Como diferenciar uma depressão grave de uma demência vascular em uma pessoa hemiplégica e afásica, vitima a quatro meses? Estava se recuperando mas hoje está muda, com olhar triste, quando não com os olhos fechados, não corresponde ao chamado e apresenta hipertonia no lado não lesado.
Bom dia;
Estudos recentes demonstram que até 40% dos pacientes que tiveram um AVC têm risco de apresentar alguma doença psiquiátrica, principalmente depressão. A afasia é um fator que dificulta a diferenciação entre complicações psiquiátricas e deterioro cognitivo vascular (demência vascular), assim como o local da lesão, a recuperação funcional e as comorbidades prévias. Uma consulta com o neurologista permitirá esclarecer melhor o quadro clínico atual.

Dr. Guilherme Marques
Dr. Guilherme Marques
Neurologista, Neurofisiologista
Belo Horizonte
O diagnóstico correto se baseia na avaliação clínica especializada, com suporte em exames complementares como tomografia ou ressonância do crânio, eventualmente com realização de avaliação neuropsicológica. Com isso, é possível avaliar a extensão da lesão cerebral pelo AVC, correlacionando os achados com os sintomas apresentados. A demência vascular é muito comum após AVCs que se repetem, extensos ou localizados em regiões estratégicas do cérebro. Também sabemos que é muito, muito frequente a coexistência de depressão com comprometimento cognitivo pós-AVC, incluindo a demência vascular. Outra manifestação que pode se confundir com a depressão e é muito frequente após AVCs é a apatia, que seria um estado emocional de indiferença, com falta de emoção ou motivação, perante algo ou alguma situação que normalmente desencadearia alguma resposta.Isso é muito comum. O ideal seria a realização de uma avaliação especializada global, para diagnóstico e tratamento corretos. À disposição!

Dra. Vera Marinho Maschio
Dra. Vera Marinho Maschio
Psicólogo
Porto Alegre
A nova condição de vida limitada pela doença favorece o quadro depressivo. Doenças psiquiátricas podem se potencializar também, com este tipo de acometimento, além das questões neurológicas deste quadro clínico.
Psicologia e fonoaudiologia contribuem muito para estimular e auxiliar na comunicação.

O acompanhamento e orientações médicas são extremamente importantes como enfatizado pelos neurologistas acima, reforço que o apoio deve ser dado igualmente aos principais cuidadores, com ênfase aos aspectos emocionais e psicólogicos.
Se possível, busque igualmente a ajuda de um profissional de confiança.
Forte abraço.

A características nucleares da depressão são uma profunda tristeza, desânimo, incapacidade de sentir prazer na maioria das atividades nas quais a pessoa sentia, antes da depressão. Estes sintomas requerem que a pessoa nos relate, de modo que a afasia pode prejudicar.

Sinais presentes na depressão e que não precisam necessariamente de relato do paciente são choro frequente e irritabilidade.

Não é de se esperar que um quadro de demência, no início, deixe a pessoa ao ponto de não responder quando chamada, mas pode ocorrer em casos mais avançados de demência e/ou depressão.

Um AVC cujos sinais estavam melhorando não deve ser a causa direta de demência vascular, porém os mesmos fatores de risco (como hipertensão, diabete, colesterol alto, p.ex.) podem levar ao AVC e aos micro-infartos que caracterizam a demência.

Fácies depressiva é diferente da de um paciente apático sem depressão: não é simples distinguir.

Consultar um neurologista e, depois, psiquiatra, se for depressão.

Dra. Beatriz Peixoto
Dra. Beatriz Peixoto
Psicólogo
São Gonçalo
As limitações corporais afetam significativamente o estado emocional do indivíduo, portanto é natural que se instale um quadro depressivo nestas condições. Além do acompanhamento médico, que é fundamental para seu quadro clínico, também se faz necessário um acompanhamento psicológico, com especialista na área para tratar o quadro depressivo, associado às medicações do psiquiatra.

É sempre difícil cuidar de uma pessoa adoecida, o melhor seria tb se cuidar para pode ajudar oboutro, para diferenciar a principio só com um neuroligista que ira aplicar os testes e exames necessários.
Att.
Eduardo

O acompanhamento psicológico deve ser realizado independente do diagnóstico clinico, pois qualquer pessoa que passe por uma doença com sequelas encontra-se em um estado de sofrimento.
A avaliação clinica acompanhada de exames é muito importante e a psicoterapia associada poderão trazer muitos beneficios.

 Cleide Marchiotti
Cleide Marchiotti
Psicólogo, Psicanalista
Maringá
Ola! A questão não é nem diferenciar. A questão é o olhar para o quadro e perceber que, possivelmente essa pessoa estava vivendo uma vida "normal" e de repente pá! Possivelmente até com uma certa idade. Então a questão não é nem como diferenciar. A pessoa pode sim estar gravemente depressiva em funções das consequências de sua saúde e de seu quadro atual, sabendo das suas limitações físicas e psíquicas e pode ter começado numa tristeza imensa e evoluído para uma depressão profunda. Ninguém está pronto para sua própria finitude e a doença nos leva a essa reflexão. Procure ajuda médica para um acompanhamento intensivo do quadro físico e uma ajuda psicológica intensa.Procure um psicanalista/psicólogo que com certeza ajudará na melhora da qualidade de vida.

É muito importante que essa pessoa tenha acompanhamento médico imediato com um neurologista e/ou psiquiatra. É sempre bom descartar de imediato uma questão física. Paralelo a isso ou após, uma psicoterapia pode ajudar. A condução ao médico imediata é porque, pelo menos dois sintomas descritos não correspondem a uma quadro de depressão somente. Veja, não significa que ela não exista, mas sim que pode estar junto com outro problema.

Especialistas em Depressão

Ivani Haro Martins

Ivani Haro Martins

Psicólogo

Valinhos

Shirley Miranda

Shirley Miranda

Psicólogo

Volta Redonda

Débora Alessandra Souza

Débora Alessandra Souza

Psicólogo

Niterói

Andrieli Freitas

Andrieli Freitas

Psicólogo

São Paulo

Renata Camargo

Renata Camargo

Psicólogo

Camaquã

Perguntas relacionadas

Você quer enviar sua pergunta?

Nossos especialistas responderam a 609 perguntas sobre Depressão

Este valor é muito curto. Deveria ter __LIMIT__ caracteres ou mais.

  • A sua pergunta será publicada de forma anônima.
  • Faça uma pergunta de saúde clara, objetiva seja breve.
  • A pergunta será enviada para todos os especialistas que utilizam este site e não para um profissional de saúde específico.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se ao seu médico/especialista ou provedor de saúde da sua região.
  • Não são permitidas perguntas sobre casos específicos, nem pedidos de segunda opinião.

Escolha a especialidade dos profissionais que podem responder sua dúvida
Iremos utilizá-lo para o notificar sobre a resposta, que não será publicada online.
Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.