Faço psicanálise há quase 3 anos, e sou apaixonada pela minha psicóloga. Já li sobre transferência e etc mas o que me incomoda é que essa transferência é pesada e começou já na terceira ou quarta sessão, e até hoje não cessou. Já conversei com ela sobre isso, mas o sentimento não muda. Não queria deixar a terapia pois além de tudo minha psicóloga é uma excelente profissional. Tem algo que eu possa fazer?
Se você tem um bom relacionamento com a sua Psicanalista, converse com ela sobre o seu incômodo, e peça a ela que essa demanda seja trabalhada nas seções.

Por mais que você já tenha conversado com ela a respeito, torne a falar. Expresse para ela como se sente e o fato desse sentimento não ter mudado. Este é um ponto importante a ser dito e assim ela poderá analisar a demanda e trabalhar com isso durante o processo de terapia.

 Fabiane Veimrober de Cerqueira
Fabiane Veimrober de Cerqueira
Psicólogo
Lauro de Freitas
Converse novamente com ela, pode ser algo relacionado à transferência, mas caso acredite que não, converse e vejam juntas se é viável e funcionará manter os atendimentos.

 Sandra Rodrigues
Sandra Rodrigues
Psicólogo, Psicanalista
São José dos Campos
Se estamos falando de psicanálise o mais indicado seria que você converse com sua analista e depois peça para ela te indicar para outro profissional.

O mais indicado é que você trabalhe isso em sua análise.

Boa tarde!
A terapia se inicia pela empatia, acredito que se na sua terapia a relação com sua terapeuta está lhe trazendo angustia e sofrimento o melhor a fazer é ser cinsero com ela, e procurar outro terapeuta.
Pois terapia não se resume a ter um sofrimento constante, mas sim na mudança constante e amadurecimento das emoções.
Boa sorte!

Não sou psicanalista e sim Gestalt-terapeuta. Sob a luz da minha abordagem, a princípio não há problema em vcs se identificarem (não sei se é o caso). O problema não é exatamente a transferência, mas a forma e que é feito com ela. Além da necessidade de vcs tratarem dessa transferência (e possível contra-transferência) em terapia, talvez seja interessante refletir de que maneira essa transferência “pesada” está influenciando a relação de vcs e a no processo terapêutico em si. Boa sorte!

 Aleff Aleixo
Aleff Aleixo
Psicólogo
Campina Grande
O próprio processo de análise pressupõe o apaixonamento como uma das etapas a serem vivenciadas – e não há, por exemplo, estimativas de quanto tempo cada etapa dura, pois o tempo, em psicanálise, não obedece à cronologia normal. De alguma maneira, você está atualizando na figura da sua analista algo que se repete durante toda a sua vida; procure identificar o que exatamente está se repetindo nessa forma de se apaixonar. O processo de análise é, sobretudo, a história da queda de todas as determinações e de todos os ideais que são construídos para e por nós, inclusive os que são construídos sobre a figura do analista. Impliquem-se (vocês duas) no processo e essa paixão também cairá

Se você não quer abandonar o processo, acredito que a melhor alternativa é voltar a abordar o tema com sua psicanalista. Assim vocês podem identificar o ponto de incômodo, para que o processo possa seguir. Caso o incômodo persista, talvez seja o caso de procurar um outro profissional para dar continuidade ao seu processo terapêutico.

Dra. Márcia Regina Franco Franzoni
Dra. Márcia Regina Franco Franzoni
Psicanalista, Psicólogo
Balneário Camboriú
É importante falar com sua psicanalista sobre o que sente. A transferência se manifesta de varias formas e o apaixonamento não é um tipo de transferência a ser alimentado e sim esclarecido pela profissional. Se não for esclarecido não é Psicanálise, mas sim a repetição de formas de se relacionar que na relação com o psicanalista deve ser abordado.

 Sonia Ferreira
Sonia Ferreira
Psicólogo
Belo Horizonte
O processo transferencial é um passo importante em direção ao estabelecimento de vínculo com seu analista e vai possibilitar que ela exerça a função de espelho para suas projeções e conflitos internos. Portanto, sua reação à este processo é um sinal que está se implicando no processo evidenciado pelo incômodo. Isso é material importante de análise. Portanto sugiro que antes de procurar outro profissional, trabalhe esse incômodo com sua psicóloga. Pode ser que sujam novas descobertas que te farão saber mais sobre você.

 Maiara Gualberto Muniz
Maiara Gualberto Muniz
Psicólogo
Guarulhos
A terapia só acontece se existe a transferência, o que estou entendendo pela sua fala é que tem algo te incomodando o relacionamento terapêutico de vocês, e isto deve ser falado em terapia!

Converse novamente com ela, exponha todo seu sentimento em relação a ela, e juntas procurem encontrar uma melhor solução.

 Ana Paula Alves dos Santos
Ana Paula Alves dos Santos
Psicólogo
Caruaru
A dinâmica da transferência é essencial para que o processo de análise aconteça, mas é importante observar se essa transferência é negativa e cabe a você sinceridade e ao profissional o manejo . Mesmo que vocês observem a necessidade de se trabalhar esses conteúdos, fica a seu critério colocar-se a disposição para análise ou procurar outro profissional.

 Gilvaneide Santos
Gilvaneide Santos
Psicólogo
Maceió
Seja honesto com você mesmo e com sua analista, volte a abordar o assunto e caso continue se sentindo incomodado, creio que poderia procurar um outro profissional. Boa sorte.

 Bianca Machado
Bianca Machado
Psicólogo
Rio de Janeiro
Querida, imagino que esse seu sentimento lhe cause desconforto e até mesmo sofrimento, pois idealmente e eticamente ele nunca deverá ser realizado. A paixão transcende a linha da transferência, dependendo de como ela se da. Difícil dar uma opinião tecnicamente consistente a partir do seu breve relato aqui, mas eu lhe aconselharia se consultar com outros psicólogos e psicanalistas para tentar uma transição que lhe seja saudável e que você possa entrar em um processo terapêutico que lhe seja benéfico.

O processo terapêutico tem um tempo individual para se organizar de forma harmônica. Primeiramente, viva este momento intensamente. Quando achar necessário e sentir que precisa, fale sobre isso. Quando não sentir que precisa falar, só aceite esse sentimento, deixe que ele seja acolhido. Segundo, entenda o que está te incomodando tanto e quais os impactos disso no seu processo terapêutico. Autenticidade, ou seja, ser verdadeiro e entregue ao processo, deve ser feito por ambas a partes. Peça para que analisem essa relação juntas e caso isso se torne um sofrimento para você, mude de terapeuta. Apesar dela ser uma excelente profissional, existem muitos outros capacitados e habilitados para te acolher. O processo de transferência é um olhar para o terapeuta baseado nas experiências emocionais vivenciadas, assim, ao se conhecer melhor e entender como ela ou o processo te afetam tanto e como você pode ressignificar, isso irá mudar sua forma de viver a terapia. Lembre-se sempre: ela é uma profissional a disposição para te ajudar. Tente reconhecer os limites e fronteiras ente você e suas vivências e sua terapeuta. Você é você e ela é ela.

Como os demais colegas já orientaram, o ideal seria conversar com sua terapeuta a respeito do que sente e se caso necessário em comum acordo realizar a substituição do profissional, a fim de não interferir no seu processo terapêutico. Se cuide... abraços.

Uma comunicação assertiva sobre o assunto faz-se necessário. Reflita o quanto os encontros estão contribuindo para seu bem estar ou se a mesma não se tornou uma relação de dependência, haja vista o tempo de análise já existente!

Bom dia, da forma que você fala, me parece que criou um vinculo com ela, converse e diga como se sente, com certeza será um assunto interessante a ser abordado

Nesse caso é melhor trocar de profissional, para você não se prejudicar. Com certeza existem mais psicanalistas excelentes.

Dra. Thaisa Miguel Nobrega
Dra. Thaisa Miguel Nobrega
Psicólogo, Psicanalista
São Paulo
É muito complicado analisar essa questão, importante compreender o que está se passando na análise quando esse desconforto aparece, penso que vale levar novamente na análise antes de uma decisão de trocar de analista. Espero ter ajudado.

Dra. LUCIANA PANDOLFI
Dra. LUCIANA PANDOLFI
Psicólogo
Jundiaí
Fale com sua analista sobre esse sentimento, poderão trabalhar questões e detalhes no processo de análise. Visto que traz questões de uma aceitação desse processo terapeutico com sua analista. Informando que tem admiracao por ela ececutar um otimo trabalho. Nada como levar para analise esta questão, terá suas respostas.

 Marcia Kelen Moscatelli
Marcia Kelen Moscatelli
Psicólogo, Psicopedagogo
Sorocaba
Boa tarde.
O processo Psicotererapêutico requer sinceridade de ambas as partes, portanto, considero que exponha novamente como se sente e busque, junto à psicóloga, compreender quais os sentimentos estão envolvidos nesta transferência e quais relações de sua vida podem ser resignificadas à partir do que tem se apresentado na figura da profissional.

Mesmo entendendo o conceito teórico da transferência psicanalítica, não significa que conseguirá se "auto analisar" sobre a situação. É relevante levar esses sentimentos para sua sessão e juntos perceberem a origem e os motivos. O que faz você hoje ir/ buscar a psicoterapia? Este sentimento que você menciona esta trazendo boas emoções ou te deixando desorientado? Reflita também em como vai lidar com isso, se aprofundando e entendendo mais sobre ou recorrendo a outra profissional ?

Dr. Marco Antônio de Araújo Bueno
Dr. Marco Antônio de Araújo Bueno
Psicanalista, Psicólogo, Psicopedagogo
Palhoça
Mude de profissional. Já houve tempo suficiente para que ela trabalhasse essa Transferência de forma adequadamente psicanalítica.

 Alexandre de Assis Avelino
Alexandre de Assis Avelino
Psicólogo
Itabirito
Existe transferência e amor/paixão. De que amor vc está falando? Fhilia? Eros? Ágape? Se o amor é Eros vejo que não deve continuar a análise com o mesmo profissional. Não tem lugar pras duas coisas ao mesmo tempo. Vi um dos comentários dizer que transferência é pra trazer conforto e não é está a sua situação....

 Carla O.S Dias
Carla O.S Dias
Psicólogo, Psicopedagogo
Nilópolis
Tem, você pode trabalhar essa questão com ela na terapia.
Você pode também olhar para si e ver como você se relaciona com o outro. Costuma se apaixonar por pessoas que não podem te corresponder? Como são suas relações afetivo amorosas?
Será que o foco que você coloca na figura da sua terapeuta, te distrai de trabalhar a si mesma, relacionamentos e amores possíveis?
Leve suas questões para a terapia e converse com sua psicoterapeuta, nesse sentido.

 Tatiana Francis Gaia
Tatiana Francis Gaia
Psicólogo
Ribeirão Preto
Como outros colegas responderam, até certo ponto essa manifestação pode ser material para análise e deve ser conversado com sua terapeuta. Não deve ser um incômodo que você guarde, mas sim compartilhe com ela para que possa ser material de análise, ou, em última instância, se inviabilizar o processo terapêutico, que seja conduzido para outro profissional, podendo ser inclusive uma decisão tomada em conjunto. Alguns desconfortos, dessa e outras naturezas, durante o processo terapêutico são naturais, mas devem ser expostos. Espero ter ajudado!

Boa noite. Converse novamente com sua psicóloga, expresse seu incômodo em relação a essa extrema transferência, esclareça que não houve mudança até o momento. A partir dessa conversa poderão conjuntamente optar por dar continuidade ao processo psicoterapêutico ou caso não se sintam confortáveis, interromper o acompanhamento e buscar outro profissional. Abraços.

 Nicolas Chiazzaro Trevellini
Nicolas Chiazzaro Trevellini
Psicólogo, Psicanalista
Rio de Janeiro
Tem sim, fale com ela. Acredito que não seja uma solução trocar de profissional. É preciso se aprofundar, elabore e trabalhe essa questão.

Dra. Leonora Fernandes
Dra. Leonora Fernandes
Psicólogo
Brasília
Conversar com ela, com certeza, é a melhor solução. Até porque você tem um bom vínculo com ela, gosta e confia no trabalho. E isso seria um ótimo assunto para ser trabalhado em sessão.

Especialistas em Consulta psicológica do adulto

Lory Gonçalves

Lory Gonçalves

Psicólogo

Rio de Janeiro

Agendar uma visita
Renata Rebello

Renata Rebello

Psicólogo

Rio de Janeiro

Agendar uma visita
Elciane Lipski

Elciane Lipski

Psicólogo, Psicopedagogo

Curitiba

Agendar uma visita

Perguntas relacionadas

Você quer enviar sua pergunta?

Nossos especialistas responderam a 5 perguntas sobre Consulta psicológica do adulto

Este valor é muito curto. Deveria ter __LIMIT__ caracteres ou mais.

  • A sua pergunta será publicada de forma anônima.
  • Faça uma pergunta de saúde clara, objetiva seja breve.
  • A pergunta será enviada para todos os especialistas que utilizam este site e não para um profissional de saúde específico.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se ao seu médico/especialista ou provedor de saúde da sua região.
  • Não são permitidas perguntas sobre casos específicos, nem pedidos de segunda opinião.

Escolha a especialidade dos profissionais que podem responder sua dúvida
Iremos utilizá-lo para o notificar sobre a resposta, que não será publicada online.
Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.