Qual a melhor maneira de um adolescente se defender de um bully? Tanto verbalmente quanto fisicament

23 respostas
Qual a melhor maneira de um adolescente se defender de um bully? Tanto verbalmente quanto fisicamente. Tentando sempre manter a ética e a integridade dos dois.
Pelo que voce informa, tem sofrido bullying de uma pessoa e não de um grupo, o que pode acontecer no ambiente escolar. Já pensou em comunicar a escola? Esse é um ponto. É importante que a Instituição promova medidas preventivas e educativas para que os alunos tenham mais empatia (se coloquem no lugar do Outro) e tenham relações saudáveis. Muito bom da sua parte se preocupar com a ética e integridade de ambos.
Outro ponto é você procurar uma terapia para ter um suporte emocional diante da situação e outras questões que possam surgir.
Já tentou ter um diálogo com o seu colega? Ou simplesmente ignorar? Isso pode fazer com que a pessoa veja que não consegue atingi-lo. Creio que com acompanhamento psicológico você poderá conseguir criar estratégias para lidar com essa situação. Um abraço!

Tire todas as dúvidas durante a consulta online

Se precisar de aconselhamento de um especialista, marque uma consulta online. Você terá todas as respostas sem sair de casa.

Mostrar especialistas Como funciona?
Olá! Antes de pensar em possíveis estratégias de defesa para lidar com essa situação, gostaria que soubesse que você não precisa passar por isso sozinho. O bullying machuca e é necessário falar sobre ele. Por isso, é recomendado que você procure ajuda para identificar os casos de violência e tomar uma atitude para a sua proteção. No combate ao problema, a união entre pais e professores faz toda diferença. Caso ainda não tenha tido essa conversa com eles, recomendo que faça isso. Se sentir necessidade, você também pode contar com o apoio de um Psicólogo para compreender melhor o momento que está vivenciando e te ajudar a se fortalecer gradualmente. O bullying pode trazer consequências terríveis. Não deixe de buscar suporte para combate-lo o quanto antes. Cuide-se bem!

A maior defesa contra o bullying é sua comunicação. Ou seja, falar com os pais, os professores e buscar ajuda psicológica para que você sinta que não está sozinho.

Concordo com tudo o que os colegas já disseram a respeito do assunto,e além das ferramentas de comunicação e ajuda de pais e professores,é importante trabalhar aspectos de sua auto-estima e do próprio agressor que podem também estar afetadas o que se reflete no comportamento de projeção das angústias em terceiros (em você).Busque ajuda de adultos de sua confiança e se não for suficiente,procure orientação psicológica.

Se há contato físico isso pode ser considerado violência , agressão. No caso do bullying é recomendado fortalecer o jovem a buscar apoio de adultos de autoridade ( professores , coordenadores , diretores , país ...). Precisa capacitar o jovem a se defender , muitas vezes a esquiva pode ser uma opção dependendo do contexto.

Olá! Concordo com tudo que meus colegas falaram. A primeira coisa é comunicar aos pais e a escola para que se possa desenvolver um trabalho com os alunos. É importante que o adolescente não sofra calado e possa ter pessoas de confiança para falar sobre o assunto. Um suporte psicológico pode ser necessário, para desenvolver a autoconfiança e a autoestima que com o bullying podem ficar abaladas. Fortalecendo a parte emocional fica mais fácil para enfrentar as situações adversas.

Olá! A melhor forma ética é a denúncia tanto na escola, quanto, porque não, na delegacia? Bulling é abuso psicológico. Quando se é violentado, se denúncia não? O mesmo vale para o bulling. Também, esse adolescente deve receber ajuda psicológica, para poder lidar com isso. Procure por ajuda. Falar sobre e coibir tal ato de forma responsável é a melhor solução!

Olá!
Procure comunicar os responsáveis da instituição ou local que frequenta sobre o ocorrido. A providencia para iniciar a correção devem ser destes e não de quem eventualmente está ou vem sofrendo bullying no local ou mesmo fora dele.

Interessante sua colocação sobre o bullying. Pontuo que sua questão não está voltada para aquele que sofre, mas para "qual a melhor maneira de se defender de um bullying". E ainda leva em consideração que existem os dois lados, o de quem pratica e o de quem recebe. Encaminhe seu adolescente a uma psicanalista/psicóloga e facilite que ele/ela encontre sua melhor maneira de responder. Com certeza vai valer para a vida inteira.
Convidamo-lo para uma consulta: Primeira consulta psicanálise - R$ 200
Pode reservar uma consulta através do site Doctoralia, clicando no botão Reservar uma consulta.

Comunicar a escola se for o caso, e se for com algum colega, que a família do mesmo seja informada, pois, o bullying causa consequências psicológicas terríveis. Busque ajuda com terapia, pois, o ajudará a lidar melhor com isso. O diálogo é fundamental para amenizar esse sofrimento.

Falar com um responsável se não puder dialogar e se defender!

Considero a melhor maneira de defesa é a conversa com pais e professores, comunicar a instituição e não se calar diante da situação. Buscar ajuda psicológica e fazer terapia para se prevenir diante dos fatos.

Olá, Os pais devem ser comunicados e assim relatar o fato a um responsável da escola, como Orientação Educacional, ou na própria Direção, para tomarem providências contra os agressores. Procure também uma orientação psicológica para te ajudar a desenvolver uma inteligência emocional e assim lidar melhor com esse sofrimento, porque se sabe que o bullying são agressões físicas ou verbais que intimidam e traumatizam a pessoa, muitas vezes deixando sequelas no psiquismo.

olá! bullying é grave, e tanto traz prejuizo para que é alvo dele, quanto pode indicar algum problema (familiar, psicológico) de quem o pratica. Por isso, o melhor caminho é manter a escola e os pais informados sobre o que está acontecendo para juntos traçar um melhor caminho possível, por meio do diálogo. Para quem sofre, é importante aliar um acompanhamento psicológico para que auxilie a se diferenciar desses acontecimentos, de modo que trabalhe sua auto-estima e melhor posicionamento diante de atitudes como essa, tanto de natureza física ou psicológica. Espero ter ajudado
Convidamo-lo para uma consulta: Telemedicina - R$ 100
Pode reservar uma consulta através do site Doctoralia, clicando no botão Reservar uma consulta.

Boa noite!
É recomendado iniciar imediatamente o acompanhamento dos alunos envolvidos na situação.
Busque acompanhamento de profissionais psicólogos(a) para trabalhar estratégias assertivas de enfrentamento.
Espero ter ajudado.

O bullying é algo sério e você deve pedir ajuda de adultos responsáveis como seus pais ou responsáveis, professores ou líderes da escola como coordenadores e diretoria. E os adolescentes precisam ser orientados. Mas procure contar com ajuda de um psicólogo. Se a escola tiver um, será a pessoa ideal para ajudar você.

"um adolescente se defender:" Esta maneira de colocar o problema pode implicar a ideia de que o adolescente deveria aceitar a briga como entre iguais. Mas tendo em vista que o bully está fora da civilização, não se pode tratar de igualdade. Assim, o adolescente não tem chance de "se defender" a não ser que ele mesmo saia da civilização. Existe a esperança de que o adolescente civilizado exerça empatia e procure entender o que o bully quer ou precisa. Mas se ele desenvolve esta sabedoria, ele arrisca querer corrigir o bully. Isto, este não vai aceitar. Conclusão: procure a separação do adolescente e do bully, mesmo tendo que mudar de escola. De preferência sem deixar no adolescente nenhuma sensação de debilidade ou de culpa. Bullying é um problema cultural da nossa sociedade, apoiado por quase tudo que é televisão e cinema. Não é culpa do adolescente particular.

Bom dia. A melhor maneira não sei se é possível dizer, porque a situação é característica e a resposta tem que ser singular. De modo geral, se posicionar sempre é algo importante, mas nem sempre é possível. Penso que, a psicanálise poderá fazer com que o sujeito dar vazão a posição subjetiva, que poderá favorecer uma atitude marcada pela segurança e ações assertivas.

Todos os envolvidos devem ser acompanhados e cuidados, tanto quem sofre quanto quem pratica bullying. Não se pode negligenciar o fato de que alguém está sendo vitima de falta empatia de outra pessoa e da negligencia e inércia de uma sociedade onde faltam valores de respeito e solidariedade e que um jovem bully está adoecido , sem ser parado e tratado em seu adoecimento.
Recomendo que os responsáveis-familiares e autoridades escolares sejam contactados para que uma ação conjunta e que ambos os jovens recebam atendimento psicológico de apoio e enfrentamento.

Infelizmente não existe uma resposta pronta para essa perguntar. Melhor para quem? sobre que referencial ?
O que existe é a possibilidade de entender qual é a sua forma mais potente de lidar não só com essa situação específica mas com outras que se assemelham a essa.
Para isso é fundamental terapia: busca de conhecimento dos seus potenciais, de formas de encara o mundo mais criativas.

O primeiro ponto é que o adolescente não tem que se defender do Bullying sozinho. O Bullying não é uma briga entre dois, envolve o grupo que participa ou assiste, e esperar que justamente a pessoa mais fragilizada da relação vá resolver o problema sozinha é um erro. Não quer dizer que ela não possa fazer nada, mas o objetivo número um é interromper o Bullying. Como se interrompe o Bullying? Sempre depende da situação, mas tem que envolver os pais e a escola. Se alguém (tipo pais) precisar ser muito duro e cobrar que a escola não seja conivente, que seja. O adolescente pode evitar se expor a situações em que sofrerá o Bullying, inclusive estando sempre perto de amigos, e pode buscar grupos onde é aceito e querido, pode encontrar outras pessoas que passaram por situações semelhantes para ter apoio, coisas que fortaleçam sua autoestima. Mas, reforço, não tem que resolver a situação sozinho.

As crianças e adolescentes que sofrem com o bullying devem pedir auxílio dos pais, professores, psicólogos ou um adulto de confiança e conversar sobre o problema. Entretanto, aqui há algumas dicas para lidar com o bullying: se o bullying for verbal, ignore, ria de tudo que o agressor disser, porque essas atitudes são frustrantes para bullies pois eles querem que a vítima chore. Se for bullying físico, evite insultar o bully pois acabará gerando uma briga. Participe de aulas de artes marciais como karatê, kung-fu, taekwondo ou qualquer atividade parecida. A prática de uma arte marcial aumentará sua confiança, melhora o físico e permitirá que você ganhe técnicas de defesa. Caminhe com confiança, sempre de cabeça erguida.

Olá,
Além do que os colegas apontaram, quero ressaltar que quem passa por bullying tem afetada a percepção de si. Para caracterizar tal situação, os episódios de maus tratos físicos, psíquicos e emocionais que acontecem quando uma ou várias pessoas infringem a outra uma persequição desqualificadora repetitiva, recorrente, ou seja, não são episódios únicos, mas se repetem ao longo do tempo. Portanto, tal repetição pode se configurar como uma verdade sobre quem passa por tal situação, gerando insegurança consigo, vergonha que podem impedir a busca de ajuda e denúncia aos adultos. Quando um adolescente ou criança sabe como estas coisas acontecem, pode facilitar identificar e não permitir que seja naturalizados e ter certo que tal atitude é inaceitável com ele ou com outras pessoas. Importante que seja um assunto que tenha espaço na família, ou na escola, para que haja um suporte para distinguir que o bullying é inaceitável.

Especialistas

Márcia Pettenon

Márcia Pettenon

Psicólogo

Porto Alegre

Natalia Manzano Bresolin

Natalia Manzano Bresolin

Psicólogo

Fazenda Rio Grande

Frederico Nogueira

Frederico Nogueira

Psicólogo

Londrina

Patricia Lima

Patricia Lima

Psicólogo

Rio Das Ostras

Yasmin Soares

Yasmin Soares

Psicólogo

São Vicente

Perguntas relacionadas

Você quer enviar sua pergunta?

Nossos especialistas responderam a 5 perguntas sobre Bullying

Este valor é muito curto. Deveria ter __LIMIT__ caracteres ou mais.

  • A sua pergunta será publicada de forma anônima.
  • Faça uma pergunta de saúde clara, objetiva seja breve.
  • A pergunta será enviada para todos os especialistas que utilizam este site e não para um profissional de saúde específico.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se ao seu médico/especialista ou provedor de saúde da sua região.
  • Não são permitidas perguntas sobre casos específicos, nem pedidos de segunda opinião.

Escolha a especialidade dos profissionais que podem responder sua dúvida
Iremos utilizá-lo para o notificar sobre a resposta, que não será publicada online.
Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.