Febre - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Especialistas em febre

Encontre um especialista em Febre na sua cidade:
Micheline R. P. Naves

Micheline R. P. Naves

Médico clínico geral

Uberlândia

Marcus Vinícius Lacerda

Marcus Vinícius Lacerda

Infectologista

Manaus

Eliane Floté

Eliane Floté

Infectologista

Paranavaí

Augusto Anibal Nunes

Augusto Anibal Nunes

Infectologista

Vitória da Conquista

Rodrigo Nogueira Angerami

Rodrigo Nogueira Angerami

Infectologista

Campinas

Adriana Coutinho Nogueira

Adriana Coutinho Nogueira

Infectologista

Perguntas sobre Febre

Nossos especialistas responderam a 20 perguntas sobre Febre

Sim. Sugiro que procure atendimento médico o quanto antes. abraço
1 respostas

Dr. Andre Lucio Costa Rodrigues
Dr. Andre Lucio Costa Rodrigues
Médico clínico geral, Endocrinologista
Rio de Janeiro
Respostas normais ao seu estado febril, tomando como base seu relato. Uma boa noite!!
1 respostas

Todo antibiótico pode levar até 72 hs para atingir um bom efeito e passar os sintomas. Se a febre retorna após esse período é preciso levar a criança novamente no pediatra para examinar.
3 respostas

Especialistas falam sobre Febre

A febre é o aumento da temperatura habitual do corpo. Não adianta apenas sentir calafrios ou suar muito à noite e achar que está com febre. Não existe “febre interna”, nem “princípio de febre”. Consideramos febrícula a temperatura axilar entre 37,3°C e 37,8°C e febre quando maior que 37,8°C. Idosos ou pacientes imunodeprimidos podem apresentar hipotermia no lugar de febre (temperatura axilar abaixo de 35°C). A maior causa de febre é infecciosa, mas existem outras causas como insolação, doenças autoimunes, câncer, reação a medicamentos ou vacinas. Quando o foco infeccioso não está bem definido o diagnóstico é um desafio e o médico mais indicado para este estudo é o Infectologista.

Keilla Mara Freitas

Infectologista

São Paulo

Quais profissionais tratam Febre?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.