Trabalho em uma função muito estressante em uma escola, coordenação financeira; de uns tempos pra cá ando cansado, com insônia; fadiga, me irrito muito facilmente; às vezes sinto até tonturas, estou com pressão alta; às vezes também me esqueço de algumas coisas, tem dia que sinto desanimo e vontade de ficar quieto em casa. Será estou com síndrome de Bournout?
Bom dia!
Pelos sintomas e ambiente profissional que descreve, pode ser que esteja desenvolvendo a Síndrome de Burnout.
A intervenção de um Psicologo será importante para que a ajude refletir sobre suas escolhas e estilo de vida, ajudando você a sair desse círculo vicioso e perceba outras formas de ver e viver a vida.
Abraços

Prof. Fabiane Nicolau Bressan
Prof. Fabiane Nicolau Bressan
Psicólogo, Terapeuta ocupacional
Olá bom dia! Conte comigo, vamos investigar juntos o que esta acontecendo, pode ser que sim, importante você falar com mais detalhes para que seja viabilizado um diagnóstico. Para atendimento psicoterapeutico online pela plataforma Zenklub.

Até mais.
Atenciosamente!

Gratidão por ter enviado sua questão.
Vou compartilhar com você um texto que eu escrevi sobre ansiedade e as consequências em nosso organismo.
Espero que te ajude.
A Ansiedade é considerada atualmente uma das principais doenças do nosso século. De acordo com a Organização Mundial de Saúde 33% da população mundial sofre com este sintoma. Os estudos realizados no Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo revelam que 23% da população brasileira irá desenvolver algum distúrbio relacionado à ansiedade. Com tantos afazeres da vida moderna acabamos nos sentindo obrigados a cumprir várias tarefas. Há um sentimento de que temos que atingir uma perfeição. Além de estudar, trabalhar, cuidar da casa, da carreira, dos amigos, da família, da saúde, da espiritualidade, da aparência e dos relacionamentos afetivos temos ainda que postar fotos, impecáveis, nas redes sociais. Registrar todos os nossos melhores momentos, postar fotos incríveis de onde fomos o que comemos e com quem estamos compartilhando este momento espetacular. Todas estas coisas contribuem para um estresse emocional gigante que em curto prazo irá fazer com que o nosso corpo e a nossa mente adoeçam.
A ansiedade é boa, pois faz com que possamos nos organizar em relação às coisas que precisamos fazer, como quando temos uma viagem, uma prova, um exame médico, uma entrevista de emprego ou um encontro com alguém que estamos paquerando. A ansiedade faz com que criemos formas de resolver as situações que a vida irá nos apresentar. O problema começa quando isso ocorre de forma exagerada, ou seja, quando ficamos o tempo todo nos antecipando e passamos a viver as nossas vidas no futuro. O ansioso é aquela pessoa que vive 80% do tempo no futuro, tentando imaginar e controlar tudo o que irá acontecer. O problema é que isso traz uma série de consequências físicas (taquicardia, falta de ar, formigamento nas extremidades, sensação de calor alternado com frio, mudanças no funcionamento intestinal, visão turva, dor no peito ou abdômen, tremores) e psíquicas (medos, preocupações, angústias, pensamentos disfuncionais, dúvidas).
Conhecendo o nosso sistema nervos.
Em nosso sistema nervoso temos o sistema nervoso autônomo que se divide em: sistema nervoso simpático (SNS) e sistema nervoso parassimpático (SNP). O SNS é o “vigilante” do nosso corpo, é ele que nos avisa se estamos em perigo. Imagine que você irá atravessar uma rua e não vê o carro que está vindo em sua direção. O carro irá buzinar e neste exato momento o seu SNS entrará rapidamente em ação e lançará automaticamente, na sua corrente sanguínea, adrenalina que fará com que você pule de volta para a calçada. Sim, o SNS nos prepara para lutar ou fugir, ele é muito importante para a nossa sobrevivência. O SNP é o “faxineiro” do nosso corpo e no exemplo acima ele faz com que o nosso corpo, depois de alguns minutos, volte ao funcionamento normal. O problema é quando ficamos o tempo todo acionando o nosso SNS, com pensamentos e situações que nos estressam. A boa noticia é que podemos acionar o SNP para que o equilíbrio seja retomado. Como fazer isso? A resposta é simples: RESPIRANDO!

Dica infalível: pratique a respiração diafragmática.

A seguir irei compartilhar com você, leitor do Doctoralia, uma técnica que ensino a todos os meus pacientes ansiosos.
Sente-se em um local tranquilo. Feche os olhos e vá respirando lentamente. Inspire, contando mentalmente até dois, levando o ar para a barriga (diafragma), segure o ar por dois segundos e depois solte o ar contando mentalmente até quatro. Repita por quatro vezes esta respiração. Quando você já estiver familiarizado com este exercício aumente gradualmente o tempo da inspiração e da expiração como, por exemplo, inspirando em 3 segundos, segurando em 3 segundos e expirando em 6 segundos. Este tipo de respiração irá acionar o seu sistema nervoso parassimpático (SNP) e fará com que você se acalme de forma natural. Pratique a respiração diafragmática todos os dias ao acordar, no meio do dia e antes de dormir.

Considerações finais

Se você já está há algum tempo com vários sintomas físicos, já foi parar no pronto socorro algumas vezes e ainda assim continua com os sintomas físicos e mentais é importante que você busque a ajuda de um profissional. Esta é apenas uma técnica, dentre muitas, que um psicólogo poderá te ajudar a usar em momentos de crises. No site Doctoralia você encontrará profissionais que podem te ajudar a lidar com a ansiedade. Cuidar da saúde mental ainda é a melhor saída para você ter uma vida saudável e feliz.

Um abraço

 Erica Baron
Erica Baron
Psicólogo
Caxias Do Sul
Olá! Seus sintomas se enquadram em um quadro misto ansiedade e depressão, predominantemente ansioso no momento. Pelo fato de sua função ser estressante me parece que as causas podem ser atribuídas ao ambiente de trabalho e, assim estar desenvolvendo a Síndrome de Burnout. O risco do seu quadro está no aumento do espectro ansioso gerando síndrome do pânico ou a acentuação do quadro depressivo gerando incapacitação. Procure ajuda profissional. Indico a linha da psicoterapia cognitiva.

Olá, antes de fazer uma avaliação não tem como afirmar que vc esta com a síndrome de burnout. Aconselho primeiramente procurar um profissional e iniciar um tratamento com Psicoterapia.

Dra. Jacqueline Carvalho
Dra. Jacqueline Carvalho
Psicólogo
Rio de Janeiro
Bom dia!
A Síndrome de Burnout é um estado físico, emocional e mental de exaustão extrema que ocorre em determinadas profissões que demandam muita responsabilidade, com exigências e pressão diária.
Essa doença, conhecida também como "Síndrome do Esgotamento Profissional", apresenta diversos sintomas, inclusive os citados por você em seu relato, que podem ser indicativos do início da síndrome.
Por conta disso, se faz importante buscar o apoio profissional, para fazer o diagnóstico correto e iniciar ao tratamento a fim de minimizar esses sintomas.
A psicoterapia é o tratamento adequado para esse quadro. Procure um psicólogo para melhorar sua qualidade de vida.
Espero ter ajudado.


Dra. Mayara Tavares dos Santos
Dra. Mayara Tavares dos Santos
Psicólogo
Santa Fé Do Sul
Bom dia! É possível que seja, sim. Procure um profissional para avaliação. Boa sorte!

Dra. Jacione Amaral
Dra. Jacione Amaral
Psicólogo
Recife
Olá! Muito perigoso a partir da descrição de alguns sintomas diagnosticar... Faz-se necessário um atendimento minucioso e com escuta de um profissional qualificado, nem tudo que parece, é. Esta síndrome se dá a partir de um contexto e de seu tempo e energias desprendido nele... Às vezes algumas situações são apenas "gota d'água" que fez o "balde cheio" transbordar.

Os sintomas que você descreveu são apenas alguns dos que compõem um diagnóstico completo dessa síndrome.
O fato é que há sofrimento e comprometimento da sua saúde emocional.
O mais indicado nessas situações, que iniciam com um estresse natural, mas que com o tempo, intensidade e frequência dos sintomas evolui para uma síndrome, é procurar uma avaliação médica e acompanhamento psicológico para lidar com as pressões do dia a dia de trabalho, ou até mesmo refazer seu planejamento de vida para uma área ou trabalho que lhe tragam mais prazer.

 Ana Carina D. Sulzbach
Ana Carina D. Sulzbach
Psicólogo
Florianópolis
Olá! Posso perceber que pela sua descrição há um sofrinento genuíno pelo qual está passando e merece atenção. Pode ser que vc esteja vivenciando Burnout, e isso deve ser investigado.
Mas mais importante do que nonear é poder lidar com as questões (internas/externas) que estão te fazendo sentir-se mal.
Os sintomas que você descreveu estão coerentes com estresse laboral.
Quando o estresse é prolongado, há a possibilidade de prejuízos fisiológicos começarem a aparecer, e também repercussões na vida social, familiar, amorosa.
Um profissional poderá avaliar se esse mal-estar está também presente em outras áreas da vida, suas causas, gatilhos, estratégias, e dar o melhor encaminhamento terapêutico.
Procure uma avaliação.

 José Gilcélio Silva
José Gilcélio Silva
Psicólogo
Recife
Olá, bom dia. A síndrome de Burnout está casa dia mais presente nesta sociedade tão pragmática, capitalista e mercantilista, onde a meritocracia é sempre colocada em primeiro lugar, é um estado físico, mental e emocional de extrema exaustão, dentro de um ambiente de trabalho extremamente exigente, estressante e emocionalmente desgastante permeado por uma responsabilidade e competitividade exageradas. Você está inserida(o) em um do ambientes mais propícios a síndrome de Burnout, educação e saúde, essa sintomatologia descrita por você, pode ser sim indícios fortes da síndrome de Burnout, ou esgotamento profissional pelo excesso de trabalho, mas não podemos descarta outras variáveis como; Vida social e sentimental de estrema importância para modificar o prognóstico. Seria mais prudente você procurar um profissional da área que pudesse averiguar junto a outros profissionais todas variáveis possíveis. Espero ter contribuído.

 Norma Goes
Norma Goes
Psicólogo, Terapeuta complementar
Recife
Boa tarde!
Pode ser a Síndrome, mas o mais importante é marcar uma consulta com um profissional que vai avaliar e conduzir seu caso da melhor maneira. Oriento que enquanto não procura, exercite a respiração (inalar suavemente o ar pelo nariz e exalar suavemente pela boca, durante alguns minutos), sempre que não estiver se sentindo bem.

 Marilis Malheiros de Almeida
Marilis Malheiros de Almeida
Psicólogo
Sorocaba
Bom dia, respondendo à sua pergunta, os sintomas descritos se encaixam na síndrome de Burnout. Sugiro que procure o quanto antes a ajuda de um psicólogo para ajudá-lo a esclarecer os motivos que o levaram a desenvolver esse quadro, permitindo assim um maior conhecimento de si mesmo e consequente mudança no estilo de vida. Abraço.

Olá, sua descrição está alinhada com seu (pré) diagnóstico, mas nada substitui uma avaliação clínica.
Sugiro que vc procure um profissional de psicologia,

grande abraço

Dra. Laura Winikor Dolub
Dra. Laura Winikor Dolub
Psicólogo
Niterói
Concordo com quem disse que não se trata de dar um nome para o que está sentindo e sim, dar atenção aos sintomas que vc vem registrando. O importante seria fazer um check-up clínico e, já que se pergunta se esses sintomas têm a ver com o seu trabalho, seria muito importante, mais do que fechar com uma etiqueta, dar inicio a um trabalho psicoterapéutico para ir achando suas próprias respostas ou ainda, novas perguntas.

Dra. Irani Marangão
Dra. Irani Marangão
Psicólogo, Sexólogo
Cuiabá
Sim, pode ser, porém deve ser avaliado por um psicólogo(a). Para te ouvir melhor seu contexto histórico. Com certeza, tudo ficará bem. Precisando estarei a disposição. Gratidão.

Dr. Alcindo Miguel Filho
Dr. Alcindo Miguel Filho
Terapeuta complementar, Psicanalista, Psicólogo
Niterói
A descrição do que você diz sentir, poderia ser indicativa de um quadro (com uma dimensão impossível de ser definida por aqui) de astenia.
A síndrome que você cita é uma situação específica e complexa de sofrimento.
Duas coisas me parecem importantes, e para as quais chamo sua atenção:
1 Diagnósticos psiquiátricos são enquadramentos muito sérios com uma potência de estigma não desprezível.
2 Uma vez que a descrição sintomática esteja presente em uma vivência íntima factual, seria importante buscar ajuda efetiva.
Por favor fique bem.

Olá,
Pelos sintomas mencionados parece sim, ser o caso de Síndrome de Burnout, mas um diagnóstico preciso e correto só pode ser dado, após avaliação do psicólogo. É uma síndrome comum no ambiente laboral estressante, competitivo ou onde há pressão incessante . Vale buscar ajuda profissional, pois pela sua descrição está afetando sua vida e te trazendo prejuízos.
Abraços.

 Lucia Queiroz Coscarelli
Lucia Queiroz Coscarelli
Psicólogo
Americana
É muito provável pelos sintomas apresentando, porém será necessário uma avaliação mais criteriosa.
Os conflitos frequentes com os colegas, a falta de autonomia em relação ao próprio tempo e a sensação de ter as capacidades pouco aproveitadas, pressão psicológica também contribuem para a estafa profissional. Esse estresse que em casos extremos pode levar até à morte; é constante no dia-a-dia de quem precisa cumprir prazos curtos, demandas complexas, enfrentar avaliações de rendimento e ainda preocupação em conseguir manter-se empregado. Procure um profissional capacitado (Psicólogo), para que possa fazer uma avaliação segura. Abraços!

 Paulo Renato Oliveira
Paulo Renato Oliveira
Psicanalista, Psicólogo
Rio de Janeiro
Acho que é o estresse como resultado das exigências excessivas do cargo que você ocupa. Faça uma terapia, procure um Psicólogo Clínico, não se prenda muito a diagnósticos, são apenas nomenclaturas padronizadas para tentar agrupar sintomas em pessoas completamente diferentes. Cada pessoa, se estivesse no seu lugar, teria uma reação diferente da sua, com mais ou menos problemas, dependendo da história de cada um, da forma como cada um foi construindo seu modo particular de lidar com a demanda dos outros, com seus próprios desejos, pontos fortes e fracos, etc. O processo terapêutico vai te ajudar muito a se reposicionar frente às exigências do mundo, a lidar melhor com as pessoas e com as situações difíceis, que são tão corriqueiras em nossas vidas.

Boa noite,os colegas escreveram os sintomas característicos da ansiedade gerada pelo trabalho , no entanto , posso acrescentar pela sua descrição, que precisa de uma avaliação medica; pois ajuda aliviar a dor física e a psicológica poderá ter um espaço para observar o que na sua vida está gerando a dor emocional!

Dra. Monica Borine
Dra. Monica Borine
Psicólogo
Atibaia
Olá! É necessário refletir pois aparentemente você pode estar com a síndrome de Bournot. Ela vem acometendo cada vez mais pessoas na atualidade. Um acúmulo de situações estressantes pode estar afetando seu corpo, seu emocional, e mente. Eu sugiro que você busque um psicólogo para iniciar um tratamento que o ajudará se sentir mais seguro para mudar hábitos, impor limites, realizar melhores escolhas. Isso voltará fazer você se sentir melhor e maior satisfação no seu trabalho. O importante é não se abandonar e deixar de lado o incomodo pois um ambiente laboral exaustivo pode promover transtornos físicos e mentais, busque ajuda.

Especialistas em Síndrome de Burnout

Rejiane Carneiro

Rejiane Carneiro

Psicólogo

Salvador

Glauce Rocha

Glauce Rocha

Psicólogo

Barueri

Rodrigo Oliveira Lazzarini

Rodrigo Oliveira Lazzarini

Psicanalista, Psicólogo

Campinas

Rafaella Fernandes

Rafaella Fernandes

Psicólogo

Natal

Michelle Aparecida Santos

Michelle Aparecida Santos

Psicólogo

Maringá

Graziela Marvila Almeida

Graziela Marvila Almeida

Psicólogo

Rio Das Ostras

Perguntas relacionadas

Você quer enviar sua pergunta?

Nossos especialistas responderam a 4 perguntas sobre Síndrome de Burnout

Este valor é muito curto. Deveria ter __LIMIT__ caracteres ou mais.

  • A sua pergunta será publicada de forma anônima.
  • Faça uma pergunta de saúde clara, objetiva seja breve.
  • A pergunta será enviada para todos os especialistas que utilizam este site e não para um profissional de saúde específico.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se ao seu médico/especialista ou provedor de saúde da sua região.
  • Não são permitidas perguntas sobre casos específicos, nem pedidos de segunda opinião.

Iremos utilizá-lo para o notificar sobre a resposta, que não será publicada online.
Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.