Rouquidão - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Não descuide da sua saúde

Escolha a consulta online para iniciar ou continuar o seu tratamento sem sair de casa. Se precisar, você também pode marcar uma consulta no consultório.

Mostrar especialistas Como funciona?

Especialistas - rouquidão

Encontre um especialista na sua cidade:
Cosmo Petruzzella

Cosmo Petruzzella

Otorrino

Aracaju

Carlos Augusto Loureiro Barroso

Carlos Augusto Loureiro Barroso

Otorrino, Cirurgião de cabeça e pescoço

Guarapari

Mariana Esmeraldo Pinheiro

Mariana Esmeraldo Pinheiro

Otorrino

Juazeiro Do Norte

Guilherme Loducca

Guilherme Loducca

Otorrino

São Paulo

Carolina Kmentt

Carolina Kmentt

Otorrino

Santa Maria

Perguntas sobre Rouquidão

Nossos especialistas responderam a 33 perguntas sobre Rouquidão

O repouso vocal é importante para uma boa cicatrizaçao no pos operatorio. Converse com seu Otorrino sobre o tempo de repouso vocal, pois isso pode depender de acordo com o tipo de cirurgia.


Olá, tudo bem?
Você tentou ajudar e não tem problema.
Peça para ele fazer repouso vocal, não gritar ou falar alto demais, hidratar bastante, se possível, fazer aerosol com soro fisiológico…


Essa sensação esquisita na garganta pode ser resultado da intubação. Pelo que escreveu, não deu para entender se a retirada de pólipo foi da cavidade nasal ou pólipo de prega vocal...Se for retirada…

Especialistas falam sobre Rouquidão

Higiene vocal consiste em normas básicas que auxiliam a preservar a sua saúde vocal, e deve ser feita por todos, principalmente pelos profissionais que utilizam a voz como instrumento essencial para o sucesso profissional. Para manter a saúde da sua voz é preciso seguir alguns cuidados: - Permanecer ao menos trinta minutos em silêncio antes de usar excessivamente a voz; - Realizar lavagem nasal com soro fisiológico 0,9% várias vezes ao dia; - Falar em tons médios, não gritar e nem cochichar; - Controlar rigorosamente doenças da tireóide, diabetes, gastrite, rinossinusite e rinites; - Fumo e etilismo devem ser cessados. Faça de sua voz uma aliada.

“Você já se imaginou SEM VOZ?” Uma das áreas de atuação dos otorrinolaringologistas é a Voz. Culturalmente, a rouquidão não costuma chamar a atenção das pessoas como um sinal de alguma doença. Porém, a voz rouca sempre deve ser investigada. Rouquidão persistente (por mais de 2 semanas), perda da voz, pigarro, tosse, cansaço ao falar, dor ou ardência na garganta, engasgos e dificuldade para engolir ou para respirar são alguns dos sintomas que podem significar problemas no aparelho vocal e devem ser avaliados por um médico otorrinolaringologista, que poderá determinar a causa do problema e avaliar o melhor tratamento.

A rouquidão, na maioria das vezes, acontece após infecções respiratórias ou pelo uso indevido da voz, que geram uma inflamação das cordas vocais. Diversas causas podem levar uma pessoa a ficar rouca:doença do refluxo gastroesofágico; Alergias; Câncer de laringe ou na garganta; Tosse crônica; Resfriado ou infecções das vias aéreas superiores;Fumar e beber em excesso; Uso excessivo da voz e outras causas. O exame que avalia a rouquidão é a laringoscopia. A laringoscopia pode ser feita em pacientes de qualquer idade.O exame de laringoscopia geralmente é feito em ambulatório e dura de 5 a 10 minutos.

A rouquidão pode ser causada por diversos fatores. A mais comum é laringite viral que causa geralmente uma disfonia transitória. Pode haver também lesões benignas das cordas vocais, como nódulos, pólipos e cistos, que causam disfonia que não melhora espontaneamente. Já a rouquidão associada a tabagismo e etilismo o ou com piora progressiva, deve ser investigadas prontamente, já que podem ser sintomas de lesões malignas da laringe. Agende uma consulta e investigue sua rouquidão, exames como a laringoscopia pode ser usado para visualizar sua laringe e fechar um diagnóstico preciso.

Quais profissionais tratam Rouquidão?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.