Qual a diferença da falta de atenção causada pelo transtorno de ansiedade e pelo déficit de atenção?
Dra. Adna Rabelo
Dra. Adna Rabelo
Psicólogo
Rio de Janeiro
Olá, sua questão é muito pertinente, pois muitos sintomas são comuns em ambos os transtornos, especialmente no tocante a falta da atenção, concentração e memória. Como também já foi citado é importante consultar um psiquiatra para um diagnóstico diferencial, possibilitando assim o melhor tratamento possível. Além disso, não é raro que o mesmo paciente apresente os dois transtornos associados. Dito isso, também é bem importante que busque um psicólogo para que possa identificar no ambiente (interno e externo) o que pode estar desencadeando tanta ansiedade, e possa te ajudar no desenvolvimento de estratégias de enfrentamento, alterações comportamentais etc Procure não minimizar o que sente e peça a ajuda, cuidar da saúde mental é essencial para uma vida saudável. Boa sorte para você. Um abraço.

Consiga todas as respostas durante a Telemedicina

Agende uma Telemedicina e pergunte aos especialistas sobre tudo o que precisa sem sair de casa

Mostrar especialistas Como funciona?
 Amanda Salomão
Amanda Salomão
Psicólogo
Recife
A diferença não está na manifestação da falta de atenção, mas na contextualização desse sintoma. Tanto a ansiedade quanto o TDAH prejudicam a concentração, levando à distração, à falta de atenção. É preciso avaliar quais são os outros sintomas existentes, o contexto em que se apresenta, além de todo o histórico pessoal do sujeito. É importante procurar um profissional capacitado para fazer o diagnóstico diferencial.

Acho que a colega Amanfa resumiu perfeitamente a questão do SINTOMA DESATENÇÃO. Pode ser parte do TDAH, de um tr ansioso ou até mesmo de um tr de humor. Não eh a presenca de UM sintoma, como a desatenção, por exemplo que nos levará ao diagnóstico. É como se,por apresentar "tosse"(sintoma e não doença ) vc imediatamente dissesse: está pessoa tuberculose!
Não faz nenhum sentido , não é? Pois a psiquiatra, enquanto especialidade médica , opera dentro do mesmo raciocínio clínico ao diagnosticar e tratar seus pacientes . Diante de uma síndrome, elaboram-se as hipóteses diagnósticas .

Bem, sobre o prisma patológico é possível considerar que em ambos os casos há um sofrimento do sujeito que inviabiliza o mesmo de ter uma vida autorregulada, pois, se há danos cognitivos no que tange a sustentação da atenção outras funções executivas sofrem possivelmente prejuízos. Um especialista da área poderá lhe orientar nesse sentido, para um diagnóstico diferencial. Para investigação dessas faculdades existem tambem os materiais de testagem, que são os testes padronizados. Essas avaliações em síntese norteiam as condições desse prejuízo atencional, facilitando a intervenção no sentido de avaliar especificamente que tipo de prejuízo se tem....no demais é importante se abter de regulações e se aplicar em uma terapia. O profissional juntamente com o sujeito podem encontrar os recursos facilitadores para uma melhor qualidade de vida. Grande abraço

 Léa Michaan
Léa Michaan
Psicanalista, Psicólogo
São Paulo
Que tal procurar se abster dos rótulos? Eles podem nos prejudicar porque temos a tendência de nos acomodar no colo dos rótulos que carregamos!
Na realidade, em ambos os casos a melhor maneira para lidar é não nos deixarmos levar pelos pensamentos. Tanto faz se eles emergem do medo do futuro, no caso da andiedade generalisada, ou por transtorno de pensamentos compulsivos que gera deficit de atenção porque nesss situações, o resultado é o mesmo: a gente perde o foco.
Será necessário algum esforço para desenvolver a capacidade em focar e manter o foco. Se a gente não consegue, é útil saber que ao invés da mente ser a nossa escrava, nós é que nos tornamos escravos da mente!
Um abraço,
Léa

Dra. Elaine Viola
Dra. Elaine Viola
Psicólogo
Rio de Janeiro
Veja que excelente pergunta.... uma boa anamnese deve explorar com sabedoria a história de vida e o contexto de crenças, pensamentos, emoções e estilos de agir do paciente, antes de partir para um diagnóstico e tratamento. Um paciente com Ansiedade Generalizada apresenta desatenção dentro de um contexto de preocupações exacerbadas, prevalecendo emoções de medo ou raiva. Um paciente com TDAH se caracteriza por demandas cognitivas: raciocínios difusos, encadeamento flutuante de ideias, dificuldade de síntese, e as emoções negativas de que se queixa referem-se, via de
regra, às consequências do transtorno na sua vida.

 Jéssica Grando
Jéssica Grando
Psicólogo
São Paulo
O TDHA se carateriza pela falta de atenção, hiperatividade e impulsividade, levando o individuo relutar para realização de tarefas que exigem muito tempo e esforço mental, desistindo com mais facilidade das mesmas, justamente pela dificuldade de concentração.
No TAG existe sintomas de ansiedade que se manifestam como: preocupação excessiva, nervosismo excessivo,irritabilidade, dificuldade de concentração entre outros... que podem ser crônicas e bastante invasivas. Até mesmo para questões que normalmente são "simples", ou seja, praticamente em todas as atividades e situações que pessoa vive, o que leva a uma desatenção, visto o sofrimento de ter de conviver com tais sintomas em tempo integral.
Atenciosamente, Jéssica.

Especialistas em Transtornos de déficit de atenção e do comportamento disruptivo

Maxleila Reis Martins Santos

Maxleila Reis Martins Santos

Psicólogo

Belo Horizonte

Izabelle Castro Ferreira

Izabelle Castro Ferreira

Psicólogo

São Gonçalo

Rodrigo Bernini de Brito

Rodrigo Bernini de Brito

Psiquiatra

Goiânia

Taramis Sartorio

Taramis Sartorio

Psicólogo

Porto Alegre

Renata Camargo

Renata Camargo

Psicólogo

Camaquã

Perguntas relacionadas

Você quer enviar sua pergunta?

Nossos especialistas responderam a 17 perguntas sobre Transtornos de déficit de atenção e do comportamento disruptivo

Este valor é muito curto. Deveria ter __LIMIT__ caracteres ou mais.

  • A sua pergunta será publicada de forma anônima.
  • Faça uma pergunta de saúde clara, objetiva seja breve.
  • A pergunta será enviada para todos os especialistas que utilizam este site e não para um profissional de saúde específico.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se ao seu médico/especialista ou provedor de saúde da sua região.
  • Não são permitidas perguntas sobre casos específicos, nem pedidos de segunda opinião.

Escolha a especialidade dos profissionais que podem responder sua dúvida
Iremos utilizá-lo para o notificar sobre a resposta, que não será publicada online.
Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.