É preciso ser internado para o tratamento de vício em ópio?
A indicação de internação vai depender de vários fatores, como a frequência, quantidade, tempo de uso, entre outros. Nem sempre é a única opção de tratamento, no entanto somente após uma avaliação médica isto poderá ser definido. É muito importante buscar a ajuda de um psiquiatra neste primeiro momento e posteriormente o acompanhamento por uma equipe multidisciplinar.

Dra. Carolina Leal Garcia
Dra. Carolina Leal Garcia
Psicólogo
Curitiba
Olá, o internamento para tratamento da dependência química sempre deverá passar por uma avaliação médica, pois é esse profissional quem observará se o paciente apresenta critérios para tal. Ainda é importante uma avaliação multidisciplinar. Não deixe de procurar um bom psiquiatra. Espero ter contribuído.

Boa noite! Sim,como qualquer outra droga pesada, para o tratamento do vício em ópio é necessário acompanhamento médico e controle dos efeitos da abstinência. Para se livrar deste vício é preciso que a pessoa fique em observação pois os sintomas da abstinência podem surgir de forma agressiva porém podem ser atenuados com ajuda de alguns medicamentos que auxiliam o organismo a se livrar aos poucos do vício, tornando sua recuperação mais segura e possível.

Muito provável que sim, quando internado as chances de controlar as crises de abstinência são maiores, é importante lembrar que uma vez fora da clinica é importante continuar sendo acompanhado em grupos de NA, terapia e possivelmente um psiquiatra..

A internação pode ser realizada caso a pessoa não consiga ter resultados através de acompanhamento psicológico e psiquiátrico, não sendo portanto a única solução.

Dra. Gisela Goldwasser
Dra. Gisela Goldwasser
Psicanalista
Rio de Janeiro
A Psicanálise trabalha com a possibilidade , não com o milagre. Cada ser humano é unico , com sua maneira de lidar e ler a sia vida e a vida dos que o cercam. Acredito na escuta singular e na parceria analista paciente, no trabalho um a um como uma possibilidade de invencao de um caminho muito proprio para viver uma vida com uma forma de construção e não com alguém dizendo eternamente o que é melhor pra você. Ninguém sabe mais de você que você mesmo. As vezes não sabe que sabe. Ainda não sabe. Acredito que nos aprisionados a versões únicas dos acontecimentos que vivemos ou do que ouvimos e transformamos aquela única versão em lei. Mal sabemos que nos aprisionados nela e que muitas vezes e causa do nosso sofrimento só conseguir ouvir , ver e entender o acontecido daquela maneira. Achamos que a ciência e os pais vão tão As nossos buracos a vida toda, nos dar respostas a tudo . A análise e uma tentativa interessante e corajosa de se ouvir sem ser julgado e dar se as próprias respostas e inventa las quando elas não existem. Acredito que a escrita me levou a Psicanálise e me alargou o olhar e a escuta para a diferença . Somos todos iguais na necessidade de ar, afeto, comida e poesia na vida, mas com percurso único cada um. Fui exercitar minha escuta em Hospitais como os da Rede Dor, em enfermarias , quartos , ambulatorio, no Pedro Ernesto , no Projeto Saude do Homem ( parceria do Ministério da Saúde com A UERJ) no qual ouvi mais de 300 homens que não sabiam que podiam falar e chorar, e prossigo essa escuta no consultório em Copacabana onde atendo adolescentes, mulheres e homens.

Especialistas em Drogadição

Natália Augustini

Natália Augustini

Psicólogo

Fernandópolis

Mauro José de Araújo

Mauro José de Araújo

Médico acupunturista, Anátomopatologista, Psicólogo

Auriflama

Aline Taconeli

Aline Taconeli

Psicólogo

Santo André

Danilo Gomes de Melo

Danilo Gomes de Melo

Psicólogo

Santo André

Renata Camargo

Renata Camargo

Psicólogo

Camaquã

Luis Falivene Roberto Alves

Luis Falivene Roberto Alves

Psiquiatra

Campinas

Perguntas relacionadas

Você quer enviar sua pergunta?

Nossos especialistas responderam a 12 perguntas sobre Drogadição

Este valor é muito curto. Deveria ter __LIMIT__ caracteres ou mais.

  • A sua pergunta será publicada de forma anônima.
  • Faça uma pergunta de saúde clara, objetiva seja breve.
  • A pergunta será enviada para todos os especialistas que utilizam este site e não para um profissional de saúde específico.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se ao seu médico/especialista ou provedor de saúde da sua região.
  • Não são permitidas perguntas sobre casos específicos, nem pedidos de segunda opinião.

Iremos utilizá-lo para o notificar sobre a resposta, que não será publicada online.
Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.