Minha filha vivenciou uma cena de violência no bairro onde moro a 1 ano atrás, ela tem 11 anos, depo

21 respostas
Minha filha vivenciou uma cena de violência no bairro onde moro a 1 ano atrás, ela tem 11 anos, depois disso ela tem muito medo de ir na esquina sozinha, qual especialista devo consultar, porque ela chega a passar mal quando eu mando ela ir, fica pálida e chora muito.
Ola boa tarde.
Seria bom buscar um profissional de Psicologia, que vai ajuda la a entender melhor a cena que vivenciou e como este fato veio a acarretar em sintomas como descreve. Assim irá contribuir para uma possivel melhora e uma investigação mais precisa do que pode esta acontecendo com ela.
A disposição para demais dúvidas.

Tire todas as dúvidas durante a consulta online

Se precisar de aconselhamento de um especialista, marque uma consulta online. Você terá todas as respostas sem sair de casa.

Mostrar especialistas Como funciona?
Boa tarde querida!
O ideal é que ela faça um acompanhamento psicológico...

Aeron Beck teorizou que não importa o fato que ocorreu. O importante é como vc o interpreta e o vivencia. Existe técnicas que podem ajudar sua filhinha a superar este Trauma. Quanto sua pergunta é um profissional de psicologia. Procure ajuda em um de nós. Vale a pena investir em qualidade de vida. Boa sorte!

Com certeza essa jovem necessita de acompanhamento psicológico para trabalhar esse trauma.

Olá!
Leve-a a um psicólogo. Eles possuem ferramentas para trabalhar as questões relacionadas a traumas. Qualquer dúvida estou a disposição.

O que você descreve são claros sinais de transtorno de estresse pós traumático. O padrão ouro de tratamento chama-se Terapia EMDR.

Boa noite, sua filha sofreu um trauma, isso causa muita angústia, e mais ainda devido a sua idade, ao ser tão jovem não tem maturidade emocional para absorver sozinha essa experiência. Um psicanalista especializado em crianças poderá ajudá-la a transpor essa experiência. Um abraço

Assistir cenas de violência, podem trazer inúmeros efeitos negativos para aquele que assistiu, estejamos falando de adultos ou crianças. No segundo caso, em particular, às reações podem ser mais evidentes em razão da própria sensibilidade da criança. Nestes casos, é aconselhável que a ela possa ter a possibilidade de poder falar sobre aquilo, num espaço de tratamento de modo que, possa elaborar tal cena - aquilo que vem lhe provando medo (no caso do medo de ir à rua). O importante é que isto possa ser encaminhado para um psicólogo que trabalhe com crianças e adolescentes, pois somente assim será possível tratar essas reações.

Consulte um psicólogo o mais breve possível. Ele saberá direcionar o caso e se necessário orientará vc a procurar outros profissionais. O importante é fazer isto rapidamente para ajudar sua filha a superar esta situação.

Indico uma técnica chamada EMDR, que trata traumas geralmente alguns psicólogos e médicos de uma forma mais rápida, mas é importante procurar um Psicólogo para uma terapia mais longa e para ressignificar esse trauma. O medo paralisa as pessoas e provocar surtos que venham a prejudicar a vida social e passar para uma Síndrome do pânico.
Agora é momento ideal para procura de um tratamento psicológico.
Estou a disposição.

Ola. Possivelmente sua filha está sofrendo de stress pós traumático. É muito importante a ajuda de um profissional da psicologia para que ela elabore esse trauma. procure por ajuda, vale a pena!

Qual pessoa que vivenciando uma situação de violência não ficará assustada e com medo, não é verdade? Quanto mais uma criança!
O que posso sugerir é que converse com sua filha e deixe que ela expresse sem julgamentos ou interrupções o sofrimento pelo qual ela está passando, o que pode ajudar bastante na redução dos sintomas. Caso não haja melhoras, sugiro acompanhamento pelo profissional de psicologia que utiliza de habilidade e técnicas para o manejo de eventos traumáticos.

Olá!
Uma situação assim traz a realidade de forma crua e que dificulta a acomodação do fato internamente!
Expressar as emoções a respeito da situação ajudam muito a, aos poucos, retomar a naturalidade com os locais que lembram o fato, bem como, buscar recursos internos para se proteger do choque, culpa, raiva ou outras emoções que estejam associadas. Importante recorrer a psicólog@ psicanalista para apoiar este processo!
Convidamo-lo para uma consulta: Telemedicina - R$ 100
Pode reservar uma consulta através do site Doctoralia, clicando no botão Reservar uma consulta.

Olá! É importante você procurar um psicólogo (a) que tem especialização em atendimento com criança. Há profissionais na abordagem do Psicodrama que são excelentes para trabalhar com crianças.

Ela sofreu um trauma. O que se apresenta é provavelmente um estresse pós-traumático, muito comum nas pessoas que passam por esses eventos extremos e que são acometidos por um medo quase invencível de vivenciar situações semelhantes. Procure um Psicólogo Clínico ou Psicanalista com experiência em atendimento de crianças e adolescentes.

Olá! Sua filha precisa de auxílio psicológico, pois a cena que presenciou deixou nela algumas marcas, e isso se chama trauma, ou seja, mesmo depois de um ano do ocorrido ela parece reviver a cena toda vez que você pede para passar pelo local. Isso está com certeza atrapalhando muito ela. Procure ajuda o quanto antes para que ela tenha uma vida saudável e livre desses sentimentos.
Espero que ela fique bem!

Sua filha presenciou uma cena violenta, como você relata.
Os olhos são o órgão dos sentidos por onde recebemos o maior volume de informações.
Embora ela não tenha participado da violência, mas apenas presenciado, isso afeta grandemente o sistema de autorregulação, provocando um trauma cujos sintomas se mostram presentes, apesar de ter transcorrido um ano do fato.
A melhor e mais rápida forma de resolver é que ela seja atendida por psicólogo que atue com reprocessamento de memórias, como SE, Brainspotting ou EMDR. Na idade dela, provavelmente uma única sessão será suficiente.

Olá! Seria interessante você procurar um psicólogo infantil para investigar melhor essa questão. Boa sorte.

Boa tarde. É recomendável buscar um profissional de psicologia para uma análise mais completa e dar início ao tratamento adequado. Pelo contexto aversivo do evento citado é natural que possa ter ocorrido um trauma. Com isto a paciente pode sentir uma ansiedade antecipatória intensa apenas ao pensamento de sair de casa. Graças a linguagem nós temos a capacidade de relacionar um medo de um evento especifico com muitos outros eventos, o que pode acabar ampliando o número e categoria de eventos evitados.

Boa tarde! O ideal seria procurar um psicoterapeuta para ajuda-la a entender e a lidar com o possível trauma decorrente do ocorrido.

Procure ajuda de psicóloga (o) ela ficou traumatizada e quanto antes der início ao tratamento melhor será.

Especialistas

Michelle Delmiro de Sousa Martins

Michelle Delmiro de Sousa Martins

Psicólogo

Fortaleza

Thiago Alencar de Moura

Thiago Alencar de Moura

Psicólogo

São Paulo

Bruna Capozzi

Bruna Capozzi

Psicólogo

Brasília

Josenildo Dantas

Josenildo Dantas

Psicólogo

Natal

Guilherme Rocha Machado

Guilherme Rocha Machado

Psiquiatra

Mineiros

Bianca Ferreira Rodrigues

Bianca Ferreira Rodrigues

Psicólogo

Belo Horizonte

Perguntas relacionadas

Você quer enviar sua pergunta?

Nossos especialistas responderam a 521 perguntas sobre Ansiedade

Este valor é muito curto. Deveria ter __LIMIT__ caracteres ou mais.

  • A sua pergunta será publicada de forma anônima.
  • Faça uma pergunta de saúde clara, objetiva seja breve.
  • A pergunta será enviada para todos os especialistas que utilizam este site e não para um profissional de saúde específico.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se ao seu médico/especialista ou provedor de saúde da sua região.
  • Não são permitidas perguntas sobre casos específicos, nem pedidos de segunda opinião.

Escolha a especialidade dos profissionais que podem responder sua dúvida
Iremos utilizá-lo para o notificar sobre a resposta, que não será publicada online.
Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.