Infecções urinárias - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Especialistas em infecções urinárias

Encontre um especialista em Infecções Urinárias na sua cidade:
Marcelo Mageste

Marcelo Mageste

Médico clínico geral, Nefrologista

Pará de Minas

Fábio Lepper

Fábio Lepper

Cirurgião geral, Urologista

Joinville

Helga Marquesini

Helga Marquesini

Ginecologista

São Paulo

George Rafael Martins de Lima

George Rafael Martins de Lima

Urologista

Fortaleza

Rômulo Da Costa Farias

Rômulo Da Costa Farias

Urologista

Fortaleza

Perguntas sobre Infecções urinárias

Nossos especialistas responderam a 132 perguntas sobre Infecções urinárias

Dra. Keilla Mara Freitas
Dra. Keilla Mara Freitas
Infectologista
São Paulo
o uso de sonda vesica de demora aumenta risco de infecção urinária, se não houve necessidade de estar com a sonda, retirá-la, faz parte do tratamento da infecção urinária, pois a mesma fica colonizada…
1 respostas

Os sintomas de infecção urinárias são diversos : disúria ( dor ao urinar), aumento da frequencia urinária, gotejamento urinário, alterações na cor e odor da urina, dentre outros. Em pacientes…
1 respostas

Boa tarde
Gotejamento pós-miccional pode ser comum em alguns pacientes, porem como voce teve infecção recente o ideal é realizar uma avaliação com seu urologista
1 respostas

Especialistas falam sobre Infecções Urinárias

Cistite é uma infecção urinária da bexiga, geralmente causada por infecção por bactérias Pode se complicar com a infecção de ureteres e rins ou entrada na corrente sanguínea. Também pode se referir a inflamações causadas por medicamentos, radioterapia, secundária a outras doenças ou por potenciais irritantes, tais como produtos de higiene, espermicidas ou o uso de um cateter por longos períodos. Os sintomas possíveis são: - dor na parte inferior do abdômen (hipogástrica); - ardência ao urinar (disúria); - urinar com frequência (polaciúria); - febre baixa; - cheiro forte na urina; - dor lombar; - náuseas e mal estar Pode também aparecer sangue na urina (hematúria) ou pus.

Alain Machado Da Silva Dutra

Urologista

Santo André


Tratar adequada e prontamente é importante para a resolução da infecção urinária. Muitas medidas podem ser tomadas para a prevenção das famosas cistites.

Renata Maas Dos Anjos Saes

Ginecologista

Florianópolis


As infecções urinárias são aquelas que acontecem nos rins (pielonefrite), bexiga (cistite) e uretra (uretrite). Em homens podem ocorrer ainda epididimo-orquites e prostatite, quando acometem os órgãos reprodutores. As infecções urinárias de repetição causam um transtorno muito grande e devem ser diagnosticadas e tratadas prontamente. O infectologista é o profissional mais capacitado para entender este tipo de infecção e providenciar o tratamento adequado.

Luiz Jorge Moreira Neto

Médico clínico geral, Infectologista

Maringá

Agendar uma visita

A infecção do trato urinário (ITU) é patologia extremamente frequente, que ocorre em todas as faixas etárias e em ambos os sexos, mas acontece com mais frequência em mulheres adultas e com vida sexual ativa. Cerca de 50% das mulheres adultas tem pelo menos um episódio de infecção urinária durante toda a vida. Do ponto de vista clínico, a ITU pode comprometer tanto o trato urinário baixo (onde a presença de bactérias se limita à bexiga), quanto o superior (afeta os rins); sendo que na mulher, a Escherichia coli é o patógeno mais frequente, associado a 75 - 95% dos episódios de cistite não complicada e pielonefrite.

As infecções urinárias são mais comuns nas mulheres. A uretra mais curta e localizada na região genital favorece o acesso de bactérias ao interior da bexiga. O hábito de segurar a urina por muito tempo e ingerir pouco líquidos também contribui. Outro fator muito importante é a constipação intestinal. As bactérias que causam a infecção vêm da flora intestinal. Ficar mais que dois dias sem evacuar, aumenta a presença das bactérias próximo à bexiga favorecendo as infecções. A higiene correta e esvaziar a bexiga após as relações sexuais também são importantes. Mais de 2 episódios de infecção por ano não é normal e o urologista deve ser consultado para realizar o tratamento adequado.

As infecções do trato urinário afetam uma em cada quatro mulheres ao longo da vida. São muito mais comuns nas mulheres em relação aos homens devido a menor distância entre a uretra e o ânus nas mesmas. Os principais sintomas são: dor ao urinar, sensação de esvaziamento incompleto e vontade de ir ao banheiro repetidas vezes. O diagnóstico e tratamento são simples porém se a pessoa não for tratada de forma correta pode evoluir para quadros graves como sepse e insuficiência renal. Mulheres que tem infecção urinária de repetição (mais que três episódios no ano) devem fazer acompanhamento especializado.

Luis Gustavo Trindade

Médico clínico geral, Nefrologista

Belo Horizonte

Agendar uma visita

A infecção urinária é a presença de bactérias, fungos, vírus ou microorganismos em qualquer parte do trato urinário (uretra, bexiga, ureter e rins). Se não tratada da forma adequada, pode provocar complicações. Na criança maior, que já tenha tirado as fraldas, a infecção urinária causa dor e ardência ao urinar, aumento de frequência e indisposição. Nos recém-nascidos ou lactentes, provoca irritação, gemedeira, inapetência ou falta de ganho de peso. A febre é uma manifestação frequente. Toda criança com febre inexplicável deve realizar um exame de urina.

Diogo Carlo Cruz Smith

Urologista

Aracaju


Ardência ao urinar, gotejamento e dor no abdômen. Muitas vezes resolvido com antibióticos e analgésicos, na dependência de avaliação médica. Mas há os casos em que isto ocorre de forma frequente, principalmente nas mulheres, conhecida como ITU de repetição, que precisa ser investigada e tratada corretamente para evitar o uso indiscriminado de antibióticos. O acompanhamento com Urologista, neste caso em especial, é imprescindível.

As infecções do trato urinário (ITU) podem se localizar em qualquer altura do trato urinário.São mais frequentes em mulheres por sua uretra pequena, mas existem vários outros fatores que podem aumentar sua frequência, como diabetes, Resto da urina na bexiga após urinar, uso de sonda vesical, mudanças da flora bacteriana genital natural, migração de bactérias do intestino, muita limpeza, relação sexual frequente, mudança hormonal. quando frequentes, o infectologista deve ser consultado, pois, dar um antibiótico atrás do outro não diminui resolve o problema e causa outros maiores como aumento das reações adversas, toxicidade e resistência bacteriana.

Keilla Mara Freitas

Infectologista

São Paulo


A infecção urinária é comum em mulheres de todas as idades, entretanto, acima de 2 episódios por ano deixa ser considerado "normal" e o paciente deve então ser avaliado por um especialista nefrologista. Existem várias causas para as infecções na urina voltarem na mulher e é preciso investigar o que de fato está acontecendo para tratar a causa e não somente a infecção. No meu tratamento me atento à prevenção para evitar novas infecções através de uma abordagem do indivíduo como um todo.

Patricia Taschner Goldenstein

Médico clínico geral, Nefrologista

São Paulo

Agendar uma visita

Anualmente, cerca de 15% das mulheres em idade fértil apresentam infecção urinária e cerca de 25% dessas apresentará recorrência da infecção. Considera-se infecção urinária de repetição quando ocorrem mais de 2 episódios em 6 meses ou mais de 3 em um ano. Nas mulheres, fatores hormonais e relacionados a atividade sexual influenciam diretamente o aparecimento de quadros de infecção urinária. Medidas simples como orientação quanto a higiene e atividade sexual, aumento da ingestão de líquidos e não deixar a urina parada na bexiga por muito tempo ajudam a evitar novos episódios. Se você apresenta infecção urinária de repetição, procure o urologista para acompanhamento e tratamento.

Infecção do Trato Urinário (ITU) não-complicada é problema de saúde comum e normalmente tratada por qualquer médico. Como urologista, estamos habilitados para a investigação e tratamento das ITU's complicadas e de repetição, avaliando e resolvendo mal formações do trato urinário, cálculos urinários, corpos estranhos, etc.

O urologista não é médico só para homens, ele cuida de todo aparelho urinário masculino e feminino. As mulheres com infecção urinaria devem, também, procurar um urologista.

Alisson César Freitas Alvarenga

Urologista

Belo Horizonte


As infecções do trato urinário são muito comuns em mulheres. As infecções mais habituais acometem a bexiga, mas as infecções mais graves podem atingir o rim. Pode causar dor pélvica e no canal da urina, aumento da vontade de urinar e sangramento na urina. A infecção nos rins pode causar dor nas costas, náuseas, vômitos e febre. O diagnóstico é clínico na maioria dos casos, sendo necessário a realização de exames laboratoriais eventualmente, quando há dúvida. O tratamento comumente é feito com antibióticos, sendo necessário a prescrição por um médico.

É um quadro infeccioso causado em qualquer parte do trato urinário (uretra, bexiga, ureter e rins) por bactérias, fungos, vírus ou microorganismos. As crianças até 5 anos apresentam maior incidência em apresentar a doença. No primeiro ano de vida, os sintomas são maiores para o sexo masculino e, após o primeiro ano, as meninas passam a ser mais acometidas. O tratamento é feito à base de medicamentos antibióticos e exames clínicos para investigar a origem da infecção.

A infecção urinária é bastante comum este as mulheres. Ela pode acontecer na bexiga,conhecida como cistite, é a mais comum e mais branda. Mas pode também acometer os rins, conhecida como infecção urinária alta ou pielonefrite, com um quadro mais grave às vezes necessitando de internação. Muito comum algumas mulheres apresentaram varios episódios de infecção urinária durante o mesmo ano. Nestes casos precisamos tratar estratégias para diminuir ou acabar com as recorrências através de medicações e mudanças no comportamento.

Quais profissionais tratam Infecções urinárias?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.