês, Francês

Serviços e preços

Os preços são para pacientes sem convênio médico

Serviços populares

Consulta Psiquiatria


R$ 600

Sena Telemedicina

Consulta de telemedicina, solicitação de exames complementares, emissão de laudos, prescrição de receitas, encaminhamentos para psicologia e outras especialidades médicas, além de discussão de caso com psicológa(o) e um retorno sem custos adicionais..



Rua Visconde de Pirajá, 414 sala 612, Rio de Janeiro

R$ 600

Consultório particular

Consulta de telemedicina, solicitação de exames complementares, emissão de laudos, prescrição de receitas, encaminhamentos para psicologia e outras especialidades médicas, além de discussão de caso com psicológa(o) e um retorno sem custos adicionais..


Telemedicina


R$ 600

Sena Telemedicina

Consulta de psiquiatria por telemedicina, solicitação de exames complementares, emissão de laudos, prescrição de receitas, encaminhamentos para psicologia e outras especialidades médicas, além de discussão de caso com psicológa(o) e um retorno sem custos adicionais.



Rua Visconde de Pirajá, 414 sala 612, Rio de Janeiro

R$ 600

Consultório particular

Outros serviços

Consulta Psiquiatra


R$ 600

Sena Telemedicina

Consulta de telemedicina, solicitação de exames complementares, emissão de laudos, prescrição de receitas, encaminhamentos para psicologia e outras especialidades médicas, além de discussão de caso com psicológa(o) e um retorno sem custos adicionais..


Interconsulta Psiquiátrica


R$ 1.500

Sena Telemedicina


Rua Visconde de Pirajá, 414 sala 612, Rio de Janeiro

R$ 1.500

Consultório particular

Interconsulta hospitalar com emissão de parecer de especialista, avaliação de interações medicamentosas com medicações psiquiátricas. e discussão de diagnósticos diferenciais com a equipe médica.

Opiniões dos pacientes

5

Classificação geral
98 opiniões

  • Pontualidade
  • Atenção
  • Clínicas e hospitais
C
Paciente verificado
Consulta marcada na doctoralia.com.br Local: Sena Telemedicina Telemedicina

Excelente Médico que atende de forma excelente e me auxiliou demais em todas as minhas necessidades como paciente! perfeito!


D
Paciente verificado
Consulta marcada na doctoralia.com.br Local: Sena Telemedicina Consulta Psiquiatria

Sempre tive restrições de ir ao psiquiatra, talvez por tabus que a sociedade coloca; tais como: psiquiatra é para gente desequilibrada, maluca etc...
Gostei muito da consulta e o que me deixou admirada foi o fato do dr Sena não prescrever de início medicamentos e sim ter um olhar de forma ampla para compreender minha “dor” Me senti segura e acolhida quando ele solicitou o contato do meu analista para que ambos trocassem informações.
Parabéns pelo excelente profissionalismo dr. Sena


M
Paciente verificado
Consulta marcada na doctoralia.com.br Local: Sena Telemedicina Telemedicina

Tratamento extremamente humanizado! O Walter se preocupa em entender o contexto do paciente antes de prescrever alguma medicação. Só tenho a agradecer pelo tratamento que recebi.


G
Paciente verificado
Consulta marcada na doctoralia.com.br Local: Sena Telemedicina Consulta Psiquiatra

"Procurei um médico, encontrei um amigo. Eis o motivo da minha cura." - Autor Desconhecido
É com essa citação que venho externar o meu mais profundo sentimento de gratidão não só ao médico, mas à pessoa que o Sena é. Finalizo o tratamento com a certeza de que, não só atingi o resultado que gostaria, mas me tornei mais conhecedor da pessoa que sou. Novamente, registro o meu mais nobre OBRIGADO.


G
Paciente verificado
Consulta marcada na doctoralia.com.br Local: Sena Telemedicina Telemedicina

Gostei muito. Profissional muito atencioso e empático. Esclareceu muitas dúvidas, mostrando- se solicito.


B
Local: Sena Telemedicina Consulta Psiquiatria

Dr. Walter é um profissional obviamente bem preparado, de fácil trato, acessível e excedeu minhas expectativas. Encontrei acolhimento e ajuda efetiva e pragmática


O
Paciente verificado
Consulta marcada na doctoralia.com.br Local: Sena Telemedicina Consulta Psiquiatria

Minha esposa acabou de ser consultada pelo Dr. Walter, estou encantada com a abordagem dele. Muito humano, solícito, comprometido com o estado do paciente. Recomendo a todos que precisam de ajuda profissional!


M
Paciente verificado
Consulta marcada na doctoralia.com.br Local: Sena Telemedicina Telemedicina

Gostei do atendimento, já me tratei nos Estados Unidos e não vi diferença no ótimo atendimento que recebi no exterior.


L
Paciente verificado
Consulta marcada na doctoralia.com.br Local: Sena Telemedicina Consulta Psiquiatria

Um médico excelente, realmente se preocupa com o paciente. Dr. Walter sena é o melhor psiquiatra e se destaca no mercado.


D
Paciente verificado
Consulta marcada na doctoralia.com.br Local: Sena Telemedicina Telemedicina

Excelente profissional, sempre presente, atencioso e competente. Não poupa esforços para proporcionar o melhor. Somos eternamente gratos.


Ocorreu um erro, tente outra vez

Dúvidas respondidas

202 dúvidas de pacientes respondidas na Doctoralia


  • Pergunta sobre Depressão

    Fui a uma psiquiatra para que a mesma me ajudasse, ela me passou Paroxetina 20 mg para tomar depois do café da manhã, Rivotril 0,25 mg sublingual para crises de ansiedade e pânico e Neozine para dormir, pois estava ouvindo vozes enquanto dormia. Minha depressão no começo melhorou, mas notei algumas coisas que não estavam claras e decidi anotar.

    Primeiro: percebi que meu humor muda de uma hora para outra. Com o uso da Paroxetina meu estado eufórico aumenta muito e penso em cometer suicídio. Não sei o que se passa comigo, faço coisas que não era para fazer, depois vem aquele sentimento de culpa.
    Segundo: de uma hora para outra, fico com muita raiva e começo a quebrar tudo. Eu tento me controlar e isso acaba fazendo com que eu queria suicídio.
    Terceiro: Depois dessa fase de euforia, estou me sentindo mais depressivo, não sei o que há comigo?

    Não estou conseguindo entrar em contato com a minha médica psiquiatra. Será que ela diagnosticou minha doença errada? Porque não vejo melhora em nada e tudo parace piorar. O único medicamento que ainda me deixa bem é o Rivotril Sublingual e ultimamente estou usando ele muito, pois pelo menos ele ameniza as crises.

    Será que devo procurar outro especialista?

    Prezado. Antes de tudo gostaria de parabenizar pela coragem de seu relato. A sua pergunta resume e esclarece o que acontece com a imensa maioria dos casos em psiquiatria. Que vem a ser o seguinte: há um uso indiscriminado de antidepressivos que acaba piorando ainda mais os sintomas. As alucinações noturnas são normais e cedem naturalmente com a regularização do sono. As oscilações do humor são induzidas pelo antidepressviso e pelo calmante. Os antidepressivos atuam pela via serotonérgica e por isso provocam euforia ou disforia (dependendo do status psicológico e social) e os calmantes atuam pela via gabaérgica, provocando redução da força ou vigor (são orginalmente antiepilépticos e relaxantes musculares). Essa típica combinão de antidepressivo mais calmante induz bruscas oscilações do humor. Por fim, pessoas com algum tipo de vulnerabilidade ciclotímica (espectro bipolar) tendem a sofrer ainda mais nesse processo e por isso acabam usando calmantes (ou álcool) em altas doses, numa tentativa de conter os intensos picos de disforia. Recomendo que ajuste o sono com algum antangonista de dopamina sedativo (vulgo e erroneamente chamado de antipsicótico) na dose que for suficiente para você. Considere também outros diagnósticos diferencias em uma entrevista com algum colega disposto a escutá-lo com calma.
    E, claro, fique bem logo!

    Dr. Walter Sena

  • Pergunta sobre Esquizofrenia E Transtornos Com Características Psicóticas

    Tinha um tio esquizofrênico e tenho uma tia por parte de pai que é bipolar. Quais as chances de eu desenvolver algo do tipo?

    Prezado(a). A epidemiologia dos transtornos psiquiátricos é complexa. Primeiramente, é preciso entender que a noção categórica de transtorno não reflete a realidade. Ou seja, não existe bipolar em oposição a não-bipolar, ou esquizofrênico em oposição a não-esquizofrênico.
    Entre bipolar e “não-bipolar” ou entre esquizofrênico e “não-esquizofrênico” há um mundo de possibilidades. Nesta perspectiva, todos nós somos um pouco disso ou daquilo.
    Ademais, entendendo que há uma herança genética, não se pensa em risco de desenvolver isso ou aquilo porque já nascemos com os genes. Enfim, questionar-se é o maior sinal de saúde e isso sim reflete um bom prognóstico, independente de qualquer transtorno.
    Fique bem!

    Dr. Walter Sena

Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.

Experiência

Sobre mim

Psiquiatra com graduação médica e mestrado em neurociência na UFRJ, e título de especialista pela Associação Brasileira de Psiquiatria. Consultório ...

Mostrar a descrição completa

Experiência em:

  • Neurociências
  • Psiquiatria Adulto
  • Neuropsiquiatria

Tratar condições médicas

  • Esquizofrenia
  • Esquizofrenia Paranóide
  • Transtorno Da Personalidade Paranóide
Mostrar mais doenças

Formação

  • Graduado em Medicina, UFRJ, 2011
  • Especialista em Psiquiatria, Associação Brasileira de Psiquiatria, 2014
  • Mestre em Neurociências, UFRJ, 2019

Certificado Doctoralia


Experiências Profissionais

  • Instituto de Psiquiatria - Universidade Federal do Rio de Janeiro

Certificados



Idiomas

Português, Espanhol, Inglês, Francês

Prêmios

  • Bolsa de Assistente de Pesquisa pelo CNPQ
  • Bolsa para Tutoria do Ministério da Saúde

Redes sociais


Artigos

Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH)

Esse diagnóstico foi construido no final da segunda metade do século passado. Algo recente na história da medicina e psiquiatria. Muitas controvérsias existem em relação a ele. Algumas pessoas alegam a sua inexistência e uma tentativa de super medicar as crianças, enquanto outras apontam estudos científicos para sustentar a existência No entanto, mais do que discutir sobre a existência ou não, é importante entender que não há eficácia diagnóstica em nenhum transtorno psiquiátrico. Todos foram construídos por consenso em grupos de psiquiatras. Enfim, perceber-se com TDAH ou achar que algém tem TDAH indica a necessidade de uma avaliação neurocognitiva para entender o melhor tratamento.


Paralisia do sono

A paralisia do sono é um fenômeno muito mais comum do que o imaginado. Em certo grau todos temos, uma vez que é um mecanismo fisiológico do sono. Ou seja, quando pegamos no sono o cérebro envia um comando para que o corpo deixe de se movimentar. Caso isso não acontecesse atuaríamos os sonhos. Imagina sonhar que está jogando futebol e começar a chutar seu parceiro na cama. Enfim, isso não acontece por conta desse comando de bloqueio do cérebro. Em alguns casos esse comando de bloqueio dos movimentos do corpo pode continuar enquando já estamos despertos. É muito comum durante a paralisia observar seres ou pessoas no quarto, o que chamamos de alucinação hipnopômpica.


Transtorno bipolar

O transtorno bipolar é na realidade um dom. Imagina ter energia ilimitada e ser capaz de realizar múltiplas tarefas ao mesmo tempo. Por outro lado, assim como qualquer dom, requer auto-controle. Não havendo isso pode ser tornar auto-destrutivo. Energia demais pode levar a privação do sono, e qualquer um que não durma fica sujeito a perder o juízo de realidade, mesmo que temporariamente. Enquanto realizar tarefas demais pode impedir o alcance de um foco, dispersando a atenção e levando a improdutividade. As medicações são fundamentais, principalmente nos momentos de crise, mas não são nada sem o devido acompanhamento psicológico.


Demência

Todos vamos demenciar algum dia. Talvez seja a melhor forma de se despedir daqui, sem dor e sem sofriemento. Com o avanço da medicina passamos a viver muitos mais anos. Poucas décadas atrás morria-se por tuberculose, gripe e uma séria de doenças que hoje curamos. Vemos uma redução nas mortes por eventos cardio-vasculares e até mesmo oncológicos. Resta-nos a neurodegeneração, ou seja, o processo biológico que leva à demência. Em função disso as dinâmicas familiares mudaram drasticamente, e os filhos passaram a ser "pais" dos próprios pais. Assim como as crianças, os idosos dão trabalho. Um grande problema tem sido a super medicalização deles, enquanto pouco se faz pela prevenção.


Esquizofrenia

Não existe qualquer teoria bem fundamentada sobre a esquizofrenia. É mais sensato falar em esquizofrenias, no plural, uma vez que é um grupo extremamente heterogêneo. E é por isso que atualmente falamos em "transtorno do espectro da esquizofrenia', ou seja, uma série de síndromes diferentes que podem se parecer em alguns aspectos. Vale destacar também que o treinamento cognitvo é um fator determinante para o bem estar psicossocial. Treinamento cognitivo não tem nada a ver com terapia cognitiva. O treinamento aprimora a atenção, a memória, concentração, envolvimento social, e por fim permite ao sujeito ser protagonista de sua própria vida.


Transtorno da personalidade borderline

O transtorno de personalidade borderline é mais um diagnóstico da moda. Ainda não é possível entender o que levou ao importante aumento da prevalência desse transtorno nos útlimos anos, mas fato é que muitas pessoas, principalmente adolescentes e adultas jovens, estão apresentantdo sintomas de intensa instabilidade emocional, incluindo ataques de irritabilidade, angústia existencial e desejo de sumir ou se machucar. O cuidado é delicado, uma vez que há confusão com depressão, e por isso, na maioria das vezes, recebem prescrição de antidepressivos. No entanto, essas medicações costumam aumentar a impulsividade, podendo piorar a irritabilidade e o descontrole emocional.

Veja todos os artigos

Publicações

Publicações (1)

Pesquisas relacionadas