minha mãe gostar de me controlar o tempo todo. As vezes me sinto um criança ou

25 respostas
minha mãe gostar de me controlar o tempo todo. As vezes me sinto um criança ou como se eu não fosse uma pessoa normal. Estou sempre seguindo as ordens dela, mas quando falo “não” ou reclamo da situação, sou chata ou reclamona demais. Não sou de pedir favores, tento sempre resolver tudo sozinha mas fico irritada por ela me mandar fazer tantas coisas. Como fazer para não me sentir tão sufocada?
Olá. Esta é uma situação delicada que exige mais informações e entender ambos os lados para que ocorra uma melhor compreensão e possível busca de resolutividade.
Mas sendo simples, para tentar lhe ajudar, você poderia buscar realizar um momento de conversa com ela e transmitir de maneira assertiva como você se sente em relação a estes momentos nos quais você se sente infantilizada e, digamos, desmerecida por ela. Ao longo deste momento estabelecer limites também pode ser de grande importância. Na mesma proporção é preciso também compreender o lado de sua mãe, ou seja, buscar saber o para quê ela está agindo desta forma com você e como ela te observa neste momento de sua vida. Caso este momento seja muito delicado, ou difícil de você agir sozinha, se faz interessante a presença de uma terceira figura que não procure defender lados, mas abrir a possibilidade do diálogo de ambas as partes.
Há outras questões que poderiam ser levantadas como a sua busca de independência e autonomia com em relação a sua mãe, pois como você já traz, há um movimento seu que é responsável. Entretanto, também é preciso entender que não vivemos de forma autossuficiente, mas através de nossas relações.
Outro ponto é saber quando e como você se percebeu nesta situação e quem é sua mãe na sua percepção, assim como quem é você na percepção dela.
Procure também evitar confrontos desnecessários, tenha um espaço em que você possa se expressar ou tenha um hobby. Busque também manter relações com outras pessoas que te nutram, além de descansar e uma boa alimentação.

Tire todas as dúvidas durante a consulta online

Se precisar de aconselhamento de um especialista, marque uma consulta online. Você terá todas as respostas sem sair de casa.

Mostrar especialistas Como funciona?
Compreendo a dificuldade que você enfrenta ao se sentir controlada por sua mãe. É importante comunicar de forma assertiva seus sentimentos e necessidades, estabelecer limites saudáveis, desenvolver sua independência e buscar apoio emocional externo, enquanto pratica o autocuidado para lidar com essa situação de maneira mais equilibrada e saudável. Sugiro que faça terapia, para trabalhar a assertividade.
Olá. Acho que algumas investigações são necessárias para entender essa relação, pois o controle nas relações podem acontecer por diversos motivos, mas não é algo saudável e por vezes difícil de encontrar estratégias sem ajuda especializada. Você sempre enxergou sua mãe como uma pessoa controladora? Existe diálogo ou possibilidade de diálogo entre vocês?Tem irmãos? Se sim. Como percebe a relação dela com outros filhos? Como é sua relação com seus irmãos? Como é sua relação com outras pessoas que não fazem parte do núcleo familiar, existem outros vínculos? Como é sua rotina? Como você se vê? Caso queira marcar uma entrevista para que possa ter um espaço de escuta sensível e acolhimento para esse sofrimento, estou à disposição!
Te convidamos para uma consulta: Consulta psicologia
Você pode reservar uma consulta através do site Doctoralia, clicando no botão agendar consulta.
Olá! Você faz perguntas interessantes que mostram que você poderia se beneficiar de um trabalho de análise. Quais as possíveis relações entre você resolver tudo sozinha e se sentir controlada por sua mãe? Um bom ponto de partida é entender que uma única relação entre duas pessoas está imersa em diversos fatores sociais, culturais, por heranças simbólicas e também por uma tentativa de se inventar em meio às demandas da vida. Caso queira falar a respeito, estou à disposição!
É natural que você se sinta sufocada quando alguém tenta controlar suas ações e decisões o tempo todo, mesmo que essa pessoa seja sua mãe. Aqui estão algumas sugestões que podem ajudar você a lidar com essa situação:

Comunicação aberta: Tente conversar com sua mãe sobre como você se sente. Explique que você valoriza a autonomia e gostaria de ter mais espaço para tomar suas próprias decisões.

Estabeleça limites: Defina limites claros sobre o que você está disposta a fazer e o que não está. Se necessário, escreva esses limites e compartilhe com ela para que ambos estejam cientes das suas expectativas.

Negocie: Em vez de simplesmente dizer "não", tente negociar com sua mãe. Ofereça alternativas ou compromissos que possam atender às necessidades de ambos.

Pratique o autocuidado: Dedique tempo para cuidar de si mesma e fazer atividades que lhe tragam alegria e relaxamento. Isso pode ajudar a aliviar o estresse causado pela situação.

Busque apoio: Se sentir que precisa de apoio adicional, considere conversar com um amigo de confiança, um membro da família ou até mesmo um profissional, como um terapeuta, que possa ajudá-la a lidar com esses sentimentos.

Lembre-se de que é importante encontrar um equilíbrio entre respeitar os desejos de sua mãe e garantir sua própria autonomia e bem-estar emocional.
Olá! Vejo que essas questões estão te deixando bastante ansiosa e com muitas coisas na cabeça. Não sei qual a sua idade, mas o fato de morar com familiares (in)felizmente por vezes pode ser algo desafiador, pois envolve não necessariamente uma questão de escolha, mas algo impositivo. Acho interessante você (juntamente com sua mãe, se houver essa possibilidade) buscar atendimento psicológico (seja individual ou até mesmo familiar, se for o desejo de ambas). Guardar as coisas consigo e acreditar que assim elas irão se resolver ou ninguém quer escutar seu sofrimento, só acaba cada vez mais comprometendo sua saúde física e mental. Qualquer coisa, sou psicólogo e fico a disposição, tá bom? Abraços!
Olá! Sinto muito que esteja passando por isso, mas, apesar de você não mencionar a sua idade, vou supor que seja menor.

Por enquanto pode ser necessário cumprir algumas tarefas, mas o melhor caminho é sempre a negociação entre pais e filhos.

Procure conversar com ela e dizer como se sente, sempre buscando o diálogo e sinalizando a sua necessidade de que ela confie em você pra que você possa demonstrar sua autonomia em certos assuntos.

Seria importante buscar iniciar sua Psicoterapia com um(a) psicólogo(a) para, juntos traçarem estratégias e aprender a lidar com o que ainda não for possível mudar.

Espero que fique bem! ;)
É muito compreensível que você se sinta sufocada. Acho que uma das suas opções nessa situação seria tentar ter uma conversa honesta e assertiva com sua mãe sobre seus sentimentos e sua necessidade de mais autonomia. Ela precisa compreender que você precisa de espaço para tomar suas próprias decisões, pois só assim você será capaz de entender as consequências das suas ações e de desenvolver estratégias para lidar com elas. Se ela continuar te controlando, estará contribuindo para te deixar sempre dependente dela para assumir as rédeas da sua vida. Também será muito importante para você estabelecer limites. Um processo terapêutico/analítico pode te ajudar a desenvolver estratégias para isso e assim talvez vocês duas sejam capazes de, por fim, estabelecer uma relação de confiança. Se quiser conversar sobre, fico à disposição!
Parece que você está passando por uma situação desafiadora em relação ao controle excessivo da sua mãe. É compreensível que se sinta sufocada e frustrada com essa dinâmica. Uma opção que pode ser muito útil para você é considerar iniciar a psicoterapia. Ter um espaço seguro para discutir suas preocupações pode ajudá-la a explorar seus sentimentos em relação à sua mãe, a entender melhor seus próprios limites e a desenvolver estratégias saudáveis para lidar com essa situação.
Te convidamos para uma consulta: Teleconsulta - R$ 120
Você pode reservar uma consulta através do site Doctoralia, clicando no botão agendar consulta.
Boa noite
As mães controladoras normalmente querem proteger demais os filhos e na maioria das vezes não deixam eles crescer.
É nessário fazer terapia para te ajudar a se posicionar de uma forma positiva e assim a medida que você mudar sua forma de lidar coma vida sua mãe vai te ver de outra forma e irá passar a te respeitar nas suas escolhas.
Olá. Compreendo que se sinta sobrecarregada com o controle excessivo de sua mãe. É importante comunicar suas necessidades com firmeza e estabelecer limites claros. Lembre-se de confiar em si mesma, buscar apoio e reservar tempo para cuidar de seu bem-estar mental. Encontrar um equilíbrio entre respeitar as necessidades de sua mãe e cuidar de si mesma é essencial.
Em situações de controle excessivo por parte dos pais, a literatura em psicologia sugere a importância de estabelecer limites saudáveis e comunicação assertiva. Estratégias incluem expressar suas necessidades e sentimentos de forma clara, praticar a autonomia dentro de limites razoáveis, e buscar apoio emocional, psicoterapia . Pesquisas, como as conduzidas pela Universidade de Harvard, enfatizam a eficácia da Terapia de Dessensibilização e Reprocessamento por Movimentos Oculares (EMDR) no tratamento de estresse e trauma, o que pode ser aplicável em dinâmicas familiares complexas (Shapiro). É vital reconhecer a necessidade de suporte profissional quando se sente sobrecarregado. Aplicamos o mesmo protocolo internacional aqui em São Paulo.
Olá, espero que esteja bem. Imagino que essa situação esteja te deixando incomodada. É importante que você consiga ter uma conversa com a sua mãe, onde você poderá expor os seus sentimentos e estabelecer limites saudáveis. Acredito que a terapia poderá te ajudar a buscar estratégias para lidar com esse perfil de mãe que você tem, além de te proporcionar um espaço para o seu auto cuidado.
Oi... As informações que você trouxe estão voltadas para um relacionamento onde há vários aspectos relevantes a serem considerados. A relação entre pais e filhos já vem culturalmente embasada pelo adulto que manda e a criança (filho) que obedece. Provavelmente sua mãe acredita que esse modelo é o que ela deve utilizar para ser uma "boa mãe", além disso há também de considerar que comportamento dela, salvo se ela for uma mãe com personalidade narcisista, é mantido algo em seu comportamento aciona esse gatilho de controle. É muito comum mães e pais controladores. Agora respondendo sua pergunta: Como não me sentir sufocado diante do controle? Foque em sua vida. Observe em que aspectos você tem deixado sua vida de lado para satisfazer as necessidades dela ou dos outros. O teu olhar quando está muito voltado para o outro é porque não está voltado para si mesmo (a). Busque ajuda para que você saia desse ciclo. Será libertador para sua vida e de sua mãe. Espero ter contribuido.
Olá,
Tanto a postura controladora quando a dificuldade de dizer não é adotar uma nova postura são claramente demandas para psicoterapia. Existem muito motivos possíveis para o controle exercido por ela. As vezes superproteção, medo da sua suposta incapacidade lhe trazer sofrimentos. Mas está atrapalhando sua vida. Então aprender a se impor de maneira saudável e causando o mínimo de sofrimento pra sua mãe é um bom caminho. Pedir ajuda a um bom terapeuta vai lhe ajudar e ajudar a sua mãe. Busque ajuda, na sua cidade ou onde se sinta bem.
Olá! Não existem fórmulas prontas, mas compreendo que o funcionamento da tua mãe podem gerar muitos efeitos sobre você pois sua formação psíquica está intimamente relacionada a ela. Por mais que ela tenha alguns motivos inconscientes para agir como age, uma hipótese é que te deixando num lugar de pouca competência, tu sigas criança dependente, ou que talvez ela te de muitas tarefas por saber que tu podes realizar e espera mais participação tua. Para ampliar teu olhar e procurar saídas ao que te incomoda seria importante pensares em um tratamento psicanalítico! Pense nisto!
Olá! Entendo que esse momento é de extrema importância na sua vida, há uma enorme vontade de mais autonomia, independência em relação aos comandos da mãe. È importante que você tenha um dialogo franco expressando seus sentimentos, entendendo na medida do seu possível o lado dela, para que juntas possam fazer novos acordos nessa relação mãe e filha. È normal que as dinâmicas mudem periodicamente nas relações. Caso alguns bons diálogos não tenham resultados favoráveis, pode-se buscar ajuda de um tratamento Psicológico para se fortalecer e conseguir de forma assertiva estabelecer limites.
Te convidamos para uma consulta: Psicoterapia online adolescentes e adultos - R$ 120
Você pode reservar uma consulta através do site Doctoralia, clicando no botão agendar consulta.
Olá, seria importante você informar com quantos anos você está agora. Pois isso vai influenciar no tipo de intervenção que vc precisa. Se é adolescente ou adulto faz diferença. A busca de autonomia financeira, ter a própria casa, por exemplo, não é viável para um adolescente. E em qualquer idade é importante ver o que em você pode ser mudado para que essa relação mude. Procure uma psicóloga ou psicólogo para aprofundar no tema e buscar uma resolução que possa ser a partir de você e não do outro.
Te convidamos para uma consulta: Teleconsulta - R$ 200
Você pode reservar uma consulta através do site Doctoralia, clicando no botão agendar consulta.
Boa Noite! Aqui em seu relato você não menciona sua idade,porém esse tipo de comportamento é comum por parte de pais mais controladores com crianças e adolescentes e que acabam se estendendo até a vida adulta se nenhuma ação/resolução no relacionamento for feita! Caso você seja adolescente tente conversar com sua mãe e explicar como se sente em relação a tanto controle,tente convida-la para fazerem psicoterapia e caso seja adulta busque por psicoterapia individualmente! Fico à disposição no online ou presencial.
Compreendo como esses sentimentos de ser controlada podem ser desafiadores. A psicoterapia oferece um espaço seguro e confidencial para explorarmos essas questões mais profundamente, compreendermos padrões comportamentais e desenvolvermos estratégias para fortalecer sua autonomia e assertividade. Ao investir em sua saúde mental, você estará dando um passo importante em direção ao empoderamento pessoal e ao equilíbrio nas relações. Estou aqui para apoiá-la nesse processo de autodescoberta e crescimento. Considerar a psicoterapia pode ser um caminho valioso para construir uma vida mais satisfatória e alinhada com suas necessidades.
Te convidamos para uma consulta: Consulta psicologia - R$ 120
Você pode reservar uma consulta através do site Doctoralia, clicando no botão agendar consulta.
Olá! Pelo seu relato e com toda esta cobrança de sua mãe, é normal que você se sinta desta forma. Até certo ponto, é natural que a sua mãe tenha demandas quanto aos assuntos de sua responsabilidade, mas é essencial que ela também respeite o seu espaço e a sua forma de fazer as coisas, que não necessariamente são similares as dela. Destacar essas fronteiras é necessário para permitir que VOCÊ seja VOCÊ, e não o outro. Contudo, a forma de demonstrar isso nem sempre é fácil e a ajuda de um profissional para lhe auxiliar pode fazer muita diferença (até para estabelecer um contato e uma ponte com a sua mãe). Me coloco à disposição para um contato e uma conversa mais aprofundada!
Olá! Esse momento, que imagino ser de adolescer, vai passar e você terá seu espaço. Comunique a ela o seu limite!
Espero ter ajudado.
Olá! Imagino como seja difícil pra você essa situação. Lamento que passe por isso. Pra te ajudar a lidar com esse problema, é importante que você faça psicoterapia. A psicoterapia irá te ajudar a compreender porque reage dessa forma, além disso, promoverá o desenvolvimento de habilidades como a assertividade pra poder dizer não pra sua mãe ou estabelecimento adequado de limites sem se sentir culpada.
Olá; algumas vezes é dificil para os pais reconhecerem quando um filho cresceu e para alguns filhos é dificil colocar limites nesses pais em relação a isso. É normal sentir-se sufocada nessa situação. Dessa forma acredito que uma psicoterapia poderia te ajudar a aprender a desenvolver habilidades e estratégias para se posicionar de uma forma mais consistente nessa situação. Procure ajuda de um psicólogo.
Olá. As relações familiares podem exigir muito controle emocional e envolve dinamicas toxicas em algumas relações. Compreender seus sentimentos e entender de qual o lugar o outro lhe demanda se faz necessário para que se tenha uma qualidade vida estavel. Recomendo que busque sessões de psicoterapia para assim se autoconhecer e desenvolver habilidades e mecanismos de controle emocional e de manejo das emoçoes negativas.
Te convidamos para uma consulta: Primeira consulta psicologia - R$ 150
Você pode reservar uma consulta através do site Doctoralia, clicando no botão agendar consulta.

Especialistas

Natalia Ventura

Natalia Ventura

Psicólogo

Cachoeirinha

Ruth Carvalho

Ruth Carvalho

Psicólogo

Jacareí

Luciana Gonçalves Sabino

Luciana Gonçalves Sabino

Psicanalista, Psicólogo

Aracaju

Agendar uma visita

Perguntas relacionadas

Você quer enviar sua pergunta?

Nossos especialistas responderam a 93 perguntas sobre Psicoterapia
  • A sua pergunta será publicada de forma anônima.
  • Faça uma pergunta de saúde clara, objetiva seja breve.
  • A pergunta será enviada para todos os especialistas que utilizam este site e não para um profissional de saúde específico.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se ao seu médico/especialista ou provedor de saúde da sua região.
  • Não são permitidas perguntas sobre casos específicos, nem pedidos de segunda opinião.
  • Por uma questão de saúde, quantidades e doses de medicamentos não serão publicadas.

Este valor é muito curto. Deveria ter __LIMIT__ caracteres ou mais.


Escolha a especialidade dos profissionais que podem responder sua dúvida
Iremos utilizá-lo para o notificar sobre a resposta, que não será publicada online.
Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.